Conexão Portugal: quando o Jiu-Jitsu e o surfe se completam e viram até maratona

Share it

Por: Carlos Eduardo “Cobrinha” *

Os surfistas e lutadores Gabriel Medina e Marcus Buchecha. Foto: Divulgação/GRACIEMAG

Uma foto recente entre dois dos maiores atletas do mundo em suas modalidades chamou atenção dos leitores de GRACIEMAG no Instagram. O surfista e bicampeão mundial Gabriel Medina, humildemente com sua faixa-branca, ao lado do supercampeão mundial no pano Marcus Buchecha nos lembrou da sinergia Jiu-Jitsu – surfe, que não é rara de acontecer em todos os cantos do planeta – em especial, claro, nas cidades e comunidades litorâneas.

Esse vínculo nasceu ali pelos anos 1970, reforçado pelo papel de Rolls Gracie, entusiasta das duas modalidades e um dos líderes da família na época. Após uma confusão com a turma do Arpoador, no Rio de Janeiro, num dia de ondas, Rolls acabou por convidar vários dos surfistas envolvidos para irem conhecer o Jiu-Jitsu, iniciando a integração das duas comunidades. Outro célebre representante da conexão do oceano com os tatames foi o saudoso Renan Pitanguy, um dos mais respeitados na temida onda de Pipeline, no Havaí. Renan, casca-grossa e destemido, chegou a lutar no Maracanãzinho, num ringue de vale-tudo, apenas para defender a arte suave.

Daí por diante, a integração só fez aumentar. Relson Gracie foi morar no Havaí, onde estabeleceu academia e virou referência. Um dos melhores longboarders da história, Joel Tudor, apaixonou-se pelo BJJ e hoje é um faixa-preta dos mais cascas-grossas. Kelly Slater, o maior de todos os tempos, treina sempre que pode e hoje é faixa-roxa. Ele volta e meia aconselha: “Ponha seus filhos no Jiu-Jitsu antes de qualquer outro esporte”.

Há, ainda uma capa antológica de GRACIEMAG, com Rickson Gracie sentado em sua prancha, com alegria de menino, sem falar de Murilo Bustamante, lenda e campeão do UFC que todos os anos renova sua coragem contra as morras de Sunset Beach, no Havaí.

Daria para escrever várias revistas e mesmo um livro se fôssemos lembrar de todos os grandes surfistas que praticam Jiu-Jitsu, ou dos grandes lutadores que também complementam sua rotina com o surfe, casos do atual rei absoluto Marcus Buchecha. E, claro, isso se estende a muitos anônimos por todos os litorais deste planeta.

Aqui em Portugal não é diferente, e uma história sobre essa comunhão – retratada em vídeo a seguir – chama a atenção de forma positiva. O veterano Alessandro Rodrigues, faixa-preta da Art Suave em Porto, e seu filho Antonio, hoje faixa-roxa, formam uma das duplas mais cascudas a representar o “Surf-Jitsu” em terras lusitanas – com direito a resgates nas ondas gigantes de Nazaré e competições de surfe e arte suave.

Há alguns anos, o pai conduziu o filho numa verdadeira maratona, das praias para as áreas de luta: Antonio competiu no surfe pela manhã, foi correndo para o ginásio com sua roupa de borracha, venceu suas lutas e ainda voltou apressado para a praia, ainda de kimono. Chegou atrasado na bateria final, mas nada que evitasse voltar para casa com dois ouros – nas duas competições!

“As filosofias das duas modalidades têm muito em comum”, defende o pai, o faixa-preta Alessandro. “O autoconhecimento, a forma de enfrentar os próprios medos e inseguranças evoluem com a prática. Tanto o surfista quanto o praticante de Jiu-Jitsu procuram na essência um estilo de vida saudável, boa alimentação e estar em forma para qualquer desafio. Estimular a força de superação é necessário em ambos, assim como o equilíbrio – para ficar em pé na prancha, evitar as raspagens ou manter a cabeça equilibrada para encarar o mundo. E há, claro, outro ponto em comum: a satisfação e diversão em praticá-las, que é sempre garantida”.

Para Antonio Rodrigues, que segue treinando Jiu-Jitsu e surfando a sério, “a comunidade que pratica Jiu-Jitsu e surfa tem aumentado aqui em Portugal. Como dizem, se só o Jiu-Jitsu salva, também não há nada que um dia de surfe não cure!”, brinca ele, que busca se consolidar entre os surfistas da nova geração do Porto.

Seguiremos, em breve, com mais novidades aqui de Portugal, especial para o GRACIEMAG. Oss e Aloha!

Conexão pai e filho: os cascas Antonio e Alessandro Rodrigues, surfistas e faixas-pretas no Porto. Foto: Divulgação

*** Carlos Eduardo “Cobrinha” Ozório é professor de Jiu-Jitsu e jornalista e mora hoje em Portugal.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *