UFC 232: Jon Jones usa o Jiu-Jitsu e fatura cinturão; Amanda Nunes nocauteia Cris Cyborg

Share it

Precisão e potência foram as armas de Amanda Nunes para desbancar Cris Cyborg. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images

Com dois cinturões em jogo, o UFC 232 foi realizado nesse sábado, dia 29 de dezembro, em Los Angeles. Último evento do calendário do Ultimate em 2018, o card contou com duas disputas de cinturão e lutas de tirar o fôlego. Além de Jon Jones, que em seu retorno aos cages bateu Alexander Gustafsson e garantiu o título dos meio-pesados, tivemos também Amanda Nunes, que quebrou as bancas de apostas ao nocautear Cris Cyborg no primeiro assalto pelo cinturão dos pesos-penas.

Na luta principal, depois da polêmica de ter partículas de doping no sangue e obrigar o UFC a mudar todo o card de Las Vegas para a Califórnia, Jon Jones mais uma vez mostrou o porquê de ser considerado o melhor meio-pesado da história. Em duelo contra Alexander Gustafsson, atleta que mais se aproximou de destronar Jones em seu primeiro encontro, Jones teve inteligência para sair com a vitória contra o sueco na aguardada revanche.

No primeiro assalto, Jones parecia acoado na trocação. A envergadura de Gustafsson, muito similar a de Jones, trouxe ao americano menor movimentação na disputa de socos e cotoveladas, mas as investidas de longa distância foram aplicadas incessantemente, com chutes baixos e altos. Gustafsson caminhava para frente e buscava o combate, sempre evitado por Jones.

Gustafsson chegou a ter melhores momentos no segundo assalto, mas os chutes abaixo da linha de cintura de Jones abriam caminho para o plano inicial da fera. Com movimentação prejudicada no terceiro assalto, decorrente do castigo de chutes de Jones, Gustafsson acabou quedado pelo americano, e a progressão justa no solo, com a chegada na meia-guarda após a queda e o avanço para o controle lateral, trouxe para Gustafsson a decisão de virar de lado. Com suas pernas longilíneas, Jones pegou as costas, “espalhou o frango” e fez chover socos na cabeça do sueco, até a interrupção aos 2min06s.

“Quero me tornar cada vez mais versátil no MMA”, disse Jones em entrevista ao canal Fox. “Tive ótimos treinos de boxe e wrestling, mas eu trabalhei muito no meu Jiu-Jitsu. Me senti mais completo do que nunca, tive total controle no solo e foi uma sensação incrível.”

Na luta coprincipal, Amanda Nunes deixou seu cinturão peso-galo em espera para desafiar Cris Cyborg, campeã do peso-pena, na busca do segundo título. Para Cris, além da defesa do cinturão, estava em jogo a defesa da marca de 21 lutas sem perder, invicta desde 2005, com o status de melhor atleta feminina da história.

O duelo não se estendeu muito, como já imaginava a maioria dos fãs de MMA, mas o resultado foi diferente do esperado por boa parte das bancas de apostas. Com uma trocação implacável, Amanda Nunes ditou o ritmo da luta em pé e avançou com socos poderosos sobre Cyborg. A curitibana tentou responder na mesma moeda, mas os golpes precisos de Amanda desnortearam Cyborg duas vezes, até que está veio ao solo com um golpe fortíssimo de Amanda. Cyborg caiu de lado no cage, e o árbitro encerrou a disputa ainda na primeira etapa, com 51s de luta. Agora, Amanda se consolida ainda mais no Ultimate, como primeira campeã de duas categorias da história da organização, além de se tornar a primeira atleta a nocautear a estelar Cris Cyborg.

Outro destaque do card foi o retorno de BJ Penn, primeiro americano campeão mundial de Jiu-Jitsu, que acabou batido pelo justo jogo de solo do também exímio finalizador Ryan Hall. Para liquidar a fatura, Ryan surpreendeu BJ ao entrar nas pernas com um “imanari roll”, giro no qual cata a perna e se enrosca para sair na chave de pé, e a torção de calcanhar foi o golpe derradeiro que fez BJ bater pela primeira vez no MMA, aos 2minn46s do primeiro round.

Confira abaixo os resultados completos!

UFC 232
Los Angeles, Califórnia
29 de dezembro de 2018

Jon Jones venceu Alexander Gustafsson por nocaute técnico aos 2min02s do R3
Amanda Nunes nocauteou Cris Cyborg aos 51s do R1
Michael Chiesa finalizou Carlos Condit na chave de braço aos 56s do R2
Corey Anderson venceu Ilir Latifi na decisão unânime dos jurados
Alex Volkanovski venceu Chad Mendes por nocaute técnico aos 4min14s do R2

Card preliminar

Walt Harris venceu Andrei Arlovski na decisão dividida dos jurados
Megan Anderson venceu Cat Zingano por nocaute técnico a 1min01s do R1
Petr Yan venceu Douglas Silva por nocaute técnico aos 5min do R2
Ryan Hall finalizou BJ Penn na chave de calcanhar aos 2min46s do R1
Nathaniel Wood finalizou Andre Ewell no mata-leão aos 4min12s do R3
Uriah Hall nocateou Bevon Lewis a 1min32s do R3
Curtis Millender venceu Siyar Bahadurzada na decisão unânime dos jurados
Montel Jackson finalizou Brian Kelleher no triângulo de mão a 1min40s do R1

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *