Busca de novos talentos e interatividade marcam estreia do Future FC MMA

Share it

Future FC visa revolução no mercado do MMA nacional. Foto: Divulgação

Com o intuito de reativar o país como principal berço de talentos da modalidade no mundo, o Future Fighting Championship prevê a promoção de ceca de 20 eventos em 2019, reunindo atletas de todos os estados, com bolsas acima da média no cenário nacional (paga em dólar) e muita interatividade entre atleta, organização e público. Seu presidente é o brasileiro radicado em Los Angeles Jorge Oliveira, que também é um dos executivos do já consolidado Legacy Fighting Alliance (LFA), uma das principais portas de entrada para o UFC nos EUA.

“A intenção do Future FC é ajudar os lutadores brasileiros a alcançarem as glórias nos maiores eventos do planeta. Não viemos para concorrer com ninguém. Pelo contrário, viemos para somar e estamos abertos a parcerias”, declara o CEO, que lutou profissionalmente entre 2005 e 2012. “Entendemos o protagonismo dos atletas no show, tanto que não teremos contratos de exclusividade. Nossa forma de mantê-los será pagando bolsas justas, dando suporte de mídia e tratando com o devido respeito. Caso o lutador tenha uma proposta melhor, mesmo que tenha luta marcada em nosso evento, ele será liberado sem problema algum.”

Aplicativo liga organização a atletas e fãs

Todas as edições serão transmitidas ao vivo e em full HD para todo o mundo, com narrações e comentários em inglês e português, através do site oficial e do aplicativo do evento, de forma inteiramente gratuita. O site ainda terá um sistema de cadastro que permitirá a qualquer lutador enviar informações e vídeos diretamente para organização para possíveis contratações.

“Vamos dar espaço para os atletas mostrarem seu trabalho e, dependendo de suas performances, alçarem voos mais altos. Não só aqueles que estão nas grandes capitais ou que possuem empresários influentes, mas também aqueles que são do interior e não são vistos pela comunidade da luta. Por isso a importância do aplicativo. Já fui lutador profissional, já treinei lutador e hoje pinço talentos no LFA, sei que uma oportunidade faz toda a diferença. No Brasil existe uma infinidade de futuros campeões escondidos justamente por falta de oportunidade”, destaca Jorge Oliveira.

Os fãs terão papel fundamental na formação dos cards, que serão compostos por 10 lutas por edição. Dessas 10, seis serão casadas de acordo com a preferência do público, da seguinte forma: através do app, o usuário poderá votar entre dois lutadores para o corner azul. O vencedor da votação enfrenta o lutador do corner vermelho, previamente escolhido pela organização.

Saúde para elevar o nível das lutas e preservar os atletas

Por conta da premissa de valorização do atleta, a organização vai adotar todas as categorias de peso, desde as convencionais, já existentes nos grandes eventos; quanto as intermediárias, como superleve (74,8kg), super meio-médio (79,3kg), superpesado (sem limite de peso); e, nas divisões femininas, pena (65,7kg), leve (70,3kg) e acima.

“O corte de peso está diretamente ligado à performance e ao futuro da carreira do atleta, não precisa ser nenhum especialista para saber disso. Para elevarmos ao máximo o nível dos lutadores e, consequentemente, das nossas lutas, além de, claro, preservar a saúde dos profissionais, vamos abrir categorias alternativas. Por exemplo, se um lutador que hoje luta no peso leve tem dificuldade para atingir os 70,3kg e se sente pequeno nos 77,1kg dos meio-médios, ele pode ficar entre elas, ele pode bater 74,8 e lutar entre os superleves”, explicou o mandatário.

Controle antidoping

Outro anuncio importante feito pelo presidente do Future FC é de que os atletas escalados passarão por testes antidoping antes de cada edição. Em caso de presença de alguma substância proibida de acordo com o manual da WADA (Agência Mundial Antidoping), o infrator será punido pela organização e as informações serão retransmitidas para as principais comissões atléticas do mundo.

“Um dos nossos objetivos é pavimentar o caminho dos atletas do Future FC para que cheguem em plenas condições naqueles que são considerados os maiores eventos de MMA do planeta. Para isso, temos que prepará-los para o que vão encontrar lá, como desafios de alto nível e exame antidoping. Não adianta nada trapacear aqui e, quando chegar a hora de realizar o sonho, falhar antes mesmo de lutar. Acreditamos que essa vivência será importantíssima para eles.

Primeira edição definida

O card da primeira edição, marcada para o dia 25 de janeiro em Indaiatuba-SP, está definido. Com participação direta do público – que ajudou a casar as lutas votando nos atletas de sua preferência através do aplicativo e do site oficial da organização entre os dias 25 de dezembro e 1º de janeiro – os 10 duelos que marcam a inauguração do evento estão oficializados.

Future FC 1
Clube 9 de julho, Indaiatuba, São Paulo
25 de janeiro de 2019

Peso-pena (65,8kg): Carlos Mistoca x Rafael Coxinha

Peso-galo (61,2kg): Gustavo Erak x Diego Fortunato

Peso-galo (61,2kg): Caionã Blade x Paulo Pizzo

Peso meio-médio (77,1kg): Edson Pânico x Adriano Rodrigues

Peso meio-pesado (93kg): Acácio Pequeno x Matheus Buffa

Peso-mosca (56,7kg): Prego Lok Dog x Adriano Ramos

Card Preliminar

Peso-mosca (56,7kg): Danilo Adreani x Kaique Lyotinho

Peso-galo (61,2kg): Léo Alves x Willian Valentim

Peso casado* (50kg): Heloísa Azevedo x Alana Souza

Peso superleve (74,8kg ): Maurício Ruffy x Pedro Esfirrão

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *