Faixa-preta fala do poder do Jiu-Jitsu na Bélgica

Share it
Paulo Brasil é faixa-preta de Jiu-Jitsu

Paulo Brasil ensina e treina Jiu-Jitsu na Bélgica. Foto: Arquivo Pessoal

Paulo Brasil é um dos principais professores de Jiu-Jitsu em Anderlecht, na Bélgica. Por lá, o faixa-preta tem melhorado a qualidade de vida de dezenas de estudantes da Gracie Barra, escuderia fundada por mestre Carlos Gracie Jr.

Estudioso do Jiu-Jitsu há mais de 15 anos, Paulo conta as principais mudanças que o Jiu-Jitsu tem realizado entre os belgas.

“Minha experiência mais agradável em relação ao Jiu-Jitsu é como eu consigo impactar a vida das pessoas positivamente através desse esporte. Aqui na Bélgica, recebo muito feedback dos locais sobre como eles mudaram sua qualidade de vida. Quando você pratica o Jiu-Jitsu, você precisa abdicar de hábitos ruins como dormir tarde e comer mal. Muito aluno meu perdeu peso, passou a dormir melhor e reduziu o estresse durante o trabalho normal. É gratificante quando eles me contam isso, fico realizado como treinador. Afinal, o Jiu-Jitsu nos dá muita coisa além da medalha, a gente se torna um ser humano melhor. Dou aula há dez anos, são experiências incríveis”, ressalta Paulo.

Assíduo competidor, com medalhas importantes em torneios do ADCC, UAE JJ e IBJJF, Paulo detalha a popularidade que o esporte está ganhando por lá e o que ele espera ver em cinco anos.

“O Jiu-Jitsu ainda está crescendo na Bélgica, e diferente do Brasil ainda não vejo muitos praticantes com desejo de levar a vida somente com o Jiu-Jitsu. Mas estamos chegando a um patamar maior e a cada ano mais escolas são abertas por aqui. Mostramos como o Jiu-Jitsu pode ser usado como ferramenta de desenvolvimento pessoal. Daqui a cinco anos espero ver meus atletas com potencial para ser campeões mundiais”, projeta Paulo.

O faixa-preta está em preparação para a seletiva do ADCC na Europa. Ele sonha em conquistar a vaga para o torneio de grappling em 2022, em Las Vegas.

“Contratei um professor de wrestling e tenho feito preparação física três vezes por semana focada no trabalho de força. Minha categoria é pesada e exige muita força. É muito Jiu-Jitsu, wrestling e preparação física. Para vencer no ADCC é preciso ter muita resistência e um mental bem forte, mas creio que estou ficando pronto”, encerra Paulo Brasil.

Ler matéria completa Read more

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.