“Jiu-Jitsu é como escovar os dentes”, ensina André Ushirobira

Share it

Professor André com seus alunos da Ushirobira Jiu-Jitsu. Foto: Divulgação

Aprenda com esta e outras nove dicas do professor André Ushirobira, nosso GMI em Ribeirão Preto, úteis para você vencer os obstáculos no início de sua caminhada na academia. Oss!

1. Em primeiro lugar, procure escolher um professor com quem você se identifique e simpatize, mesmo porque um faixa-branca que começa do zero na maioria das vezes nem sabe exatamente o que esperar de uma aula de Jiu-Jitsu.

2. Seja constante na frequência dos seus treinos. Não importa se você consegue ir duas vezes, três ou todos os dias da semana, isso depende da sua rotina e do seu tempo disponível. O importante é não se ausentar e estar presente nos dias programados.

3. Seja pontual, faça a aula inteira, do aquecimento ao fim. Obedeça sempre o que o seu professor pedir.

4. Alguns dos seus principais ganhos ao começar a treinar Jiu-Jitsu serão mentais, com o aumento da disciplina e da força de vontade. Mas, essas só serão desenvolvidas se os itens 2 e 3 forem seguidos com afinco.

5. Procure saber identificar a origem daquele desânimo de treinar, que acomete qualquer aluno em certa fase. Tente perceber se é algum problema pessoal, se falta motivação na equipe, se pode ser má alimentação ou mesmo excesso de treino. Vença essa fase se concentrando no bem que o Jiu-Jitsu está proporcionando ao seu corpo.

6. Se você passou da fase inicial, você provavelmente vai começar a pensar em lapidar seu Jiu-Jitsu ou até mesmo buscar resultados positivos em campeonatos. Se o seu objetivo é esse, sempre repito a mesma frase: não tem segredo, é só aparecer na academia e treinar.

7. A prática de Jiu-Jitsu é um estilo de vida. Tente melhorar seus hábitos diários, inspirando-se nos faixas-pretas à sua volta. Alimentação errada, noitada constante, álcool e tabagismo não combinam com a evolução no Jiu-Jitsu. Corte o que está fazendo mal a você.

8. Ajude a manter a harmonia da equipe, respeitando a todos dentro e fora do tatame. Isso faz com que todos trabalhem e cresçam juntos nessa caminhada no dojô.

9. Para os competidores, e mesmo para os que simplesmente querem melhorar sua técnica, a escolinha ou drill é essencial. Mas não se limite a cinco, dez repetições. Em época de pré-competição, meus alunos e eu treinamos de quatro a sete horas diárias para buscarmos a perfeição, mesmo sabendo que isso é impossível. Repetir é o maior segredo do Jiu-Jitsu, uma lição que eu gostaria de ter aprendido no início da minha carreira, mas fui descobrir sozinho depois de velho.

10. Por fim, quando um aluno me pergunta o que fazer para melhorar nos treinos, eu brinco: Jiu-Jitsu é igual a escovar os dentes, é todo dia!

* Entre para o time GMI! *

graciemag_assine_barra

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *