Sem campeonatos, como os atletas devem proceder na quarentena? Dr. Gustavo Asmar explica

Share it

Calendário de competições 2020 ainda indefinido. Foto: Luca Atalla/GRACIEMAG.

Por Dr. Gustavo Asmar*

O isolamento social é indiscutivelmente uma das medidas mais eficazes para tentarmos controlar o aumento exponencial de casos de coronavírus. O confinamento, no entanto, provoca grandes impactos sociais e econômicos para toda a sociedade, o que inclui atletas profissionais e amadores. Um bom exemplo é o adiamento das Olimpíadas de Tóquio, uma decisão que, embora correta, prejudicou a periodização do treinamento dos principais atletas do mundo, entre tantos outros fatores. O calendário do Jiu-Jitsu também foi totalmente paralisado. E, num cenário como esse, uma coisa é certa: os atletas não podem ficar parados, perdendo força e capacidade cardiorespiratória. Recomendo a seguir algumas estratégias para suavizar os efeitos negativos deste período de quarentena. Veja: 

1- Periodização

Ok, as principais competições esportivas foram adiadas. Logo, não faz sentido o atleta seguir treinando em alta intensidade com habilidades específicas neste período de quarentena. Vale lembrar que atividades de alta intensidade comprovadamente reduzem a imunidade do atleta, aumentando o risco de infecções virais e de termos uma maior gravidade do processo de tratamento de uma doença. Muitas pessoas acham que atletas de alto rendimento têm uma imunidade maior que a população. Isso é muito relativo. Não é raro atletas serem acometidos por viroses quando estão próximos às competições, principalmente em esportes de lutas que muitas vezes há a necessidade de o lutador perder peso. Portanto, numa realidade de calendário competitivo parado, evite a alta intensidade dos exercícios. 

2- Atividade física moderada 

Exercícios físicos comprovadamente ajudam a manter nossa saúde mental, reduzindo o risco de doenças como ansiedade e depressão. Do mesmo jeito que alta intensidade pode reduzir a imunidade, o sedentarismo pode ser ainda pior. Esta orientação é mais pertinente para amadores ou iniciantes na prática esportiva.

O ortopedista Gustavo Asmar em palestra: “Muito cuidado no retorno aos treinos, quando a quarentena acabar”. 

3- Treinos de mobilidade e fisioterapia 

Em alguns quesitos, a quarentena pode ser utilizada a favor do lutador. O praticante de Jiu-Jitsu, por exemplo, costuma ter alguma articulação com lesões crônicas ou com redução de mobilidade. É bem possível que você, amigo leitor, tenha um histórico de traumas e lesões ligamentares, certo? Pois use este período de confinamento para fazer trabalhos de mobilidade articular (principalmente de quadril e tornozelo) e aproveite para recuperar o seu corpo o máximo que puder do ponto de vista fisioterápico. 

4- Período de quarentena 

Caso o período do confinamento seja inferior a 30 dias, treinos gerais como os postados diariamente nas mídias sociais podem ser eficazes, principalmente para os praticantes recreativos se manterem ativos. Porém, se durar mais que esse período é fundamental a procura de treinos on line específicos, com objetivo de melhorar as valências do lutador, como força e capacidade cardiorrespiratória. 

5- O retorno à prática esportiva 

Quando este período de quarentena acabar, a tendência é que muitos lutadores voltem de maneira exagerada a praticar suas atividades esportivas. Se o retorno se der de forma intensa e afobada, é bem possível que cause lesões, algumas bem graves, que podem empurrar os praticantes (tanto atletas de ponta quanto recreativos) para longe dos treinos por uma nova temporada. Podemos destacar as dores na região lombar e cervical como os possíveis locais mais acometidos. Treinadores devem priorizar treinamentos neuromusculares e educativos de gestos motores, estimulando a ativação muscular correta neste retorno, em busca da prevenção de lesões. 

*Dr. Gustavo Asmar é ortopedista do INTO, especialista em trauma do esporte e cirurgia vídeo ortroscópica.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *