BJJ

MMA: Em evento de irmãos Leite, Toddyinho faz bonito

Share it

 

A jovem safra do MMA carioca lutou para frente no evento. Foto: Pedro Filet/Divulgação

Atleta peso médio do Bellator, o faixa-preta Leonardo Leite decidiu encarar mais um desafio, e organizou em 2020 seu primeiro evento de MMA. No último dia 19 de janeiro, com seu irmão Sandro Leite e coordenação técnica de Vitor Pimenta e Giovanni Tonzano, Léo promoveu a primeira edição do Martial Arts Championship (MAC), no ginásio da AABB Lagoa, no Rio de Janeiro.

Num ginásio cheio de lembranças para quem cobre lutas desde 2003 – ali, numa seletiva do ADCC, por exemplo, o público pôde vibrar com Ronaldo Jacaré x Fernando Margarida, com as primeiras vitórias do meteoro Rani Yahya e ver um dos últimos torneios de Ricardo de la Riva, só para ficar em alguns lances.

Com transmissão pela internet, o evento MAC também buscou mesclar os jovens talentos com homenagens aos mestres do passado. Carlson Gracie, saudoso professor, foi o homenageado da noite. E, num evento organizado pelos irmãos Leite, o nome da noite foi bem adequado: uma fera chamada Toddynho.

Jefferson Toddynho, moreno de porte quadrado e atarracado, não impressionava fisicamente ao encarar o mais alto e musculoso Daniel Santos. Mas o aluno de Marcio Cromado esbanjava confiança no olhar, e foi para cima para cumprir sua estratégia. Com bons socos em pé e uma luta agarrada sólida no chão, castigou Santos por três eletrizantes rounds, até cair no cem-quilos e desferir uma série de cotoveladas que obrigaram a interrupção dos médicos.

Na última luta da noite, o professor de judô e Jiu-Jitsu Ricardo Tigrão também levantou a plateia, com um rápido nocaute após esquivar-se de uma cotovelada giratória do oponente Márcio Duracell.

O faixa-preta Ari Galo com a placa em tributo a Carlson Gracie, primeiro homenageado do Hall da Fama do MAC.

Pri Ferreira também fez bonito, na luta feminina, ao virar o jogo de modo eletrizante e arrancar palmas dos convivas da área VIP, que tomavam seus drinques. Outra grande figura da noite foi o estreante Jarrion Manning, cantor de rap nos EUA e que decidiu vir ao Rio para ver se leva jeito para o esporte. Ganhou sua luta e um apelido: “Boi bandido”.

“Queremos dar oportunidade para os atletas, com lutas equilibradas, sempre com lutadores com um mesmo ou parecido número de vitórias e lutas”, explicou Léo Leite no fim, enquanto já conversavam sobre uma nova edição, no segundo semestre deste ano. “A cada evento, teremos um pioneiro do esporte homenageado, escolhido por jornalistas e comentaristas. Carlson Gracie foi o eleito nesta primeira edição, e já estamos pensando nos próximos.”

Confira os resultados oficiais, cedidos pelos organizadores:

MAC 1
AABB Lagoa, Rio de Janeiro, RJ
19 de janeiro de 2020

Ricardo “Tigrão” venceu Márcio “Duracell” por nocaute técnico a 2min19s do 1R

Jefferson “Toddynho” venceu Dan Santos por nocaute técnico a 4min23s do 3R (interrupção médica)

André “Bebê Sauro” Vieira venceu Carlos “Búfalo” por nocaute técnico a 4min33s do 2R

Jarrion Manning venceu Leandro “Holyfield” Evangelista por nocaute técnico no 3R

Taffarel “Índio” Brasil venceu Luiz “Rato” Paulo via decisão unânime

Leonardo Cerboni venceu Rodrigo “Rasta” Nascimento via decisão unânime

Pri Ferreira venceu Naiara Rodrigues por nocaute técnico a 4min52s do 1R

Wallace “Comics” Patrik finalizou Marcos “Vuvuzela” na guilhotina a 4min24s do 1R

Renan de Oliveira finalizou Claudiney Santos no armlock a 3min54s do 2R

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *