Adeus, Strikeforce: Roger e Jacaré finalizam; Cormier provoca Frank Mir

Share it
Após a luta, missão cumprida: "O Roger está se tornando um lutador melhor e um homem melhor a cada desafio desses", comentou Renzo Gracie, seu córner.

Roger Gracie com Renzo, no Strikeforce. Foto: Esther Lin/Strikeforce (Arquivos GRACIEMAG)

Ronaldo Jacaré e Roger Gracie não decepcionaram, e deixaram o Strikeforce e os fãs de Jiu-Jitsu descansar em paz.

No bom sentido, claro.

O primeiro a entrar em ação foi Roger Gracie, arquirrival de Jaca, hoje melhores amigos.

A tática de Roger Gracie para a luta com Anthony Smith, no Strikeforce, foi resumida em um papo com os amigos após um seminário em dezembro, no Rio de Janeiro.

“Se ele tentar vir me socar com vontade, vai se abrir mais para as quedas. Se ficar atento às pernas, vou soltar meus jabs e ganchos também”, disse.

Dito e feito, e na noite de sábado, em Oklahoma City, no estado homônimo, o Gracie conseguiu chegar no pescoço de Smith no segundo assalto, na primeira luta televisonada da noite.

Apesar de contar com Lyoto Machida e Renzo Gracie no córner, não houve moleza para o carioca radicado na Inglaterra. Na primeira parcial, Anthony já começava a se animar nos socos, e especialmente nos chutes na perna do Gracie.

Roger, atrás no placar, começou o segundo round com mais ímpeto, e esquentou enfim – como se acostumou a fazer nas competições de Jiu-Jitsu. Socou um pouco, clinchou na grade e encaixou o double-leg.

Dali, foi rapidamente para o lado, montou e voltou para o lado direito – desta vez com os braços enlaçados no pescoço do jovem talento americano, que só pôde bater no katagatame, aos 3min16 do segundo assalto.

Ronaldo Jacaré bom no mata-cobra

Ronaldo Souza, o Jacaré, é daqueles personagens que o UFC e o povo brasileiro vai adorar torcer. Quando moleque, em Vila Velha, no Espírito Santo, flertou com a criminalidade, e só saiu vivo dessa após ver um dos seus melhores amigos morrer à bala, perto dele.

O Jiu-Jitsu virou a vida de Ronaldo pelo avesso, empurrando-o para o sucesso desde a faixa-roxa. Em Oklahoma, Jaca seguiu escada acima, rumo ao topo.

Contra o experiente Ed Herman, um lutador do UFC com 30 lutas e vitórias sobre Glover Teixeira, entre outros, Jaca topou a luta em pé, e caiu sempre por cima. Herman arriscou até uma chave de tornozelo, defendida com graça pelo réptil criado em Manaus, formado pelo professor Henrique Machado.

Ainda no primeiro assalto, no finzinho, Jaca foi para cima. Primeiro, soltou uma bicuda. Ed se afastou e o brasileiro soltou dois mata-cobras na orelha. O americano ficou a mercê do double-leg, e Jacaré livrou-se da meia-guarda e caiu já do lado, arrochando a chave kimura. Após alguns segundos em que o cotovelo de Herman parecia de borracha, os três tapinhas.

E ainda houve as finalizações de Gegard Mousasi e Tim Kennedy, além da atuação segura do campeão de Jiu-Jitsu Adriano Martins, fera do Amazonas revelada no Jungle Fight. Que noite para o Jiu-Jitsu, amigos.

Cormier sopra luta contra Frank Mir, no UFC de 20 de abril

Outro destaque da noite foi o peso pesado de pouca envergadura e muita potência Daniel Cormier. O americano distribuiu quedas e boas bolachas no holandês Dion Staring, que estava com o parceiro Alistair Overeem no córner. Dion resistiu valentemente no primeiro assalto, mas no segundo não aguentou as cotoveladas e socos da montada, e virou-se e pediu a conta.

Ao microfone, Daniel não quis saber de embromação, e soltou que espera Frank Mir no UFC, ao vivo na Fox, no evento do dia 20 de abril. E ainda completou: “Quero ver Jon Jones vencer o TUF, pois também vou encaçapá-lo”. Ou algo parecido.

Na última luta da história do evento, o belga Tarec Saffiedine usou os chutes para derrotar Nathan Marquardt e ficar com o cinturão até 77kg do evento. Este vai para a parede na Bélgica, e ninguém mais pega.

Strikeforce: Marquardt vs Saffiedine
Chesapeake Energy Arena, Oklahoma City, Oklahoma
12 de janeiro de 2013

Tarec Saffiedine venceu Nate Marquardt na decisão unânime dos jurados
Daniel Cormier venceu Dion Staring por nocaute técnico a 4min02s do R2
Josh Barnett finalizou Nandor Guelmino no katagatame da montada aos 2min11s do R1
Gegard Mousasi finalizou Mike Kyle no estrangulamento pelas costas aos 4min09s do R1
Ronaldo Jacaré finalizou Ed Herman na kimura aos 4min38s do R1

Card Preliminar (TV Showtime Extreme)

Ryan Couture venceu KJ Noons na decisão dividida dos jurados
Tim Kennedy finalizou Trevor Smith na guilhotina a 1min36s do R3
Pat Healy venceu Kurt Holobaugh na decisão unânime dos jurados
Roger Gracie finalizou Anthony Smith aos 3min16s do R2

Preliminar (sem TV)

Adriano Martins venceu Jorge Gurgel na decisão unânime
Estevan Payan venceu Michael Bravo por nocaute técnico aos 4min01s do R2

Ler matéria completa Read more
There are 2 comments for this article

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.