Entenda como o Jiu-Jitsu e o surfe se completam, com o professor Luiz Dias

Share it

Depois do treino na beira do mar, umas ondas para relaxar, com Luiz Dias na Costa Rica. Foto: Arquivo pessoal

Por Luiz Dias*

O Jiu-Jitsu e o surfe possuem uma grande afinidade, um complementa o outro. Grande parte dos lutadores são surfistas, aqui no Rio e em todos os litorais do mundo onde quebram as ondas, existindo até campeonatos de surfe somente para faixas-pretas.

A associação entre surfe e Jiu-Jitsu é inevitável, acredito que essa união já faz parte do estilo de vida do lutador como do surfista. A busca de uma vida saudável é muito importante para a imagem do nosso esporte, que ganha cada vez mais praticantes sempre atentos a saúde. Um dos precursores dessa união foi o Mestre Rolls Gracie, que após um fato memorável na praia do Arpoador despertou a atenção dos surfistas para a arte suave, e na contra mão do evento muitos lutadores foram para o mar surfar. Os estilos de vida do surfista e do lutador são parecidos, cuidados com o corpo e a alimentação, o treino constante e a busca incessante da evolução da técnica aproximam esses dois esportes, sem contar com a confiança que o Jiu-Jitsu traz ao surfista em suas viagens para surfar picos diferentes em seu país ou no exterior, onde nem sempre os visitantes são bem-vindos.

Luiz Dias, faixa-preta no Jiu-Jitsu e nas ondas. Foto: Arquivo pessoal

O Jiu-Jitsu contribuiu em muito para a defesa e respeito do surfista brasileiro no exterior. A defesa pessoal utilizada no momento certo preservou a integridade física de muitos surfistas e abriu muitas portas também, promovendo uma integração e respeito mútuo. Num final de treino conversando com um amigo veio o tema, que então decidi escrever pela ligação que possuem. “Quando você treina Jiu-Jitsu sua autoconfiança aumenta e diretamente te traz calma, segurança para surfar em qualquer lugar”.

Infelizmente ainda temos casos de brigas por ondas em todos os lugares do mundo, mas creio que não tanto como há um tempo atrás. Hoje existem muitas marcas que trabalham nessa união entre o surfe e Jiu-Jitsu, e isso é bom. A cultura do Jiu-Jitsu ganha uma segmentação nas ondas. Campeões de surfe que competem e vice-versa. Muitas amizades nascidas no tatame são fortalecidas no surfe. Eu quando viajo, nos lugares de praia, sempre acabo indo surfar com lutadores locais, que me levam para surfar em picos nem sempre conhecidos e ainda vou fazendo amizades. Ao respeitar os locais dentro e fora dos tatames, você ganha em fazer amigos e surfar lugares que não surfaria. Quem já treinou e depois foi surfar ou o contrário sabe como é bom, como ambos se completam. Muitas vezes depois do treino você ir surfar é uma boa maneira de relaxar e descansar de um treino puxado.

Luiz Dias com os amigos feitos na Costa Rica. Foto: Arquivo pessoal

Posso afirmar que nos lugares que viajo dando seminários, o surfe me possibilita fazer mais amigos. Essas amizades, a integração com os locais se torna mais fácil, fazendo mais amizades e você vai treinando seu Jiu-Jitsu com diferentes lutadores. Volto a lugares em que reencontro alunos na água e surfamos juntos. Certamente a viagem fica ainda melhor. A fama da eficiência do Jiu-Jitsu ajudou muito os surfistas em suas viagens pelo mundo.

*Luiz Dias é faixa-preta de Jiu-Jitsu e nosso GMI na Equipe G.A.S Jiu-Jitsu, em Laranjeiras.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *