Mundial 2022: Caio “BB” se consagra no absoluto marrom

Share it
Caio, aluno de Felipe Preguiça, foi o grande nome na faixa-marrom, após disputas eletrizantes na Pirâmide. Foto: IBJJF

Caio, aluno de Felipe Preguiça, foi o grande nome na faixa-marrom, após disputas eletrizantes na Pirâmide. Foto: IBJJF

O tão aguardado Campeonato Mundial de Jiu-Jitsu 2022 começou de maneira eletrizante na última quinta-feira, 2 de junho. A divisão faixa-marrom, com o trono vago desde que Pedro Machado foi graduado faixa-preta, conheceu seu novo rei.

Trata-se do craque Caio Vinicius “BB”, que conquistou o absoluto após derrotar o superpesado Rayron Gracie por 4 a 0. Derrotado na final do pesado, o atleta da FP Team/Gracie Barra se reergueu no torneio e raspou Rayron em duas oportunidades para garantir o ouro no peso aberto.

Caio teve adversários duros pela frente, mas usou suas guardas laçada e De la Riva como principais armas para derrotá-los.

Nas fases preliminares do absoluto, o aluno de Felipe Preguiça superou o casca-grossa Pedro José “Big Mac” por 4 a 2. Em seguida, Caio travou batalha frenética contra Helder “Tropeço”, e bateu o atual campeão brasileiro pesadíssimo por 10 a 6.

Na seminal, o guardeiro manteve o seu jogo afiado, conseguiu duas raspagens sobre José Jurema e segurou o placar de 4 a 0 até o fim.

O roteiro se repetiu na finalíssima, diante de Rayron, que vinha embalado após estrangular Arley Pacheco no arco e flecha. O habilidoso lutador raspou o prodígio da família Gracie via De la Riva, e estabilizou a posição. Na sequência, contra-golpeou o rival e garantiu mais dois pontos em outra raspagem para beliscar o ouro.

O gigante norueguês e outros destaques

Em uma das lutas mais emocionantes do dia, Cory Walker arrancou uma virada no finzinho para conquistar o ouro peso-galo. O atleta da Lloyd Irvin perdia por 2 a 0 para Reon Niwa, mas pegou as costas com 15 segundos restantes e superou o talento da AOJ.

Niwa, por sinal, foi uma das gratas surpresas do evento. O japonês foi o responsável por parar Shay Montague, atual campeão europeu, panamericano e brasileiro da categoria, nas semifinais, graças a uma vantagem a seu favor.

O peso-pluma coroou Thalys Pontes em dose dupla. Além da medalha de ouro, Thalys foi promovido faixa-preta no pódio. Na final da divisão, a fera da Cicero Costha finalizou o jovem craque Mourece Ramirez, com um leglock justo. A técnica foi o grande trunfo de Thalys na competição, já que ele também finalizou Jacob Cisneros desta mesma maneira na semifinal.

Após bater na trave na edição passada, Daniel Campos reinou no peso pluma. O representante da Atos faturou o lugar mais alto do pódio ao finalizar An Thieng com um estrangulamento de lapela a partir das costas. No total, Lucas venceu três das quatro lutas que disputou por finalização, o que confirma sua excelente fase nos tatames.

Um dos atletas mais formidáveis da nova geração, Carlos Henrique Costa foi o grande nome do peso leve. Antes de chegar à final, o prodígio da Dream Art emplacou três vitórias por finalização: triângulo, arco e flecha e armlock.

Na decisão, o fenômeno protagonizou um confronto dinâmico com Elijah Dorsey e levou a melhor por 6 a 0, com direito a uma pegada de costas sensacional nos segundos finais. Carlos Henrique ainda se aventurou no absoluto, mas foi finalizado por José Jurema nas quartas de final.

Além de Caio “BB”, outro aluno de Felipe Preguiça também brilhou na Pirâmide. Faixa-marrom apenas há três meses, Arley Pacheco teve desempenho triunfal para vencer o peso médio, uma das divisões mais acirradas da competição.

Depois de empilhar quatro vitórias, Arley superou Vinícius do Canto por uma vantagem na final e assegurou o ouro. Não satisfeito com o primeiro lugar na categoria, o craque se lançou no absoluto e chegou até as semifinais. No entanto, Rayron Gracie o finalizou no arco e flecha para avançar à final.

O campeão do peso meio-pesado atende pelo nome de Rui Alves. A promessa da Dream Art trocou o bronze conquistado na edição passada do Mundial pelo ouro nesta. O empolgante lutador levou a tão sonhada medalha após derrotar José Jurema por 7 a 0 na final, em combate bem disputado.

Rui acelerou o ritmo no último minuto, conseguiu defender uma tentativa de chave de pé do rival, e em seguida, passou a guarda e montou. Jurema, bem desgastado, fez o que pôde para frear o adversário, mas sucumbiu à pressão de Rui.

O único faixa-marrom capaz de parar Caio Vinicius foi Élder Cruz. E de forma surpreendente pelo rumo que a luta teve. Caio abriu 6 a 0 no placar e ainda conseguiu duas vantagens. No entanto, Élder não se entregou, reagiu e pôs em prática seu jogo poderoso em pé para mudar a tônica do duelo.

O atleta da Checkmat aplicou três quedas, quase finalizou o oponente no arco e flecha e arrancou um empate heroico. Na decisão, os árbitros confirmaram a vitória de Élder, que brilhou este ano, após ser vice na edição passada, diante de Pedro Machado.

Steffen Banta e Nicholas Maglicic protagonizaram uma das finais mais equilibradas do primeiro dia de competição. O passador da Alliance mordeu o ouro do superpesado ao vencer Maglicic por 5 a 4. Steffen furou a poderosa guarda do adversário e ainda conseguiu uma raspagem, posições que lhe garantiram o primeiro lugar.

Já Maglicic revidou com duas raspagens, só que não evitou a conquista do oponente. Nicholas foi uma das surpresas da categoria. O representante da Atos foi o responsável por bater Rayron Gracie por 9 a 0, com performance irretocável na semifinal. Na sequência, o filhão de Ryan Gracie vingou a derrota na divisão ao eliminá-lo nas quartas de final do peso aberto.

Os brasileiros dominaram grande parte das categorias na faixa-marrom. Mas não foi o caso nos pesadíssimos. O norueguês Kjetil Lydvo venceu o duro Helder “Tropeço” por 3 a 0, e se tornou o grande vencedor entre os gigantes. Lydvo enfileirou Seonghan King, João Marcelo Ribeiro e Pedro José “Big Mac” antes de brilhar na finalíssima.

Na faixa azul o grande nome foi o talentoso Tiago Nascimento, que se consagrou duplo campeão. Depois do ouro no peso pesado, o atleta da Alliance levou o absoluto ao bater João Vitor (Dream Art) na decisão. No pódio, Tiago foi promovido faixa-roxa por seu professor, Mario Reis.

Confira os resultados completos na faixa-marrom:

Masculino

GALO
Cory Walker derrotou Reon Niwa por 4 a 2

PLUMA
Thalys Pontes finalizou Mourece Ramirez com um leglock

PENA
Daniel Campos finalizou Na Thieng com um estrangulamento de lapela

LEVE
Carlos Henrique Costa derrotou Elijah Dorsey por 6 a 0

MÉDIO
Arley Pacheco derrotou Vinícius do Canto por uma vantagem

MEIO-PESADO
Rui Alves derrotou José Jurema por 7 a 0

PESADO
Élder Cruz derrotou Caio Vinicius na decisão dos árbitros

SUPERPESADO
Steffen Banta derrotou Nicholas Maglicic por 5 a 4

PESADÍSSIMO
Kjetil Lydvo derrotou Helder “Tropeço” por 3 a 0

ABSOLUTO
Caio Vinicius derrotou Rayron Gracie por 4 a 0

Feminino

GALO
Giulia Guimarães finalizou Margarita Prado com um armlock

PLUMA
Brenda Wunner derrotou Abbigayle Pontes por 2 a 0

PENA
Maria Cláudia Almeida derrotou Alanis Coral por 6 a 4

LEVE
Júlia de Jesus derrotou Emily Elizabeth por 4 a 2

MÉDIO
Amanda Hening finalizou Deise dos Santos com um armlock

MEIO-PESADO
Aurélie Le Vern finalizou Scarlett Anstiss-Liljefors com um triângulo de mão

PESADO
Tamiris Fernanda derrotou Paige Ivette por 3 a 0

SUPERPESADO
Mikaela Barros derrotou Danielle R Walker por 2 a 0

 

 

Ler matéria completa Read more

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.