Larissa Pacheco, a brasileira que derrotou a judoca invicta

Share it

Larissa Pacheco é a campeã dos leves da temporada 2022 da PFL. Foto: Divulgação/PFL

Não é apenas no UFC que o Brasil está bem representado no MMA feminino. A faixa-preta Larissa Pacheco (19v-4d) derrotou a bicampeã olímpica de judô Kayla Harrison (15v-1d) por decisão unânime (triplo 48-47) na luta principal da do card da PFL 10, disputado na última sexta-feira, no Madison Square Garden, em Nova York, e se tornou a campeã da temporada no peso leve. Além do cinturão, Larissa, de 28 anos, embolsou um cheque de 1 milhão de dólares (cerca de R$ 5.4 milhões) e impôs a primeira derrota de Kayla nos esportes de combate desde julho de 2015.

Bicampeã da organização e invicta nas 15 lutas de MMA que disputara na carreira, Kayla Harrison era vista como franca favorita contra Larissa. O retrospecto  também era favorável à americana, com duas vitórias sobre a brasileira, ambas em 2019. Apesar desses ingredientes, Larissa apresentou evolução nítida em seu jogo e fez ajustes cruciais para capitalizar a vitória.

Se nas lutas anteriores Kayla aproveitou as brechas de Larissa na trocação para quedá-la. desta vez, a brasileira foi mais cerebral e minimizou os espaços. Além disso, Pacheco surpreendeu Kayla no chão quando quase finalizou a americana no triângulo e na guilhotina. Larissa levou a melhor no segundo, quarto e quinto rounds para emplacar a sexta vitória consecutiva na carreira. 

Desde que estreou na PFL, a faixa-preta só foi derrotada em dois dos dez combates que disputou na organização. A paraense é daquelas que resolve as lutas por meio da via rápida. Ela contabiliza nove vitórias por nocaute, oito por finalização e apenas duas na decisão dos jurados.

A história de Larissa é das mais inspiradoras. Ela começou a treinar muay thai aos 15 anos e, aos 17, estreou no MMA. A paraense brilhou no cenário nacional e se tornou campeã dos eventos WOCS e Jungle Fight. Com apenas 20 anos, Pacheco foi contratada pelo UFC e enfrentou atletas tarimbadas: Jéssica “Bate-Estaca” Andrade e Germaine de Randamie – ambas ex-campeãs da organização. A virada de chave na carreira da lutadora foi a subida para o peso leve, onde ela adaptou melhor seu estilo de luta e despontou no cenário internacional.

Além de Larissa Pacheco, a PFL 10 contemplou outros cinco campeões. O curitibano Matheus “Buffa” Scheffel foi derrotado por Ante Delija, pupilo de Mirko Cro Cop, na final do GP dos pesos pesados (até 120kg). O croata nocauteou o brasileiro aos 2min50s do primeiro round para conquistar o cinturão e o prêmio de 1 milhão de dólares. Nos meio-pesados, o australiano Rob Wilkinson, ex-UFC, se tornou o novo milionário ao nocautear Omari Akhmedov por interrupção médica ao fim do segundo round. O lutador de 30 anos soma seis vitórias seguidas e não perde desde fevereiro de 2018, quando foi nocauteado por Israel Adesanya. Pelos meio-médios, o milhão foi para a conta de Sadibou Sy. O sueco derrotou Dilano Taylor por decisão unânime dos árbitros. Nos leves, o ex-UFC Olivier Aubin-Mercier ficou com o título ao nocautear Stevie Ray no quarto round. Na final dos penas, Brendan Loughnane nocauteou o wrestler Bubba Jenkins no quarto assalto para ser coroado.

Outros quatro brasileiros estiveram em ação em lutas casadas no evento.  Pelo peso-pena, Sheymon Moraes nocauteou o compatriota Marlon Moraes aos 58s do terceiro round. Ex-desafiante ao título dos galos do UFC, Marlon sofreu sua quinta derrota consecutiva na modalidade. O peso leve Natan Schulte, bicampeão da PFL, finalizou Jeremy Stephens no katagatame no segundo round, enquanto o veterano Gleison Tibau foi superado por  Magomed Magomedkerimov por decisão unânime.

Confira os resultados abaixo:

PFL 10

Nova York, EUA

25 de novembro de 2022

CARD PRINCIPAL

Larissa Pacheco venceu Kayla Harrison por decisão unânime (triplo 48-47)

Brendan Loughnane venceu Bubba Jenkins por nocaute técnico aos 2min38s do R4

Ante Delija venceu Matheus Buffa por nocaute técnico aos 2min50s do R1

Aspen Ladd venceu Julia Budd por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28)

Olivier Aubin-Mercier venceu Stevie Ray por nocaute aos 4min40s do R2

Sadibou Sy venceu Dilano Taylor por decisão unânime (triplo 49-46)

Robert Wilkinson venceu Omari Akhmedov por nocaute técnico (interrupção médica) aos 5min do R2

CARD PRELIMINAR

Sheymon Moraes venceu Marlon Moraes por nocaute técnico aos 58s do R3

Natan Schulte venceu Jeremy Stephens por finalização a 1min32s do R2

Magomed Magomedkerimov venceu Gleison Tibau por decisão unânime (triplo 30-27)

Dakota Ditcheva venceu Katherine Corogenes por nocaute aos 4min20s do R1

Biaggio Ali-Walsh venceu Tom Graesser por nocaute aos 45s do R1

Ler matéria completa Read more

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.