O Jiu-Jitsu como ferramenta contra o alcoolismo e outros males, por professor Cristyan

Share it

Cristyan recebendo a faixa-preta no pódio, das mãos do seu professor Rodrigo Feijão. Foto: Arquivo pessoal

Nosso GMI na cidade de Barnstable, Massachusetts, EUA, o professor de Jiu-Jitsu Cristyan Martins deu o “oss” inicial em um projeto especial: ensinar a arte suave de modo gratuito para jovens e crianças na vila de Hyannis. No espaço, Cristyan e outros professores brasileiros vão ensinar também adultos, e o foco principal é demonstrar como as artes marciais, notadamente o Jiu-Jitsu, podem ser uma das mais divertidas e saudáveis boia de salvação para males como o alcoolismo e outros vícios.

Cristyan, que é natural de Maringá e segue disputando e vencendo diversos torneios da IBJJF, bateu um papo com a equipe GRACIEMAG sobre a eficácia do Jiu-Jitsu contra tantos problemas, do bullying aos mais variados transtornos.

GRACIEMAG: Como o Jiu-Jitsu pode ser o melhor amigo de quem luta contra o alcoolismo, o tabagismo e tantos outros transtornos que afligem hoje as pessoas de todos os países?

CRISTYAN MARTINS: O Jiu-Jitsu é hoje a melhor ferramenta pedagógica que existe, na minha opinião. Isso porque a arte, naquela hora de treininho, nos obriga a utilizar todos os canais sinestésicos da pessoa. Isto é, o Jiu-Jitsu engloba todo nosso corpo e organismo, e acaba por ser uma ferramenta de aprendizagem que treina nossa parte física, mental e também a espiritual. Com um grande diferencial para todas as demais terapias: o praticante quer sempre voltar no dia seguinte, pois é um prazer aprender e soltar aquela endorfina, ainda mais com um suco de frutas refrescante depois. Não tem remédio melhor e mais natural do que se sentir bem.

E qual seria a diferença do Jiu-Jitsu para outros exercícios físicos?

O abuso das drogas nada mais é que a busca de um prazer momentâneo, mas que acaba por trazer consequências duradouras e perigosas. O vício faz o organismo pedir doses cada vez mais altas, e o indivíduo não deixa para trás apenas sua saúde, mas sua identidade. O vício nessa altura toma conta de seus próprios desejos e decisões. Todo e qualquer exercício físico constante provoca alterações fisiológicas, bioquímicas e psicológicas, ou seja, torna-se uma intervenção não medicamentosa para o tratamento desses distúrbios. O Jiu-Jitsu, portanto, se torna uma ferramenta perfeita pois dá uma autoconfiança e uma segurança nova que talvez nem quatro, cinco meses de musculação vão trazer. A partir daí, quando o jovem ou adulto sente que o esporte é o melhor caminho, ele substitui a substância nociva pela hora do rola. E troca as drogas pelo prazer em treinar e até competir, como já vimos com tantos jovens brasileiros. Outro benefício da arte suave é toda a filosofia de vida que vem enraizada na disciplina, além de um caminho profissional como instrutor ou lutador profissional no futuro.

Professor Helio Gracie dizia que todo vício, mesmo um cafezinho diário na esquina, era um calo na personalidade das pessoas. Treinar é o melhor caminho para o equilíbrio, para domar qualquer “calo” na nossa vida pessoal?

Eu vejo assim, perfeito. Com o Jiu-Jitsu, a pessoa desenvolve o equilíbrio e o respeito a todo e qualquer objetivo que ela tiver, seja qual for. Pode ser estudar para ser juiz, trabalhar duro para ser médico, ser um faixa-preta ou um campeão de MMA. E isso vale também para metas mais domésticas, por assim dizer: emagrecer, largar o álcool, minimizar a depressão, socializar e arranjar amigos. Esse é o grande poder do Jiu-Jitsu, levar você a se aproximar dos seus inúmeros objetivos de vida. Porque no dojo você aprende a vencer, diariamente, obstáculos e oponentes de todos os tamanhos. (segue)

Qual é a importância dessas aulas grátis para a garotada?

Com os jovens e crianças, o Jiu-Jitsu rapidamente fomenta valores sociais que a gente vê tão em falta entre os adultos. Respeito mútuo, disciplina para o crescimento pessoal, saber aceitar um não, força de caráter e direcionamento. Graças à filosofia de vida do Jiu-Jitsu, aprendemos a cuidar de nossa alimentação, do sono e do corpo em geral, evitando vícios maliciosos que prejudicam todo nosso desenvolvimento – e aí as drogas e o álcool são rapidamente vistos como atrasos de vida.

E o caso do bullying, tão tristemente em voga até hoje?

O treino infantil também é o melhor antídoto para as escolas e sociedades combaterem o bullying. Afinal, sempre trabalhamos o respeito como a base de tudo. E, caso os covardões não entendam, o jovem praticante saberá usar a auto-defesa para fazer os agressores irem procurar outro para chatear. Seja jovem ou adulto, o praticante de Jiu-Jitsu quase nunca sofre de estresse ou preocupações sérias, pois deixa toda aquela má energia e as chateações nos tatames. E ainda encontra na turma uma boa válvula de escape para conversar sobre seus problemas e resenhar, voltando para casa sempre mais leve do que chegou.

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article
  1. Pingback: O Jiu-Jitsu como ferramenta contra o alcoolismo e outros males, por professor Cristyan - MMA Crazies

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *