Entrevista exclusiva: um papo com Fellipe Andrew, novo campeão europeu absoluto de Jiu-Jitsu

Share it

Fellipe com Robert Drysdale em foto de Carlos Eduardo Ozório

Depois de finalizar quatro das suas sete lutas no torneio, a última pelo ouro absoluto do Europeu de Jiu-Jitsu 2020, Fellipe Andrew (Zenith) voltou para casa não só com as medalhas do torneio em Portugal, mas também com a primeira colocação no ranking faixa-preta da IBJJF.

A lista no site da IBJJF, apesar de ainda não ter atualizado até o fechamento da matéria, já terá Andrew na primeira colocação, já que a fera estava com pouco mais de 30 pontos atrás do primeiro colocado, Marcus Buchecha, e com o ouro absoluto o mesmo passa com folga esta pontuação. A ultrapassagem, porém, quase não veio.

Mesmo garantido em duas finais no domingo, Andrew teve um tropeça na disputa do peso superpesado, ao ser finalizado rapidamente por Patrick Gaudio. Inicialmente abalado com a derrota, Fellipe se apoiou nos amigo e companheiros de treino para dar a volta por cima e chegar com tudo contra Keenan Cornelius na disputa do absoluto, e ainda por cima finalizar o americano que nunca havia batucado na faixa-preta.

“Ter perdido antes na categoria de peso me deu um gás extra”, disse Fellipe. “Talvez se eu tivesse ganho o peso não teria acelerado na final.”

Confira o papo com o rei absoluto do Europeu 2020!

GRACIEMAG: Como foi lutar no sábado e conquistar duas vagas na final? Como a cabeça ficou?

FELLIPE ANDREW: Eu sempre fico nervoso para lutar os campeonatos, seja com quem for. Fiquei ajudando minha namorada e meus amigos que lutaram nos dias anteriores, até para tentar ocupar a cabeça e só começar pensar nas lutas no sábado. Se eu ficar pensando muito eu mal consigo dormir. Fiquei empolgado ao me classificar para as finais, lógico que nervoso e ansioso para lutar, mas estava me sentindo bem.

A derrota na final, finalizado rápido pelo Patrick Gaudio, te deixou muito abalado?

Sabia que o Patrick era bem perigoso nos ataques de pé e joelho, e eu já estava esperando que ele fosse atacar algo do tipo. Pelo fato do meu jogo ser bem parecido e eu atacar muito os pés também, achei que estava preparado para tudo que ele fosse fazer. Foi como um tapa na cara! (risos) Nem vi de onde veio aquilo, na hora nem entendi a transição do leglock. Só depois, ao ver o vídeo.

É sempre bem chato perder, né? Eu tinha feito uma luta muito dura com ele no absoluto, no sábado. Estava me sentindo bem confiante para lutar novamente com ele no domingo, apesar de ter ganho no sábado por desclassificação. Comecei bem, desequilibrando, mas ele aproveitou o giro e aconteceu o que aconteceu. Eu fiquei bem desanimado na hora, pois se eu tinha perdido em 1min para um cara que eu já havia lutado, imagina como seria contra alguém que eu nunca lutei e com o Jiu-Jitsu igual ao do Keenan?

E como você fez para dar essa virada na mente e voltar com tudo para a final do absoluto?

Quando sai da luta, meus amigos, até alguns que não eram da minha equipe mas que estavam torcendo por mim, chegaram próximos falando coisas do tipo: ‘Cara, bola pra frente. Levanta a cabeça que o dia ainda não acabou. Você está na final do absoluto do Europeu. Vai se concentrar, esquece o que passou que você vai fazer a luta mais importante do evento.’ Demorou um pouco até a ficha cair que eu estava entrando para fazer uma final de absoluto, ainda mais com um cara que eu sou um grande fã como o Keenan.

Estava com mais sede de ganhar que o normal, pelo fato de ter perdido antes na categoria de peso. Acho que isso me deu um gás extra. Talvez, se eu tivesse ganho o peso, não teria acelerado na final e teria lutado até com um pouco de receio.

Ver essa foto no Instagram

@fellipeandrew is the Open-Class 2020 European Champion!

Uma publicação compartilhada por IBJJF (@ibjjf) em

E a falta de receio culminou num bote rápido no triângulo. Estava confiante que ia pegar naquele momento?

Tenho muita confiança no meu triângulo depois que eu fecho o cadeado, mas não estava bem encaixado, eu acho. Consegui finalizar mas foi no armlock do triângulo, talvez se eu insistisse eu teria estrangulado no triângulo, mas preferi atacar o braço com medo que ele pudesse sair. Do Keenan podemos esperar tudo.

E qual foi o sentimento depois da volta por cima no absoluto?

Superação. Depois da luta com o Patrick eu falei com o Rodrigo Cavaca pelo celular, e ele me falou que era assim que eu mostraria se eu era um campeão para o mundo, quando eu fosse lá, depois de ter perdido, e conseguisse me levantar e dar a volta por cima vencendo o absoluto.

Depois da vitória, além do ouro absoluto, você pode se tornar o primeiro no ranking faixa-preta da IBJJF. Era um objetivo já traçado?

Ainda não foi atualizado mas era uma meta sim. Depois de medalhar no absoluto do Mundial 2019 eu me coloquei bem na lista, então botei o ranking como um dos focos para 2020. Passar o Buchecha no ranking é…diferente. O Hulk também está colado nos pontos, então vou lutar tudo que puder. Europeu, Pan e Brasileiro sempre estão nos planos, mas vou lutar os Opens também, todos que eu conseguir.

Qual o conselho você deixa para o competidor dar a volta por cima, assim como você fez?

Cara, eu saí de Caruaru, no interior de Pernambuco, quando era faixa-roxa, um pouco tarde talvez, e se um cara que veio de uma cidade pequena, longe de tudo, conseguiu fazer uma final de absoluto num grande torneio, qualquer um consegue. Qualquer atleta, de qualquer lugar do mundo, basta querer de verdade e se doar por aquilo. Uma hora vai acontecer. Busque a constância!

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *