Onde você tem errado ao montar? 10 dicas de Jiu-Jitsu para melhorar sua montada

Share it

A campeã Ffiona Davies estabilizando na montada, em torneio em Londres. Foto: Ane Nunes/Gentle Art Media

1. A montada é a posição suprema, na qual o lutador do Jiu-Jitsu exerce amplo domínio sobre o rival – e pode até se dar o luxo de descansar, sem sofrer pressão do árbitro para que ataque. É dali, do topo, com ampla visão da luta, que ele deve trabalhar para finalizar. Mas é normal que o faixa-branca relaxe e perca a posição – então o primeiro mandamento é: ajuste seu peso no quadril do oponente para que ele não dê o upa e te jogue longe.

2. Ao montar, você deve ter em mente: quero que o adversário carregue todo meu peso. Se você estiver mal sentado, sustentando seu peso nos joelhos, você está dando espaço e respiro ao rival. Outro pensamento: o quadril dele não pode mexer.

3. Jiu-Jitsu é equilíbrio, sempre. Na montada, como em outras posições da arte suave, é preciso que você se mantenha em equilíbrio constante, o que significa menos risco. Para exercitar seu equilíbrio, procure treinar sua estabilidade na montada desde o aquecimento. Sente sem dar espaços e consulte seu professor e confira se seu joelho, pés, ganchos estão corretos.

4. Se você está atacando, você está mantendo o oponente ocupado – e preocupado. Por isso é preciso repetir e repetir até ter um ataque eficiente, ou dois. Lembre-se que se você ataca a gola ou o pescoço, o oponente vai precisar se defender com um dos braços, o que abre espaço para armlocks. Estude também o katagatame – golpe favorito de nove entre dez lutadores de MMA quando montam.

5. Atenção aos ombros do rival. A maioria das fugas de montada parte de movimentos de ombros, necessários para o lutador que está por baixo se levantar, virar de lado, contra-atacar etc. Deixe os ombros do adversário sempre no tatame, impedindo sua postura e seu escape.

6. Ataques duplos, sempre. Na montada, na guarda, nas costas, o ataque duplo é o melhor meio de matar as defesas rivais – e o jeito de fugir dos ataques óbvios que qualquer um defende. Ao montar, busque estudar exaustivamente a transição entre estrangulamentos e chaves de braço, entre estrangulamentos com a mão e o katagatame, e seja um lutador sempre temido por cima. Tenha sempre um plano B!

7. Estude em vídeos como montam os grandes especialistas – com e sem kimono, e até nas lutas do UFC. A análise minuciosa das montarias de craques no canal Combate e em vídeos da IBJJF vai levá-lo além nos treinos.

8. Ter uma montada eficiente não significa que você precise ficar em cima dos rivais como uma pedra. Repare na movimentação por cima e como manter o oponente cansado. Use suas mãos para apoio, jogue sua cabeça para a frente e movimente as pernas com inteligência quando ele empurrar você, mas não desista do objetivo maior: manter a montada.

9. Um dos planos alternativos mais comuns da montada é permitir que o oponente rode e dê as costas, para você arrochar o pescoço mais facilmente. Procure ter esta carta na sua manga.

10. Ao montar na rua ou em situação real, lembre-se do ensinamento dos velhos mestres: cuidado com a mordida! O agressor dominado pode se desesperar e usar os dentes. Use o ombro no queixo do rival para afastar você da boca dele e anular o risco de mordidas.

* Artigo publicado originalmente na GRACIE Magazine #271. Assine já!

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *