Por que o Jiu-Jitsu é uma arte marcial única? Graças à guarda

Share it
Uma clássica raspagem no Jiu-Jitsu. Foto: Regis Chen/GRACIEMAG

Clássica raspagem balão no Jiu-Jitsu. Foto: Regis Chen/GRACIEMAG

[ Texto: Willian von Söhsten * ]

Quando um não praticante pergunta qual é o grande diferencial do Jiu-Jitsu brasileiro em relação a demais artes marciais, minha resposta é sempre taxativa: a guarda.

Existem no planeta diversas artes marciais que trabalham golpes de impacto, como socos e chutes. Há outras modalidades de luta agarrada que privilegiam a queda e a imobilização do oponente. Mas não há nenhuma como o Jiu-Jitsu, que trabalhe com tanta propriedade uma das posições mais difíceis numa situação de luta, que é a de cair por baixo.

Escutei certa vez alguém dizer que ser guardeiro é um atraso, pois o praticante trabalha contra a física e a gravidade. São pessoas que batem no peito, orgulhosos, para dizer que seus alunos são passadores natos. Para os que ainda têm essa mentalidade, perdão, mas talvez seja melhor mudar de esporte. Tentar a luta greco-romana, o judô ou o sambô, quem sabe.

Todos os célebres passadores da história do Jiu-Jitsu são também exímios guardeiros, vide Xande Ribeiro e Roger Gracie, apenas para citar dois condecorados campeões mundiais absolutos do Jiu-Jitsu.

A produção de outros fenômenos passadores de guarda, como por exemplo Rodolfo Vieira, só é possível porque a evolução da guarda ocorre a passos largos. Quanto mais técnicas são desenvolvidas por baixo, mais se tem a necessidade de treinar exaustivamente para vencer as barreiras de pernas do adversário. Por isso, e só por isso, nossos passadores são melhores do que os de outras modalidades – pois têm diariamente um imenso e habilidosíssimo material humano trabalhando com guarda nas academias.

É a guarda, no fim das contas, que permite ao atleta menor e mais fraco a oportunidade de vencer um oponente fisicamente superior. Poucos, por exemplo, imaginariam que o peso pesado francês Teddy Riner e o brasileiro Tiago Camilo poderiam fazer luta dura no judô. Ou que o massa bruta Daniel Cormier tivesse problemas para quedar Demetrious Johnson, lenda do peso-mosca do UFC. Nesses esportes a superioridade de peso, tamanho e força faz total diferença.

Mas no Jiu-Jitsu já presenciamos Paulo Miyao, ainda faixa-marrom, com seus 65kg, ser campeão mundial absoluto. E quem não se lembra da luta entre Rafael Mendes e Rodolfo Vieira, na final sem kimono em Abu Dhabi, que terminou com o empate entre o peso-pena e o peso pesado?

Tudo isso é possível porque, lá no passado, Carlos, Helio Gracie & cia tiveram a grande visão de trabalhar com afinco posições desconfortáveis no chão, e promover o estudo da guarda. Por isso, creio que um lutador de Jiu-Jitsu que só sabe fazer guarda é um atleta incompleto – mas ainda assim é um lutador de Jiu-Jitsu.

Por outro lado, aquele que se diz apenas passador, e não domina técnicas de guarda, não pratica de fato a arte suave revolucionária lapidada no Brasil.

Carlos Gracie Junior tem uma célebre frase, na qual diz: “A guarda é a fortaleza do lutador de Jiu-Jitsu”. Concordo cegamente. A família Gracie começou a trabalhar a guarda como se fosse uma muralha, capaz de suportar os mais criativos ataques inimigos. Com o tempo, a muralha ganhou novos muros e canhões e hoje, além de afastar, também é capaz de aniquilar seu oponente.

Lembre-se, então, amigo leitor. Para ser um grande passador, você também precisa treinar muito de costas para o chão. E então, qual é a sua posição de guarda favorita?

* Artigo escrito originalmente em 2015, nas páginas de GRACIEMAG. Willian von Söhsten é formado em jornalismo e direito, com pós-graduação em semiótica. É faixa-preta de Cícero Costha e professor de Jiu-Jitsu em Ribeirão Preto, SP.

Ler matéria completa Read more
There are 14 comments for this article
  1. Bruce Banner at 5:38 am

    A internet hoje em dia ajuda muito com informações e leva
    as pessoas aos lugares que elas nunca imaginaram, mas
    existem alguns artigos na internet que são pura perda de
    tempo. Posso dizer que seu artigo ajudou muito e também
    é extremamente útil. Obrigado pela informação e
    compartilhado no meu facebook.

  2. Pingback: Por que o Jiu-Jitsu é uma arte marcial única? Graças à guarda - MMA Crazies
  3. Pingback: Por que o Jiu-Jitsu é uma arte marcial única? Graças à guarda – Brain Athlete Sportz
  4. Pingback: Por que o Jiu-Jitsu é uma arte marcial única? Graças à guarda - how2bjj.com

Leave a Reply to Bruno Monteiro Cancel comment reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.