Bruno Bastos comenta terceira vitória sobre Tom DeBlass no Kasai e apoio de King Mo

Share it

Bruno Bastos vibra com o troféu do Kasai. Foto: Divulgação

Faixa-preta desde 2001, Bruno Bastos é um funcionário dedicado do Jiu-Jitsu. Com uma carreira recheada de títulos importantes como o Mundial Master com e sem kimono pela IBJJF, Bruno lidera a respeitada Lead BJJ, em Midland, no Texas, e não pensa em pendurar seu kimono de competição tão cedo.

Aos 38 anos, Bruno está em alta na sua divisão. Em 2018, por exemplo, ele conquistou o quinto título mundial sem kimono e diversas vitórias em superlutas, em uma delas, recebeu o troféu no United Grapplers Association (UGA). Agora, na temporada atua em 2019, o “Highlander” do Texas brilhou novamente, ao vencer, pela terceira vez, o ex-UFC Tom De Blass, um dos principais faixas-pretas nos Estados Unidos. A vitória veio por pontos, no Kasai Pro, no início do mês.

“Acredito que o fato de eu ter vencido em um evento grande, com bastante visibilidade, contra um adversário que passa da casa dos 100 mil seguidores nas redes sociais, ajuda a crescer a minha marca, sim. Mas não acho que minha vitória demonstra o fato da minha equipe ser uma potencia no Texas. Minha equipe é uma potencia no Texas devido aos resultados nas competições individuais e coletivas. Estamos no Top 20 da IBJJF por equipe e temos atletas atuais campeões do Pan Kids, Kids International, Pan Americano, Mundial, Mundial Master, Mundial Sem Kimono, cinturão no Fight to Win e por aí vai… Isso falando somente de Midland-TX. Não estou contando as filiais. Acredito que hoje se alguém quiser um lugar para ter resultado competitivo, Midland, no Texas, pode ser o destino, pois a Bruno Bastos Jiu-Jitsu Academy está pronta para isso”, conta Bruno, antes de analisa a vitória.

“Treinei bastante wrestling para essa luta. Não demonstrei tudo que treinei, mas dominei ele no alto. A técnica que me deu os pontos da vitória vem do judô: De-ashi-barai, que é uma técnica de varredura (Ashi-Wasa). Treino judô desde criança e tenho facilidade em mixar algumas técnicas no jogo sem kimono. Essa combinação de judo mais wrestling foi fundamental. Infelizmente, para ele, nossos jogos não casam. Me sinto muito confortável lutando com ele. A cada luta eu evolui mais. Prova disso é que cada vitoria foi mais decisiva do que a anterior. Eu sabia que eu frustaria ele, e isso abriria o caminho para o resultado esperado: a vitoria.”

Bruno, que é empresário fora dos tatames, também gosta e sabe como investir para ter resultados importantes nos torneios. Para a luta contra DeBlass, Bruno contratou Muhammed “King Mo” Lawal, atleta do Bellator e ex-campeão do Strikeforce, para coordenar seu treino e sua parte de wrestling. A combinação foi perfeita e deu certo. A seguir, ele conta essa experiência.

“Trouxe o King Mo para puxar não somente o meu wrestling, mas coordenar a parte técnica e estratégica do meu camp. Ele é um excelente coach. Acredito que ele tenha tido uma grande parcela na minha vitoria. Nos conhecemos bastante e sabemos como trabalhar juntos. Confiança e respeito mútuos”.

Competidor assíduo, Bruno ainda pretende lutar o ADCC 2019, na Califórnia. Para isto, ele deve arrumar as malas para vir até o Brasil participar da seletiva ou receber um convite, por conta de sua história dentro do esporte.

“Sempre tem a expectativa. Terei 39 anos, mas acredito que seja competitivo ainda dentro dessas regras. O evento principal sendo aqui na América me motiva, pois seria uma chance de competir na frente dos meus alunos e principalmente dos meus filhos, João e Maria. Seria especial fechar minha história competitiva no ADCC dessa maneira. Tenho essa motivação com certeza”, encerra Bruno.

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *