10 mudanças e adaptações para academias em tempo de coronavírus, por Ricardo Zanelato

Share it

Ricardo Zanelato no topo do pódio, com os alunos da Lotus JJ Torres. Foto: Divulgação

Professor Ricardo Zanelato, líder da academia Lotus Club Torres no Rio Grande do Sul, vive diariamente o Jiu-Jitsu desde o ano de 1994, tendo ensinado nos EUA durante a profunda crise econômica americana e mundial, em 2008. Para o professor gaúcho, os instrutores e donos de academia já deveriam começar a se preparar hoje para os dias de reabertura. Dias de uma nova realidade, com novos hábitos – especialmente para quem treina luta agarrada.

A pedido do GRACIEMAG.com, o faixa-preta revelou seu plano de ação para quando as autoridades de saúde e governamentais autorizarem a reabertura dos dojos e academias. Em Torres, a Lotus Club inclusive já começou suas reformas e adaptações, tudo em busca de mais segurança para alunos e seus familiares.

“É claro que cada academia tem sua particularidade”, comenta o nosso GMI. “São fatores como localização geográfica, espaço interno, infra-estrutura e recursos para reformas, mas acreditamos que é importante chamar atenção para alguns aspectos que vão reforçar a segurança e a higiene no dia a dia dos estudos de Jiu-Jitsu”.

Confira os pontos destacados por Ricardo Zanelato e sua equipe, a seguir:

1. Álcool em gel à disposição

“É importante adotar e disponibilizar recipientes com álcool em gel 70% em todas as áreas da academia. Vamos adquirir ainda um termômetro eletrônico, para medir a temperatura dos alunos antes de entrarem no dojo.”

2. Mudança de calendário e novos horários

“No retorno aos treinos, vamos procurar ter menos alunos circulando ao mesmo tempo nas dependências da academia. Para tal, é útil pensar em mais horários, para maior distribuição e menor quantidade de praticantes ao mesmo tempo no dojo. Outro planejamento que nos parece crucial é adotar uma brecha maior, cerca de 30 minutos, entre os horários de uma aula e outra, para oferecermos mais tempo para as pessoas deixarem o dojo antes da próxima turma entrar, evitando aglomerações desnecessárias.”

3. Adaptação nas aulas

“Em comum acordo com os pais, estamos considerando não promover entre as crianças o treino de luta agarrada assim que os treinos retornarem. A ideia é, nos primeiros meses de retorno, treinarmos apenas movimentações, drills e exercícios como corridas, até que os pais e alunos estejam confortáveis para voltar ao contato físico sem restrições.”

4. Área especial para calçados e chinelos

“Criaremos uma ‘área para deixar os calçados’ na entrada da escola, para impedir que a sujeira da rua venha para perto dos tatames. Será, portanto, obrigatório que todos deixem, na entrada da academia, seus calçados, e troquem por um chinelo limpo – algo a ser carregado e mantido limpo pelo aluno com a mesma disciplina com que ele transporta o kimono, sua faixa e rashguard. O chinelo será, depois da pandemia, um traje crucial para o Jiu-Jitsu. E, para isso, é preciso construir desde já um espaço – nichos ou armários – para os tênis e sapatos não ficarem jogados ou desprotegidos. Também se torna obrigatório o uso de chinelos no trajeto interno da escola (do vestiário ao tatame).”

5. Modernização dos banheiros e vestiários

“Uma medida útil para evitar contatos físicos e toques das mãos sujas é a adoção de torneiras com sensor, em substituição às atuais. O aumento da frequência, dos cuidados e da higienização também serão feitos por nossa equipe de limpeza.”

6. Identificação de garrafas e objetos pessoais

“Cada atleta ou praticante conhece sua garrafa de água ou suplemento, mas a identificação será obrigatória para não haver nenhum risco de distração e troca acidental. Outra medida simples e eficiente é a maior oferta de copos descartáveis nos bebedouros, e um cartaz informativo para que os alunos não se curvem para beber direto do bebedouro, o que acaba sendo menos higiênico, por conta do suor e da saliva.”

7. Graduação de fim de ano sem aglomeração

“Ainda vamos pensar o melhor formato, mas infelizmente a foto de fim de ano com toda a turma deverá ser repensada.”

8. Medidas para a circulação do ar

“Um aspecto importante para as academias é procurarem abrir as janelas ou construírem janelas maiores, facilitando a circulação e renovação de ar, bem como a entrada de raios solares. Além disso, recomendamos ventiladores grandes nos quatro cantos de cada tatame.”

9. Cuidado redobrado na limpeza dos tatames

“Manteremos sempre a área de lutas bem limpa, com água e anti-bactericida.”

10. Colaboração e conscientização de cada membro do time

“A partir da consciência de que os tempos estão mudando, vamos procurar reforçar com os alunos e pais de alunos que serão necessários novos hábitos e atitudes individuais, em prol do pensamento coletivo. Por exemplo, teremos de ter mais atenção à nossa própria saúde. Sua temperatura está alta, seu corpo teve alguma reação? Procure ficar em casa para não contagiar seus colegas.”

Aberto a novas ideias e sugestões, o professor Ricardo Zanelato disponibilizou um email para troca de informações com alunos e leitores de GRACIEMAG, a seguir: academia@lotusjiujitsutorres.com.br.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *