Werdum empolgado para “Jiu-Jitsu com taparia” contra Gordon Ryan: “Só penso no nocaute”

Share it

Banner oficial do duelo entre Werdum e Gordon no México. Foto: Divulgação

O próximo compromisso de Fabricio Werdum, astro peso pesado do UFC, está marcado: será no dia 22 de fevereiro, quando o faixa-preta de Jiu-Jitsu bicampeão mundial (2003/04) vai sair no tapa, literalmente, com o astro sem kimono Gordon Ryan. O gaúcho radicado na Califórnia, que segue suspenso do UFC por dois anos, devido a punição pela Usada, adiantou como planeja lidar com o fenômeno da academia de Renzo Gracie NY.

“Vamos lutar no México sim, pelo evento Eddie Bravo Invitational (EBI), nas regras do combat Jiu-Jitsu, que é o grappling com tapa, uma luta sem kimono que permite tapas quando os atletas estão no chão”, comentou Werdum, pelo telefone. “Será um mini-torneio de quatro lutadores, com o Josh Barnett e mais um a ser confirmado. A premiação para o campeão será de 20 mil dólares”. Segundo a organização divulgou, o quarto homem será Vinny “Pezão” Magalhães, velho conhecido de Werdum – o atleta da Gracie Tijuca impediu o tri de Fabricio no ADCC 2011, na Inglaterra, na final acima de 99kg. Já o também ex-campeão do UFC Barnett foi recentemente finalizado por Gordon Ryan, em torneio sem pano nos EUA.

“Meus treinos serão novamente com o Yuri Simões, que além de já ter lutado com o Gordon algumas vezes também vai fazer uma participação no EBI”, contou Fabricio ao GRACIEMAG.com. “Como o pessoal conhece, o Gordon é mais especialista nas chaves de perna, gosta de pegar muito pé e ‘calcanha’. Ele é muito bom, um dos melhores grapplers da atualidade certamente, mas eu acho que com tapa muda muita coisa, né? É outro jogo, e eu só penso no nocaute (risos). Na minha cabeça é nocaute. Se está na regra e vale, vamos tentar. Mas é preciso saber usar, não ficar apenas pensando em dar tapa e esquecer do Jiu-Jitsu. Tem de ser um jogo inteligente. Eu sempre gostei de fazer taparia na academia desde garoto, vamos ver como o Gordon se comporta nesse estilo, se ele também vai mostrar coração”.

Werdum e seu auxiliar Yuri Simões têm uma história curiosa: conheceram-se em treino no Rio de Janeiro, quando o gaúcho já era um campeão, com grandes duelos contra Marcio Pé de Pano, e Yuri tinha apenas 8 anos. Hoje, ao lado de Rubens Cobrinha, Yuri é peça fundamental nos preparativos do ex-campeão do UFC, dando aquele calor nos treinos sem pano e atualizando o jogo de Fabricio com vários macetes de guarda e passagens.

“Sigo na ativa apesar da suspensão injusta por parte da Usada. Pessoas me disseram que reduziriam minha punição se eu delatasse outros atletas do UFC que fizessem uso de doping, mas eu repudiei isso, não sou dedo-duro nem atrasaria jamais a vida de alguém”, concluiu Werdum.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *