Veja o “abraço do urso” de Michelle Tavares em cima de Nicolini na seletiva do ADCC

Share it

Michele Tavares trabalha por cima de Michelle Nicolini. Foto: Gustavo Aragão/GRACIEMAG

Atleta da Nova União, Ana Michelle Tavares roubou a cena ao vencer categoria até 60kg na seletiva do ADCC no Rio, no último sábado, no ginásio do Maracanãzinho.

Após garantir o pacote para o evento principal em Pequim, em outubro próximo, a faixa-preta comentou os detalhes da conquista com GRACIEMAG. Confira.

GRACIEMAG: O que fez a diferença para vencer tantas concorrentes duras?

MICHELLE TAVARES: Acho que eu estava no meu dia. Tudo parecia mais fácil de acontecer, estava me sentindo muito bem. Apenas não queria errar. Lembrava o tempo todo dos meus parceiros de treino, da minha filha. E o quanto eles ficariam felizes com um bom resultado. Quando é seu dia e você está preparada para lutar, você respira e tudo acontece de forma perfeita. Na verdade, o que também faz diferença ali é que a maioria quer lutar Jiu-Jitsu, mas o esporte sem kimono é outra coisa. Desde a minha primeira luta eu caí dentro como se fosse a final. Encarei, por exemplo, a Jessica Cristina, que também vem travando boas batalhas, e consegui transformar a luta dura em uma vitória simples. Era meu dia, eu me sentia merecedora e preparada para qualquer luta.

Como foi a final contra a Michelle Nicolini, na sua visão?

A Nicolini para mim é a melhor competidora do momento. Eu conseguia enxergar tudo que acontecia, tive de ter paciência e me policiar para não dar espaço para as posições fortes dela. Lógico, estamos sempre ligados na posição forte de nosso adversário. Mas hoje eu tenho uma aluna que faz a mesma raspagem que a Nicolini e faz muito bem, e assim treinamos em cima disso. Para passar, acabei usando o clássico abraço do urso (risos). É a pegada para segurar a danada, afinal ou eu segurava ou estava em zona de perigo total. O que fiz foi abraçar ganhando a esgrima e dominando o tronco para passar.

Você acabou enfrentando sua amiga Ana Maria índia (GFTeam/Team Nogueira) na semifinal. Qual foi a sensação?

Lutar com a Ana foi uma evolução emocional, já que ela é minha irmã. Tinha certeza que a luta seria linda, ela gosta de soltar o jogo, sem amarração. Joguei com o relógio e as regras. No mais me senti como numa boa festa com minha amiga. Gosto muito de você, Ana!

Agora você pretende voltar a competir mais de kimono para ficar no ritmo?

Estamos estudando a melhor hora. Tenho trabalhado bastante dando aula. E o ritmo das meninas competidoras está frenético. Venci e já voltei para dar aulas, o compromisso é diário!

Ler matéria completa Read more
There are 15 comments for this article
  1. Pingback: My BJJ Professor is Awesome | RayRay in Rio!

Leave a Reply to Bianca Gonçalves de Andrade Cancel comment reply

Your email address will not be published.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.