UFC 165: Jon Jones vence por pouco e Renan Barão nocauteia com chute rodado

Share it

A canhota de Jones entrou, e o campeão se mantém campeão. Foto: UFC/Getty Images

Apesar de ter mais da metade das lutas decididas pelos jurados, o card do UFC 165, que deixou um pouco a desejar nas preliminares, entrou de sola para levantar o público em Toronto no card principal.

O evento, realizado nesse sábado, dia 21, foi liderado pela épica batalha na qual Jon Jones defendeu seu cinturão meio-pesado contra Alexander Gustafsson, e por mais uma defesa de Renan Barão, se mantendo dono do cinturão interino dos pesos galos ao superar Eddie Wineland. Confira os destaques:

Jones passa sufoco mas vence Gustafsson na decisão

Pela primeira vez sentindo claramente seu cinturão sendo ameaçado, Jon Jones passou por maus lençóis para  vencer o sueco Alexander Gustafsson na luta principal do UFC 165.

Decidido a roubar a cinta, Gustafsson entrou com fome de luta, golpeando de longe, medindo bem a distância e atacando um surpreso Jones.  De tanto investir, o sueco conseguiu abrir um ferimento logo no primeiro assalto no rosto de Jones. Como se não bastasse, o arisco Gustafsson ainda conseguiu anotar seu nome ao derrubar, pela primeira vez no UFC, o até então inderrubável Jones.

Rechaçando as investidas de queda por Jones, Alexander seguiu com vantagem no segundo assalto, porém este mais equilibrado que o anterior. Socos, chutes e tentativas de quedas voavam entre os meio-pesado ali presentes, um lutão.

A coisa mudou no terceiro assalto. Como se tivesse acordado na luta, Jones começou a imprimir seu ritmo. Gustafsson, ainda vivo na batalha, respondia tudo com combinações e chutes. Mas o campeão mostrou mais contundência, incluindo na equação os chutes que magoavam a base do sueco, que sentiu disfarçadamente o joelho esquerdo, alvo dos chutes.

Com Gustafsson perdendo o gás, o guerreiro Jones foi pra cima, e começou a arriscar suas cotoveladas devastadoras.  No quarto round, uma dessas pegou Alexander em cheio, e quase liquidando a luta, o sueco sobreviveu e deixou o mistério para o quinto assalto. Quem venceria?

E neste, reinou o espírito do campeão. Controlando a luta, atacando na distância, sem se expor e dosando o gás com golpes precisos e menos constantes, Jones garantiu três de cinco etapas para permanecer como campeão peso meio-pesado do UFC. Vitória na decisão unânime.

Barão vence mais um e Dominick Cruz entra na linha de tiro 

Barão e o chute rodado que desmontou Wineland. Foto: UFC/Getty Images

Oito anos de invencibilidade. 20 vitórias. Cinco no UFC, sendo uma para conquistar o cinturão interino dos pesos-galos e uma defesa de cinturão. Com esses números, Renan Barão entrou no cage do Ultimate para o coevennto principal contra Eddie Wineland. O americano ex-campeão do WEC entrava na missão de roubar a cinta interina e ter a chance de unificar contra Dominick Cruz o título. Tinha no seu caminho, apenas, o jovem brasileiro de Natal que há anos não conhece o sabor da derrota.

No início do assalto Wineland veio correndo até o raio de ação de Barão, que  não esboçou reação. Compacto em sua guarda, o justo faixa-preta de Jiu-Jitsu mostrou calma e manteve a base, esperando as investidas de Eddie para responder no contragolpe. Barão foi superior nas investidas e ficou com 10-9 no primeiro assalto.

Na segunda etapa, a luta vinha se encaminhando da mesma maneira, até que, aos 35s de combate, Barão soltou um chute rodado com a perna direita, que acertou o maxilar de Wineland, levando o americano ao solo já com interferência no áudio e vídeo. Após a lambada, Barão correu para cima, fechando o combate por cima. Vitória mais que convincente do campeão interino, que segue sonhando com o almejado título definitivo de campeão peso-galo do UFC.

Além de Barão, mais três brasileiros que atuaram no card, todos nas preliminares. Estreando no UFC< Wilson Reis venceu o duro Ivan Menjivar na decisão, Michel Trator superou Jesse Ronson e Renee Forte foi nocauteado por John Makdessi no primeiro round.

Outros destaques da noite ficaram com o triângulo de mão de Brendan  Schaub que apagou Matt Mitrione, Mitch Gagnon que também apagou o oponente, o havaiano Dustin Kimura, na guilhotina, e para Khabib Nurmagomedov, que superou Pat Healhy em grande luta, somando mais um vitória a um cartel perfeito com 21 lutas e nenhuma derrota, empate ou no contest.

Confira os resultados oficiais:

UFC 165
Toronto, Canadá
21 de setembro de 2013

Jon Jones venceu Alexander Gustafsson na decisão unânime dos jurados (Luta da noite)
Renan Barão venceu Eddie Wineland por nocaute técnico aos 35s do R2 (Nocaute da noite)
Brendan Schaub finalizou Matt Mitrione no triângulo de mão aos 4min06s do R1
Francis Carmont venceu Costa Philippou na decisão unânime dos jurados
Khabib Nurmagomedov venceu Pat Healy na decisão unânime dos jurados

Card preliminar

Myles Jury venceu Mike Ricci na decisão dividida dos jurados
Wilson Reis venceu Ivan Menjivar na decisão unânime dos jurados
Stephen Thompson nocauteou Chris Clements a 1min27s do R2
Mitch Gagnon finalizou Dustin Kimura na guilhotina aos 4min05s do R1 (Finalização da noite)
John Makdessi nocauteou Renee Forte aos 2min01s do R1
Michel Trator venceu Jesse Ronson na decisão dividida dos jurados
Alex Caceres venceu Roland Delorme na decisão dividida dos jurados
Daniel Omielańczuk nocauteou Nandor Guelmino aos 3min18s do R3
Assine e Leve um Kimono Koral Exclusivo

Ler matéria completa Read more
There are 7 comments for this article
  1. Marcus Vinícius Mendes at 12:58 pm

    eu achei q poderia ter sido um empate ou decisão dividia para qualquer dos 2!!!! mas respeito a decisão dos juízes!!!! boa luta!!!!

  2. Marcus Vinícius Mendes at 12:58 pm

    eu achei q poderia ter sido um empate ou decisão dividida para qualquer dos 2!!!! mas respeito a decisão dos juízes!!!! boa luta!!!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *