A filosofia do ataque duplo no Jiu-Jitsu

Share it

Augusto Tanquinho ensina ataques duplos. Foto: Gustavo Aragão

A tática de Fabricio Werdum para vencer o mais temido dos lutadores de MMA era puro Jiu-Jitsu. Primeiro, iludir Fedor Emelianenko de modo que o russo se sentisse confortável, para num átimo de segundo, deixá-lo desconfortável como nunca estivera antes.

A segunda parte do plano era ainda mais vital: o ataque duplo. Trata-se da arma que ajuda a fazer do Jiu-Jitsu a arte marcial mais eficiente do mundo como defesa pessoal, e por isso eficiente como técnica para MMA.

“Eu não conseguia decidir se eu ia no pescoço ou no braço”, comentou Werdum após a vitória no Strikeforce do dia 26 de junho. Nem precisava decidir. Praticantes de Jiu-Jitsu experimentados como Fabrício entendem que, no ataque duplo, é o adversário que “decide” onde vai ser finalizado. Pois, ao defender A, ele oferece B.

“O ataque duplo foi excelente. Quando o Fedor defendia o pescoço, eu ia para o braço e vice-versa. E assim eu ajustava mais o triângulo”, explicou Werdum, após a aula. De fato, o peso pesado russo tentou com todas as forças livrar a cabeça do triângulo. Porém, quando o fazia, a pressão no cotovelo era demais até para o todo-poderoso Fedor Emelianenko, e ele era obrigado a voltar, deixando o pescoço em situação cada vez mais complicada. O arrocho estava cada vez mais justo. Até que veio o tapinha único, discreto e constrangido.

A armadilha dupla que capturou Fedor, contudo, não consiste apenas num simples golpe. É uma filosofia fundamental do Jiu-Jitsu. Você pode (não, você deve!) desenvolver ataques duplos em todos os aspectos do seu jogo, caso contrário o oponente sempre terá a fuga facilitada. Quanto mais opções de ataque, mais o beco do adversário se estreita – e mais o seu Jiu-Jitsu se torna qualificado. Duplamente qualificado.

Aqui, GRACIEMAG convidou o professor Augusto Mendes, o Tanquinho da academia Soul Fighters, para ensinar algumas opções de ataque duplo. O principal, entretanto, é você adotar essa filosofia em todo seu treinamento, e sempre pedir a seu mestre ataques alternativos, ou seja, mais opções para o seu cardápio. Assim, e só assim, você terá um Jiu-Jitsu forte, eficiente, completo – e capaz de capturar até o oponente mais temido.

1. Ippon seoi nage + couchi gari: Execute uma falsa entrada de ippon seoi nage, o que vai levar seu oponente a manter o tronco ereto para defender a queda. Você então parte para o “plano B”, o ataque de couchi gari: prenda a perna de base dele, e use a pressão do seu ombro no tronco dele, para ajudar a derrubar.

2. Ataque duplo lateral: Da imobilização lateral, mude sua posição para o ataque norte-sul. Use a mão para puxar a cabeça do oponente para o triângulo (seu plano A). Ao preocupar-se com o pescoço, ele deixa o braço descoberto para você encaixar a kimura (plano B). Para finalizar por A + B, aperte o triângulo juntando os joelhos e leve o braço da kimura para a escápula do oponente, conforme a foto mostra.

3. Kimura + chave de braço: Do lado, encaixe a kimura e não perca tempo quando o oponente defender. Continue o giro e parta para o ataque no armlock, posicionando sua canela na costela do oponente. Faça pressão para o lado da cabeça dele para que solte o braço.

4. Chave de bíceps + chave de braço: Da imobilização lateral, use a canela no bíceps inimigo, para prender o braço no chão. Abre-se assim espaço para você puxar, com a mão, o braço dele para dentro da chave de bíceps. (Alerta: esta chave é válida somente na faixa-marrom e preta.) O macete para a chave pegar é escorregar o quadril para baixo, abrindo os joelhos. Quando a chave “A” incomodar, e se o oponente resistir, parta para o ataque duplo: encaixe a chave de braço tradicional no outro lado, arrastando o braço de modo que o ângulo em relação ao ombro do oponente fique como demonstrado. Eleve o cotovelo dele e aguarde os três tapinhas.

5. Estrangulamento da montada + mão-de-vaca: Da montada alta, ataque com um estrangulamento simples. No momento em que o oponente entrar o braço para defender, envolva o braço do oponente enquanto sua outra mão domina e pressiona o punho dele. Prenda o cotovelo do oponente no abdome, para evitar a defesa.

6. Omoplata + chave de pé: Ataque a omoplata simples, e de dentro da omoplata erga o braço para cima, forçando o cotovelo num armlock invertido. O macete é fechar os joelhos para aumentar a pressão. Ao tentar defender o golpe passando para o outro lado, o oponente expõe o pé para o ataque triplo. Mantenha a pressão da omoplata e encaixe simultaneamente a chave kimura no pé.

7. Chave de braço + estrangulamento: Na posição de quatro apoios, prenda o braço do oponente no meio das pernas quando ele segurar em você. Encaixe o quadril no cotovelo dele e parta para o ataque com o estrangulamento relógio. Deslize os joelhos para baixo e pressione o quadril para o chão.

8. Crucifixo + estrangulamento: Da posição de quatro apoios, ataque como o movimento anterior, mas faça um rolamento para encaixar o crucifixo. Na posição final, troque a perna de ataque para dar mais pressão no cotovelo.

9. Estrangulamento nas costas + triângulo: Ataque o pescoço do oponente pelas costas. No momento em que o adversário começar a elevar o tronco para se defender, feche o triângulo na lateral do ataque, aumentando a pressão do estrangulamento. Se ele defender ou dar bobeira, ataque o punho e estique o braço adversário.

10. Chave de perna + chave de pé: Na meia-guarda, puxe a perna do oponente para a lateral para desfazer a defesa dele. Procure cair ao encontro da perna que já esticou, no leglock, e então encaixe a kimura no pé, forçando pé e joelho.

11. Ataque duplo contra amarrão: Abra o kimono por cima e encaixe a mão fechada por dentro do kimono, passando a mão pelo lado do pescoço. Repare que a mão vai na gola contrária com o dedão para dentro, empurrando o braço do mesmo lado da gola dominada. Feche o triângulo, e para finalizar estique o braço que está segurando a gola, de modo a apertar bem o triângulo.

12. Triângulo + chave de cotovelo invertida: No triângulo, estique o braço do oponente, prendendo o punho dele embaixo da axila, forçando o cotovelo dele no seu quadril. Esgrime o braço que está do lado de fora do triângulo e esgrime por dentro. Prenda o punho do oponente na nuca, forçando uma chave de cotovelo. Um ataque triplo.

graciemag_assine_barra

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article
  1. Pingback: A filosofia do ataque duplo no Jiu-Jitsu - MMA Crazies

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *