Entrevista exclusiva: “Já me sinto um campeão mundial”, diz Levi Jones-Leary

Share it

Levizão no duelo contra Renato Canuto no Pan 2019. Foto: Blanca Marisa Garcia/GRACIEMAG

A nova geração do Jiu-Jitsu continua chegando forte. Depois de brilhar na faixa-marrom e começar 2019 com ouros no Europeu e recentemente no Pan, o jovem faixa-preta Levi Jones-Leary, o “Levizão” (ou Xanadu, como sua mãe costuma chamá-lo), segue forte na sua busca pela glória na arte suave, sem fugir da fama, inclusive.

“Meu objetivo é chegar ao nível da Princesa Diana no quesito fama”, brincou o australiano que completou 22 anos neste mês de março.

Apesar da pouca idade e de ter conhecido o Jiu-Jitsu há pouco mais de sete anos (começou a treinar com 15 anos de idade), Levi conquistou diversos títulos importantes, como a trinca de Europeu, Pan e Mundial em 2018 como faixa-marrom, e as recentes vitórias pelo ouro sobre Lucas Lepri no Europeu e sobre Renato Canuto no Pan. Com isso, a aproximação do Mundial coloca o craque da Unity em evidência, mas a pressão não tira Levizão de seu foco: “Meus sonhos não me trazem ansiedade alguma, só felicidade.”

Confira nas linhas abaixo o papo com Levi Jones-Leary, na nossa entrevista exclusiva da semana!

GRACIEMAG: Missão cumprida no Pan. Qual luta foi a mais complicada rumo ao ouro?
LEVI JONES-LEARY: Todo mundo que eu enfrentei foi muito duro, e parabéns a todos os caras da divisão, são todos competidores incríveis. Obviamente, o estilo do Renato é fantástico; ele é explosivo, e é difícil fazer pegadas nele.

Você tem enfrentado finais duríssimas contra atletas de renome. Como controlar o nervosismo?
Acho que quanto maior a luta, mais eu dependo das técnicas que aprendi no meu treinamento quando jovem, especialmente o treinamento mental. Quanto mais eu me torno presente nesses momentos decisivos, melhor eu luto. Espero poder continuar assim.

Depois de vencer o Europeu e o Pan, o próximo passo é o Mundial. Você fica ansioso com a proximidade de repetir o feito da marrom agora na elite?

Sinto-me ótimo com isso! Meus sonhos não me trazem ansiedade; eles me trazem felicidade. Não me preocupo com tentar conquistar coisa alguma. Não quero viver num estado constante de querer. Vivo todo dia como se já tivesse conquistado meu sonho. No momento, o sonho é de ser campeão mundial faixa-preta. Então, honestamente, sinto como se já tivesse ganhado, e a sensação é ótima!

Então podemos dizer que o seu objetivo maior é o Mundial na preta, ou tem planos?

Eu já me sinto campeão na faixa-preta e estou preparando-me para meu próximo grande desafio, o Mundial. Não consigo enxergar muito longe no futuro por ora, nem preciso. Vou construir meu caminho um passo de cada vez. Tudo que eu posso dizer agora é: Fiquem de olho no ‘Xanadu’.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *