O segredo de André Galvão para enfrentar Gordon Ryan no ADCC 2022

Share it
Andre Galvão

André Galvão em ação no ADCC 2015. Foto: Ivan Trindade/GRACIEMAG

Faltavam menos de 10min para André Galvão encarar Roberto Cyborg na superluta do ADCC 2015, em São Paulo.

O líder da Atos andava de um lado e para o outro nos bastidores do Ginásio do Ibirapuera. Olhos fechados, corpo solto. Quase um transe. A esposa do craque, Angélica Galvão, alertou o repórter: “Não adianta esperar que ele não vai te ouvir.”

O ritual faz parte da preparação mental do seis vezes campeão do ADCC, que já tem compromisso marcado na próxima edição do evento, em 2022, na cidade de Las Vegas. O combate contra o americano Gordon Ryan será às vésperas do aniversário de 40 anos de Galvão.

“Essa questão da idade não me incomoda”, diz o faixa-preta, em entrevista exclusiva ao GRACIEMAG.com. “Treino, dedicação, técnica e vida balanceada! Isso tudo compensa os anos a mais. Claro, não depende só de mim. Tudo que conquistei até hoje tem a mão de Deus. Não sou perfeito, mas creio que tudo é possível a quem crê em Deus. Não há limites!”

De fato a técnica refinada e o gás sobrenatural dão confiança a Galvão na hora de acionar o “modo Gorila”. É assim que o craque apelida seu estado mental antes das grandes lutas, a forma com a qual ele constrói um cenário vencedor na cabeça, a fim de chegar “possuído” ao seu habitat natural: o tablado principal do ADCC.

“No dia da luta eu procuro entrar no foco total, e nada tira minha atenção. Procuro me motivar comigo mesmo, pensando em tudo que passei para chegar até ali. E aí vem a transformação de Galvão para Gorila! Gosto de lutar, amo o que eu faço, e independente de contra quem eu lute, vou pra vencer e dou o meu melhor, deixo tudo no tatame!”

Para quem acha que, por conta das provocações na internet (as quais culminaram até em agressões físicas nos bastidores de um evento no ano passado), Gordon Ryan não é exatamente um adversário como qualquer outro, ou seja, para os que especulam que a luta contra Ryan tem um viés mais pessoal, um “acerto de contas”, Galvão minimiza as polêmicas.

“Não tem nada diferente. Nada muda. Vou trabalhar o meu mindset da mesma forma como sempre fiz”.

Pedimos ao ídolo para detalhar esse processo de mentalização. Galvão respondeu:

“Isso começa bem cedo, assim que eu acordo. Procuro me manter não somente motivado, vou um pouco além: o sentimento é o de ficar muito feliz com o momento, e com tudo ao redor. Várias coisas podem acontecer durante o dia para tirar o meu foco, mas me preparo mentalmente para que nada tire a minha atenção do alvo. Também procuro pensar nas promessas que Deus fez para mim através de sua Palavra. Isso me motiva muito, e me dá muita confiança! Por fim, tomo um bom café da manhã e descanso até a hora da luta, que isso é importantíssimo. E aí, quando a hora do show chega… Aí é gorilar até o fim da luta! (Risos).”

Galvão e o cinturão da superluta do ADCC 2019. Foto: Jair Lacerda/Sinistro Photo Film

Em 2019, após vencer Felipe Preguiça na superluta do ADCC, Galvão teve o jogo analisado pelo ídolo Xande Ribeiro nas páginas de GRACIEMAG.

“O André é um especialista em lutar no ADCC, sabe se preparar para o tipo de combate mais longo, sem pegadas, conhece as regras do ADCC como ninguém…”, destacou Xande. “Além disso, ele é muito bom em pé e domina o chão, é completo. Enfim, o André tem a forma de competir no ADCC na palma da mão. Parecia um menininho lutando e foi constante ao longo de todos os trinta minutos do combate. Não saiu do ritmo, não perdeu pujança, sempre atacando… “.

Gordon Ryan também costuma ser elogiado pela maneira aguerrida de lutar, também não costuma cansar (ou pelo menos demonstrar cansaço). Em relação à parte técnica, muito se fala sobre o arsenal do americano no que diz respeito às chaves de calcanhar.

Perguntamos a Galvão: “Você vai fazer um treinamento específico para se blindar às chaves de calcanhar do Gordon Ryan?” O Gorila de San Diego respondeu:

“A equipe Atos sempre ajudou o esporte na evolução das técnicas do Jiu-Jitsu. Nunca paramos no tempo! Acho que não podemos parar no tempo. Graças a Deus temos a mente aberta e buscamos a evolução (mudança) sempre.”

Verdade. Ninguém duvida do potencial técnico do pupilo de Fernando Tererê, com ou sem kimono, ainda mais quando vemos um vídeo eletrizante como este que selecionamos abaixo. Confira Galvão em modo Gorila e prepare-se para um grande show em 2022. Oss!

Ler matéria completa Read more

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *