Jiu-Jitsu na escola: Secretaria de Educação lança programa na rede estadual do RJ

Share it

Envolvidas com o esporte, crianças e jovens se afastam de más influências.

Envolvidas com o esporte, crianças e jovens se afastam de más influências.

O Rio de Janeiro, que é o “berço” do Jiu-Jitsu praticado em todo o mundo, será o primeiro estado brasileiro onde todas as escolas públicas terão aulas de artes marciais. Nesta terça-feira, dia 23, a Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) lançará o programa ‘Esporte na Escola’, que levará o ensino e a prática das artes marciais às unidades da rede pública estadual do Rio de Janeiro. A iniciativa partiu do secretário de Educação, Pedro Fernandes, que é também é faixa-preta de Jiu-Jitsu.

A partir deste segundo semestre letivo, haverá licitação para a escolha da empresa responsável pela contratação dos atletas profissionais que ministrarão as aulas aos estudantes. A ideia é estimular o envolvimento dos jovens com o esporte, revelar futuros talentos e, principalmente, incentivar os valores esportivos no ambiente escolar, como espírito de equipe, utilizando a modalidade de arte marcial que será escolhida pelos alunos em cada unidade, como instrumento pedagógico.

“A prática esportiva produz inúmeros benefícios”, disse Pedro Fernandes. “Foi com as artes marciais que aprendi a ter disciplina, respeito ao próximo e também a valorizar a hierarquia. Tanto os alunos quanto os profissionais das escolas e as famílias só têm a ganhar”.

Entre os convidados para o lançamento do projeto, estão Dedé Pederneiras, da Equipe Nova União, e Alexandre Barauna, da GFTeam BR, além do ex-atleta de UFC, Carlão Barreto; do árbitro de UFC, da Comissão Atlética de MMA, e instrutor de Lutas da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE), Eduardo Herdy; e de representantes da família Gracie. Durante o evento, também haverá apresentações com lutadores das equipes Carlson Gracie Team, Índio Team e Pejor.

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article
  1. Rodrigo at 8:16 pm

    Creio que o esporte deva sempre ser estimulado, não só no âmbito escolar como em toda vida. Tenho uma experiência de 2 anos atuando como mediador em uma escola de ensino fundamental no Rio de Janeiro, ao lado da comunidade da Mangueira, por essa experiência acredito que não seja uma boa ideia a inclusão do jiu-jitsu nas escolas não por um problema da luta a qual sou praticante, mas sim pela própria infraestrutura.
    De acordo com a noticia havera uma licitação, fato que já resolve ao menos o problema dos graduados que ministrarão as aulas, mas o maior problema que eu consigo perceber em relação a proposta é o estado de precaridade que se encontram as escolas publicas, nesses dois anos, já houveram meses que faltaram água, luz, fico me perguntando como será o tatame, se a empresa que contratará os faixa preta também vai arcar com os custos do tatame e dos kimonos para as crianças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *