UFC 235: Jon Jones e Kamaru Usman ficam com cinturões; brasileiros são destaque

Share it

Jones solta o chute e vence por pontos. Foto: Jeff Bottari/Zuffa LLC via Getty Images

Em um card repleto de grandes lutas, o UFC 235 foi realizado em Las Vegas nesse sábado, dia 2 de março, com duas disputas de cinturão e dois brasileiros com destaque no evento.

Na luta principal, Jon Jones partiu em defesa do seu cinturão contra Anthony Smith, na divisão de meio-pesados. Em luta movimentada mas pouco contundente, Jones aplicou o seu jogo clássico: controlou a distância, golpeou de longe com chutes e de perto com cotoveladas. Alguns momentos foram ponto alto do combate em cinco assaltos, como uma queda bem aplicada pelo campeão e uma sequência brutal de golpes no solo.

Contudo, Jones quase perdeu o cinturão ao aplicar uma joelhada ilegal em Smith. Enquanto estava sentado no solo, Smith recebeu de Jones uma joelhada no rosto, um golpe proibido pelas regras unificadas do MMA. Smith, porém, não se queixou do golpe e a luta se estendeu até minuto final, e por fim Jones foi declarado vencedor na decisão unânime.

Já na luta coprincipal foi a vez da estrela de Kamaru Usman brilhar mais forte. Em duelo contra o campeão dos meio-médios Tyron Woodley, Usman mostrou uma superioridade tremenda, dominando os cinco assaltos com belas quedas, golpes incessantes e controle total do duelo. Tyron, antes indicado como uma rocha na divisão, pareceu apático e anulado na disputa, que culminou no resultado de forma unânime para o nigeriano, que se tornou o primeiro atleta africano campeão do UFC.

Antes, uma disputa de meio-médios chamou a atenção do fã de lutas. Ben Askren, invicto no MMA com 18 vitórias e dois cinturões no currículo (Bellator e One Championship), fez sua estreia no UFC contra o ex-campeão Robbie Lawler. Especialistas apontavam a violência característica de Lawler como arma necessária para desbancar o wrestler estreante no UFC, mas a história foi outra.

Depois de ser surpreendido com uma bela queda e golpes duros no rosto, Askren se recuperou, pegou as costas de Lawler e aplicou uma gravata mão-com-mão. Sem esboçar reações por um breve momento, o árbitro Herb Dean encerrou a disputa por pensar que Robbie tinha apagado, mas o ex-campeão logo se levantou. No fim das contas, vitória para Askren por finalização e cartel invicto mantido.

Brasileiros vencem e conquistam bônus

Na abertura do card principal, Pedro Munhoz encarou o ex-campeão dos pesos-galos Cody Garbrandt. O americano começou melhor na trocação com golpes rápidos, mas foi Pedro que abriu os trabalhos rumo à vitória. Depois de desnortear Cody com um cruzado, o faixa-preta de Jiu-Jitsu mostrou mais uma vez a força do seu boxe alinhado e partiu para cima em trocação frenética contra o boxer de origem. Na reta final do primeiro assalto, em cruzado simultâneo entre os atletas, Pedro conseguiu abaixar no último centésimo de segundo e colocou sua mão de encontro na cabeça de Cody, que caiu já entregue, recebendo mais alguns golpes até a interrupção do árbitro Herb Dean. Vitória e bônus para Pedro, por realizar com Cody a luta da noite.

No card preliminar, o brasileiro em ascensão Johnny Walker voltou ao octógono com pouco mais de um mês de sua última vitória, vencida com um nocaute fulminante em 15s de luta. Nesse duelo, contra Misha Cirkunov, Johnny teria um adversário mais conservador, mas um golpe limpo definiu a vitória mais uma vez. Depois de fintar em pé com poucos segundos de estudo, Johnny saltou com pressão numa joelhada voadora que entrou em cheio, levando Misha ao solo sem reação. Johnny desferiu mais alguns socos no ground and pound para garantir o sucesso e o bônus de desempenho da noite.

Ainda no card preliminar, Polyana Viana enfrentou Hannah Cifers, mas acabou derrotada na decisão dividida. Confira abaixo os resultados completos!

UFC 235
T-Mobile Arena, Las Vegas
2 de março de 2019

Jon Jones venceu Anthony Smith na decisão unânime dos jurados
Kamaru Usman venceu Tyron Woodley na decisão unânime dos jurados
Ben Askren finalizou Robbie Lawler no estrangulamento aos 3min20s do R1
Weili Zhang venceu Tecia Torres na decisão unânime dos jurados
Pedro Munhoz nocateou Cody Garbrandt aos 4min52s do R1

Card preliminar

Zabit Magomedsharipov venceu Jeremy Stephens na decisão unânime dos jurados
Johnny Walker venceu Misha Cirkunov por nocaute técnico aos 36s do R1
Cody Stamann venceu Alejandro Perez na decisão unânime dos jurados
Diego Sanchez venceu Mickey Gall por nocaute técnico aos 4min13s do R2
Edmen Shahbazyan venceu Charles Byrd por nocaute técnico aos 38s do R1
Macy Chiasson venceu Gina Mazany por nocaute técnico a 1min49s do R1
Hannah Cifers venceu Polyana Viana na decisão dividida dos jurados

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *