GMI Allyson Soneca e sua dica para competir e ensinar Jiu-Jitsu em alto nível

Share it

Nosso professor GMI Allyson Soneca, da Soneca Jiu-Jitsu . Foto: Divulgação

Com bagagem de sobra nas competições de Jiu-Jitus, Jiu-Jitsu sem kimono e no MMA, nosso GMI Allyson Soneca, da Soneca Jiu-Jitsu em Osasco, se torna referência quando o assunto é ensinar os detalhes da arte suave, para serem usados nos cages ou tatames, com pano ou sem.

Vindo de cinco vitórias seguidas no MMA, além de inúmeros sucessos no Jiu-Jitsu, Soneca tem focado mais no seu lado empreendedor, proporcionando treinos com qualidade prática aos seus alunos.

Conversamos com a fera e buscamos algumas dicas para você, professor ou futuro instrutor de Jiu-Jitsu, possa aplicar nos seus planos de lecionar o Jiu-Jitsu. Aprenda com Allyson Soneca como a bagagem competitiva pode melhorar suas aulas de Jiu-Jitsu!

Soneca Jiu-Jitsu
Av. das Flores, 746
Osasco, São Paulo
2576-7331
(11) 95335-5814 ou (11) 99556-3265
equipesonecajiujitsu@gmail.com
www.sonecajiujitsu.com
@sonecajiujitsuoficial
@equipesonecajiujitsu

GRACIEMAG: Apesar do sucesso atual da academia, todo projeto enfrenta desafios e pontos de virada ao longo do caminho, até se firmar no mercado do Jiu-Jitsu. Quais foram esses momentos decisivos na trajetória da sua academia?

ALLYSON SONECA: Com a padronização das equipes, se tornou essencial um esquema montado de aulas, regras e deveres, que vieram organizar melhor a maneira com que o Jiu-Jitsu era ensinado. Essa organização fez aumentar o nível e a velocidade do aprendizado, além do entendimento técnico dos praticantes. Isso sem falar da ajuda das mídias e redes sociais, que mostraram o lado bom, humano e eficaz da arte, que era marginalizada antigamente. Foi esse o divisor de águas para o crescimento da minha academia e filiais.

Quais foram as principais lições que você aprendeu nesses anos de faixa-preta e empreendedor? A vida de lutador inspira a arte de empreender e vice-versa?

O Jiu-Jitsu representa tudo na minha vida. Hoje tudo que tenho na vida veio através do ensino da arte suave. Você poder ensinar e aguçar a vontade do aluno para a prática, que requer muito incentivo e disciplina. Mostrar os benefícios e maneiras de atrair mais praticantes para dentro das filiais, junto com planos de aula de qualidade para o desenvolvimento técnico da equipe.

Qual é o estilo de ensino da sua academia e os principais dogmas que você segue como professor e tenta retransmitir aos alunos?

Tento transmitir a eficácia e confiança que o Jiu-Jitsu nos traz como praticantes. Divido minhas aulas em iniciantes, intermediário e avançados para equilibrar o nível de cada praticante. Trabalho com muita repetições de movimentos técnicos e bastante a parte de movimentos básicos, como fuga de quadril e rolamentos Tento captar o objetivo de cada aluno para oferecer o resultado pretendido.

.

Além de ensinar, você também se dedica às competições. Quais são as dicas para as pessoas multitarefadas que também desejam canalizar parte da energia e do tempo para os torneios?

Tento dividir os treinamentos e as aulas de forma equilibrada. Como gosto de competir no MMA, sem kimono e Jiu-Jitsu tenho que dar prioridade a competição que está próxima e fazer uma preparação pra cada modalidade. O MMA precisa de uma preparação mais desgastante, que exige uma recuperação melhor, além de boa alimentação e suplementação para ajudar no processo. Isso tudo pensando também em ter energia para as aulas.

Como você define o seu Jiu-Jitsu de competição e como ele foi moldado ao longo do tempo? Quais foram as suas principais influências e inspirações?

Minhas inspirações foram o Royce Gracie e Minotauro como atletas. No Jiu-Jitsu competitivo, Roleta e Terere. No JiuJitsu sem kimono, Marcelinho Garcia e Ricardo Arona. No MMA, Demian Maia e Jorge Patino Macaco. As competições são os maiores incentivadores para prática das técnicas e preparação física, então sempre me mantenho ativo. O Jiu-Jitsu me dá a condição de me adaptar bem a cada tipo de competição. A preparação que você impõe é que faz a diferença no processo final.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *