Governo do RJ promete Jiu-Jitsu para todos os estudantes das escolas públicas

Share it

Crianças em ação no Jiu-Jitsu. Foto: Ivan Trindade/ GRACIEMAG

“É um dia histórico para quem trabalha com o Jiu-Jitsu e sonha com isso há tantos anos”, resumiu o astro do UFC Rogério Minotouro.

Em auditório lotado no Rio de Janeiro, o governador Wilson Witzel, ex-praticante de taekwondo, o vice-governador, ex-praticante de Jiu-Jitsu, e o secretário de educação Pedro Fernandes, faixa-preta da arte suave, lançaram na manhã desta terça-feira, 23 de julho, o projeto que prevê que todas as escolas públicas do Rio ministrem aulas de Jiu-Jitsu e outras artes marciais de defesa pessoal para os jovens aluninhos.

Na prática, a Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) prometeu abrir licitação ainda neste segundo semestre para iniciar as contratações do instrutores.

“Até o fim do ano vamos contratar 1.800 instrutores e professores para as aulas de artes marciais”, disse Fernandes, dono da iniciativa do projeto, inspirado em conversas com professores como Dedé Pederneiras. “A ideia é que o projeto se transforme em leis, para que os futuros governos continuem com o Jiu-Jitsu nas escolas e as crianças e jovens sigam se beneficiando da prática desse esporte”, disse o secretário.

Terra da primeira academia Gracie, fundada em 1925, o Rio é o primeiro estado do Brasil a adotar um programa com o Jiu-Jitsu nas escolas, nos moldes do que ocorre hoje em países como os Emirados Árabes, nação que décadas atrás caiu de amores pelo esporte graças a professores brasileiros, como os faixas-pretas pioneiros Nelsinho Monteiro, Zé Mario Sperry, Renzo Gracie e outros.

Além de Rogério Minotouro, Dedé Pederneiras e o árbitro e policial Eduardo Herdy, que discursaram no evento, estavam presentes como convidados os professores Alexandre Baraúna, Cleiber Maia, Diego Moraes, Raphael Abi-Rihan, entre outros campeões.

Ler matéria completa Read more
There are 6 comments for this article
  1. Edson at 11:46 pm

    Será uma vitória, se não virar uma panelinha, só para os faixas pretas da equipes, dessa galera que estavam presente.

    • Prof. Alberto Bremgartner Neto at 1:35 pm

      Excelente notícia, só não pode deixar virar política!
      Espero que seja feito algo com muita responsabilidade e serieda, e que possa ajudar no profissionalismo real do nosso esporte.

    • Paulla at 11:57 am

      Muito boa notícia, não só para os praticantes, professores ou apaixonados.A prática vai muito além do nosso nicho.
      A nova “lei” não só valoriza nosso esporte? , ela trás mais uma “tentativa” mais uma ferramenta para resgate de crianças e adolescentes. Acredito que não será da noite para o dia.
      Mesmo muita gente séria como a Kyra estando envolvida, muita mas muita gente mal caráter e corrupta (como em todos segmentos existem) verá nessa conquista uma forma de tirar suas vantagens pessoais.
      O Brasileiro tem memória curta né, vamos lembrar que nosso ex governador, uns do mais bem quistos e com números altíssimos de votos e aceitação pública está preso por dentre outros motivos , roubo de merenda escolar ( ou assassinato de crianças, já que muitas morrem todos os dias de fome) quem achar que o jiu Jitsu será uma exceção é tão inocente quanto quem um dia votou e acreditou no “honesto político ”
      Se a panelinha existe até para quem vai arbitrar eventos, imagina pra quem vai poder dar aula ou ter qualquer ganho em cima disso.
      Lamentável mas é verdade.

  2. Nilo Ferreira at 4:12 pm

    Boa tarde, sem dúvida que uma grande estratégia para formar não somente campeões e sim forjar caráter, priorizar disciplina, respeito aos praticantes, parabéns à todos responsáveis por esta iniciativa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *