Polícia no sul do Brasil quer ver 100% de sua tropa praticando Jiu-Jitsu a médio prazo

Share it
Jiu-Jitsu: o principal reforço da tropa da Brigada Militar no Rio Grande do Sul. Foto: Divulgação

O faixa-marrom Henrique e o Jiu-Jitsu: o principal reforço da tropa da Brigada Militar no Rio Grande do Sul. Foto: Divulgação

Quando jovem, nos anos 1920, grande mestre Carlos Gracie não teve dúvidas por onde começar a disseminar o Jiu-Jitsu no Brasil: nas academias de polícia. Foi o que o perseverante aluno de Conde Koma procurou fazer, em incursões a grandes cidades como São Paulo e Belo Horizonte, entre outras.

Hoje, com a técnica de solo popularizada no mundo todo, em especial entre soldados dos Rangers, do Bope e outras tropas de elite, no Brasil o processo continua caminhando.

Uma das corporações policiais mais tradicionais do país, com 175 anos de lutas, a Brigada Militar tornou-se mais uma instituição a apoiar a prática do Jiu-Jitsu popularizado pelos Gracie.

Na cidade gaúcha de Bagé, a Brigada, cujas funções hoje envolvem serviços de policiamento ostensivo, rodoviário, ambiental, aéreo, bombeiros, atendimento ao turista e patrulha em áreas de fronteiras, lançou seu primeiro torneio interno de Jiu-Jitsu, a ser realizado neste domingo, 15 de dezembro. Sua meta, no entanto, é maior que oferecer medalhas.

Seu objetivo, a médio prazo, é que 100% da tropa se torne praticante do nosso Jiu-Jitsu. A meta é que, com o treinamento rotineiro, aumente a saúde e a eficiência dos oficiais para a atividade policial.

Em Bagé, os policiais militares treinam há cerca de oito meses, três vezes por semana, com o instrutor Henrique Curvelo, natural do Rio de Janeiro.

Como entende o capitão Augusto Ferreira Porto, trata-se da arte marcial perfeita para a atividade policial: “Afinal, ela mira a dominação sem golpes traumáticos, já que o Jiu-Jitsu é caracterizado pela luta de solo com a utilização de técnicas de alavanca, torções e pressões capazes de dominar e imobilizar qualquer oponente”, reforça o capitão.

As informações são do jornal local “Minuano”.

E na sua região, leitor de GRACIEMAG? A polícia já faz uso frequente do Jiu-Jitsu para o bem? Se você conhece uma boa história da arte suave na polícia, divida com a gente.

Ler matéria completa Read more
There are 11 comments for this article
  1. Virgulino Brasileiro at 1:14 pm

    Eu uso constantemente. Sou faixa preta do Rodrigo Feijão – Nova União – e sou bombeiro militar a 20 anos. Tem umas mil histórias. A ultima foi um ladrão, perseguido por uma galera de uma obra, e que invadiu o quartel fugindo. Cinturei, dominei as costas girando por baixo do braço, engatei o esgana-galo e, no chão, botei uma kimura pelas costas até a vtr chegar. O detalhe é que salvei a vida do ladrão, pois se o povo pega antes te mim, tinha linchado.

  2. Virgulino Brasileiro at 1:16 pm

    Nossa, tem história de briga de galera em evento, de suicida querendo pular de ponte, se cortar com faca, atirar na própria cabeça…Tem história de bêbado tentado matar a mulher, drogado tentando matar a mãe, tudo resolvido no mais puro jiu jitsu! Dava pra escrever um livro!

  3. Lms Martins at 11:04 pm

    Ótimo, sou policial militar em Foz do iguaçu (fronteira com Paraguay e Argentina), Parana, e aqui também existe uma projeto parecido, com estrutura dentro do 14º Batalhão. Sou praticante da arte suave (Nova União) a vários anos e já utilizei da mesma por algumas dezenas de vezes, como o colega Virgulino. O Jiu Jitsu não só oferece para o policial um ótimo condicionamento físico, mas principalmente, o alto controle em como agir em qualquer tipo de ocorrência. BJJ Oss

  4. Musashi Tonysamurai at 3:38 am

    EM MINAS GERAIS TEM UM PROJETO DE JJ NA 1°CIAMESP, CONTAGEM. COMECEI A TREINAR LÁ E JÁ FAZ 02 ANOS. MELHOROU MTO A MINHA SAUDE MENTAL. É INCRIVEL, POIS ALGUMAS VEZES, APENAS A POSTURA E CONFIANÇA DE UM LUTADOR DE JIU-JITSU JÁ FAZ O INFRATOR RESPEITAR MAIS.

  5. Musashi Tonysamurai at 3:49 am

    ACREDITO QUE UM DOS MAIORES BENEFÍCIOS DESSA INICIATIVA É TORNAR O POLICIAL MAIS JUSTO E CIVILIZADO, EVITANDO EXCESSOS, COMO TORTURAS E ABUSOS. POIS, O VERDADEIRO GUERREIRO UTILIZA ESTA ARTE PARA TESTAR SUAS HABILIDADES EM TORNEIOS E COMO UMA TERAPIA, DESCARREGANDO AS TENSÕES NOS TREINOS. É ISSO QUE NÓS APRENDEMOS COM A ARTE SUAVE.

  6. Henrique Curvelo at 8:33 pm

    Acredito que as técnicas do jiu-jitsu possam vir a contribuir positivamente para o esquadrão tornando nossa polícia ainda mais consciente e precisa em suas abordagens de rotina.
    Pra mim é uma honra poder contribuir no conforto e na segurança dos bajeenses.
    Em nome da equipe Balance Jiu jitsu, com imensa satisfação, agradeço ao capitão e também parceiro de treino: Augusto Porto, por sua visão e por fazer do BALANCE JJ parte desse projeto.

Leave a Reply to Ademir Brasil Filho Cancel comment reply

Your email address will not be published.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.