As lições de Saraiva ao recuperar 90% dos alunos pós pandemia

Share it
A equipe de Henrique Saraiva na Irlanda. Fotos: Mara Keogh

A equipe de Henrique Saraiva na Irlanda. Fotos: Mara Keogh

Foram dois anos bem difíceis devido à pandemia, em que o Jiu-Jitsu na Europa praticamente parou.

Na Irlanda, as academias voltaram a abrir sem restrições em fevereiro, e o Jiu-Jitsu voltou com força total. Radicado em Dublin há cerca de sete anos, nosso GMI Henrique Saraiva conta como superou os percalços:

“Ficamos um ano totalmente fechados”, conta o faixa-preta, filho do mestre Orlando Saraiva. “A Irlanda foi um dos países com maior restrição no mundo, e a comunidade do Jiu-Jitsu sentiu muito esse tempo parado. Mas, por incrível que pareça, voltamos ainda mais fortes e nosso time infantil venceu os dois eventos oficiais realizados no país este ano, a Emerald Cup e a Irish Kids Cup. Os adultos da nossa equipe também conseguiram a segunda colocação geral no Emerald Cup.”

O professor bateu um papo com o GRACIEMAG.com sobre outros desafios da equipe:

GRACIEMAG: Após um ano de academia fechada, voce viu 90% dos alunos voltarem a treinar. Como crê que conseguiu esse retorno quase maciço?

HENRIQUE SARAIVA: Continuamos em contato com os alunos todo esse período, e creio que todos estavam muito saudosos do Jiu-Jitsu, doidos para voltar a fazer uma atividade física irresistível como a nossa. Além do pessoal que voltou, tivemos uma procura muito grande de pessoas por atividades físicas para recuperar a forma, e o Jiu-Jitsu foi amplamente escolhido, afinal é um esporte apaixonante.

Qual foi a lição maior da longa interrupção?

Depois desse um ano de lockdown, acho que a maior lição é viver hoje, e não perder mais treinos por bobagem. Afinal, nunca sabemos o que a vida nos reserva para amanhã.

Como estão as crianças da academia?

Voando. O Irish Kids Cup foi o primeiro grande evento de crianças no país, e conseguimos mostrar que nossa liderança nos eventos infantis aqui continua a mesma. Fiquei feliz com o resultado e o mais importante: as crianças e os pais ficaram satisfeitos de verem os filhos em competição de novo, com todo o clima de confraternização que marcou o evento.

O que aproveitou para mudar e implementar na academia nesse ano parado?

Estudei com afinco a nossa metodologia de ensino. E também abri uma nova escola, a www.bjjlucan.com. Estamos numa nova área de Dublin, que ainda não tinha BJJ e o crescimento está sendo rápido. Começamos mês passado com aulas de crianças e em breve teremos mais atletas para representar o time em competições. Ah, e graduei meu primeiro faixa-preta irlandês, o Connor Dillon, além de outros alunos de valor.

Como está o esporte no país?

Crescendo muito. Vamos ter este ano o primeiro irlandês no ADCC, o peso leve Sam McNally, e os eventos da IBJJF estão ficando grandes aqui, tenho certeza que ainda teremos um campeão mundial faixa-preta. Sobre nosso time, a equipe também só cresce, tanto que o professor Evandro Japão veio reforçar as aulas. Ele é meu primeiro faixa-preta, formado em 2007, e é bicampeão no Europeu de Jiu-Jitsu.

Ler matéria completa Read more

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.