O golpe de Jiu-Jitsu do “Zumbi Coreano” que levantou os fãs no UFC on Fuel

Share it

Chang Sun Jung e seu triângulo de mão no UFC: finalização da noite e bônus. Foto: Divulgação/UFC

Como o GRACIEMAG.com havia previsto, o sul-coreano Chang Sun Jung comprovou a força de seu Jiu-Jitsu na noite de ontem, em Fairfax, pelo UFC on Fuel 3.

O “Zumbi Coreano” encarou Dustin Poirier não ficou apenas nisso, e deu uma aula em pé e no chão no Octagon. No segundo assalto, Chang encaixou armlocks, omoplatas e triângulos, todos muito bem defendidos pelo americano. Mas o mérito do Jiu-Jitsu é ter paciência e ir minando o oponente com ataques duplos, e o lutador asiático alcançou a finalização no quarto round.

Depois de acertar bons golpes e uma joelhada voadora, o candidato ao cinturão de José Aldo enfim encerrou a luta, e em grande estilo, com um justíssimo estrangulamento de mão.

O papel do abdome no golpe

“Ele fez tudo certinho. Encaixou o triângulo e jogou o abdome para cima da cabeça do adversário”, reparou o professor de Jiu-Jitsu Elinor Batista, que é líder da equipe cearense Garra Fight. “O americano não bateu e acabou apagando, realmente é muita pressão”.

O combate e seu desfecho valeram o bônus de melhor luta e melhor finalização da noite. Já o nocaute da edição foi para Tom Lawlor, que precisou de parcos 50 segundos para levar o veterano Jason MacDonald à lona.

Confira, no vídeo abaixo, como finalizar de forma parecida com o kimono. Repare que o cadeado bem fechado e a direção do seu tronco contra a cabeça do oponente são importantes para o golpe dar certo.

UFC on Fuel 3

Patriot Center, Estados Unidos

15 de maio de 2012

Chang Sun Jung finalizou Dustin Piorer com um estrangulamento no R4
Amir Sadollah venceu Jorge Lopez na decisão dividida dos jurados
Donald Cerrone venceu Jeremy Stephens por decisão unânime dos jurados
Yves Jabouin venceu Jeff Hougland por decisão unânime dos jurados
Igor Prokrajac venceu Fabio Maldonado por decisão unânime dos jurados
Tom Lawor venceu Jason MacDonald por nocaute no R1
Brad Tavares venceu Dongi Yang na decisão unânime
Cody Mackenzie finalizou Marcus Levesseur com uma guilhotina no R1
T.J Grant venceu Carlo Prater por decisão unânime
Rafael dos Ajos finalizou Kamal Shalorous com um mata-leão no R1
Johnny Eduardo venceu Jeff Curran por decisão unânime
Francisco Rivera venceu Alex Soto por decisão unânime

Ler matéria completa Read more
There are 12 comments for this article
  1. Fernando Henriques at 3:34 pm

    Todos os golpes usados no solo são oriundos do jiu-jitsu? Ou melhor, tradicionalmente oriundo do jiu-jitsu brasileiro? Não creio que o Chan Sung Jung tenha um bom jiu-jitsu, mas ele sim tem um ótimo jogo de grappling.

    Lendo somente este veículo, ficamos até com a impressão de que luta no solo,m só existe o jiu-jitsu.

    Outra coisa, como o amigo citou antes de mim, o professor no vídeo ensina sim um triângulo de mão, mas na luta o Korean Zombie usa mesmo é o que lá foram chamam de brabo choke, ou d’arce choke, que pode ser considerado uma variação do triângulo de mão, porém é um golpe totalmente diferente, mais difícil de ser defendido e que não precisa tanto do abdômen, como comentando.

    Agora, até onde eu sei. como praticante e, acima disso, fã de artes marciais, esses dois tipos de estrangulamentos de braço são mais tradicionais na chamada luta livre brasileira, ou luta livre esportiva, que tem há anos amplo intercâmbio com o jiu-jitsu. E mesmo nela, o golpe é uma variação/evolução do chamado Gator Roll do wrestling ou Luta Olímpica, arte irmã e também mãe da luta livre esportiva. No wrestling, como todos sabem, não há finalização e por isso o movimento era usado para girar o adversário e colocá-lo de costas no chão, com ajustes, hoje em dia faz muita gente bater.

    Abraços!

    • graciemag at 4:09 pm

      Fala Fernando. Não, de fato nem todos os golpes do chão são oriundos do Jiu-Jitsu. Mas são, todos, objetos de estudo dos professores e praticantes de Jiu-Jitsu, por isso sempre falamos da arte suave. O Jung começou no hapkido, competiu no sambo e hoje treina Jiu-Jitsu. A procedência dos golpes realmente não foi colocada em questão por nós.

      O importante, achamos, é ter sempre a cabeça aberta para todos os estilos, e usar, analisar e estudar o que for melhor para o seu jogo. A nota sobre Anderson Silva que está na capa do site é uma das milhares de vezes que reforçamos a mente aberta.

      Seja como for, o Zumbi hoje treina Jiu-Jitsu, é faixa-azul ou se bobear roxa, depois de terça-feira, e certamente tem lapidado o triângulo de mão, o Brabo Choke e suas variações na academia sul-coreana.

      Abração e mande sempre comentários ou mesmo ideias de novas pautas.

      • Fernando Henriques at 4:26 pm

        Obrigado pela pronta resposta. Continuarei comentando sim, é um site que gosto de visitar, apesar dessa lado muito jiu-jitsu, que é natural considerando o público-alvo e o qual popular a arte.

        Eu tenho minha mente aberta e corroboro para este pensamento, vejo vídeo-aulas de judô, sambo, wrestling e assim constatemente surpreendo companheiros de treino. Hoje em dia, até pela popularização do MMA, acredito que não cabe dizer que um golpe é dessa ou aquela arte, ou que o cara é bom nisso ou naquilo (artes marciais), eles treinam muitas coisas. Como veículo informativo (talvez não aqui, polo do jiu-jitsu na internet, digamos assim), acho mais interessante citar striking ou grappling, acredito ser mais coerente (escrevo na http://www.feedbackmag.com.br).

        Sobre a base de solo do coreano, pelo alto nível, julgo ser muito mais oriunda de sua maior experiência no Sambo do que no jiu, onde vocês mesmo disseram, ele é azul. Eu mesmo nunca vi um azul, de luta livre ou jiu-jitsu, pegar alguém num twister, como ele fez contra o Leonard Garcia, em sua finalização anterior. O estilo dele no solo é bem peculiar ao sambo, mas claro, treinos de jiu-jitsu certamente tem ajudado.

        É isso, sigam com o ótimo trabalho!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *