O mandamento número 1 no Jiu-Jitsu e 10 dicas para você que é faixa-branca

Share it

Estrangulamento de faixa-branca. Foto: Ivan Trindade/ GRACIEMAG

Neste sábado, estude dez dicas preciosas para iniciantes de Jiu-Jitsu, pelo professor Rafael “Gordinho” Lima, instrutor chefe da academia Start em Miami, Flórida.

1. Na hora de escolher sua academia de Jiu-Jitsu, evite ao máximo cair na tentação de optar pela que fica mais perto ou pela que seja mais barata. Jiu-Jitsu é para vida toda. Avalie, portanto, a reputação da escola e do professor.

2. A escolha do primeiro kimono, por outro lado, é menos importante. Comece com o mais barato ou aquele que é vendido na sua academia. Ao progredir, você terá tempo de sobra para testar as mais diversas marcas, a que se ajusta melhor a você, a mais durável etc. Para começar a treinar, qualquer kimono é adequado.

3. Nos primeiros seis meses de Jiu-Jitsu, você provavelmente será inundado de conselhos, dicas e toques de diversas pessoas – companheiros de treinos, amigos, veteranos, o Youtube. Dê ouvidos apenas ao seu professor, ao mestre que você escolheu. Confie no que ele diz para solidificar sua base de treinamentos. Pelo menos por seis meses, mantenha seu ouvido vedado para conselhos dos outros. É o melhor jeito de você não ficar confuso, com a mente cheia de
interrogações e dicas contraditórias.

4. É importante você entender logo de cara o processo de aprendizagem do Jiu-Jitsu, que pode ser resumido em: 1) Defender 2) Controlar 3) Atacar. Tenha isso em mente desde o início, e você vai compreender mais facilmente o conceito de cada movimento ou golpe. Jiu-Jitsu não é só tentar finalizar. Defenda, controle e ataque, sempre.

5. Evite contusões: procure treinar com a cabeça sempre voltada para a parede. É a maneira mais eficaz de impedir que algum grandão treinando por perto caia em cima de vocês.

6. Chegou a alguma posição confortável? Ótimo, procure ficar um tempo ali. Só preste atenção numa coisa – o oponente precisa estar desconfortável também. Aí sim você está numa posição perfeita.

7. O mandamento número um nos treinos de Jiu-Jitsu é procurar fazer menos força. O problema é que o iniciante demora a perceber isso e gasta força em excesso quando está numa posição de sufoco. Pense o seguinte: fazer força só causa mais cansaço! A força não vai ajudar você em nada, muito menos a sair dali. Nossa arte é um jogo mental. Cabeça no lugar e a tranquilidade ajudam na vitória. Pouco a pouco, desde a faixa-branca, procure aceitar o desconforto numa boa, sem
desespero, e se não der mais dê os três tapinhas.

8. Quer ter uma guarda boa? Procure ter uma reposição de guarda ótima. A guarda excelente é aquela que ninguém passa – mas não importa se o oponente abre ou quase passa, certo? Ao aprender desde cedo a arte de repor, você frustra o passador o tempo todo. Treine sempre isso, no aquecimento, com muitas repetições.

9. Para quem não treina Jiu-Jitsu, muita vezes o muque ou o bíceps é sinal de um atleta forte. Esqueça isso. A parte do corpo mais importante para o lutador fortalecer é o núcleo do corpo: abdome, lombar, peito e costas. Invista num núcleo forte e em bons exercícios de quadris. Converse com seu professor como fortalecer e treinar estas áreas no aquecimento.

10. Lição de Jiu-Jitsu, e para a vida toda: sentiu-se em situação de perigo? Bote as costas no chão. Se estiver em pé, procure colar as costas na parede. Só de frente você consegue encarar adequadamente uma ameaça.

* Essas valiosas dicas de Rafael Gordinho foram publicadas em nossa revista, na edição GRACIEMAG #193. Se você gostou e quer aprender mais, assine sua revista de Jiu-Jitsu favorita hoje mesmo, aqui.

Assine e Leve um Kimono Koral Exclusivo

Ler matéria completa Read more
There are 7 comments for this article
  1. Jonathas Fernandes at 3:50 pm

    "Dê ouvidos apenas ao seu professor"? Não concordo, qualquer conhecimento é bem vindo, se eu vou usá-lo ou não, é outra história. Quase tudo que sei devo ao meu mestre Alberto Bremgartner e Alex Naiff, e tem coisas que faço até hoje que não foi meu professor que me ensinou.

  2. Philippe Berto at 4:56 pm

    Ah cara, o que entendi é quando se está começando, o faixa branca não sabe discernir bem o que é bom e efetivo, e o que ele deveria descartar. Eu treino a três anos, não é muito nem comecei ontem, e sempre existem posições que eu vejo e levo pro meu prof pra confirmar a eficácia da posição. Não vale a pena investir em algo menos técnico e pouco efetivo, e o branca que está começando não sabe ainda diferenciar essas coisas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.