Guilherme Santos e Carlos Índio em Connecticut. Foto:Arquivo pessoal