Por que a derrota de Fabrício Werdum no UFC não apaga seu legado no esporte

Share it

Werdum no duelo com Volkov no UFC Londres. Foto: Brandon Magnus/Zuffa LLC via Getty Images

Mesmo com quatro finalizações em dez lutas no card do UFC em Londres, realizado nesse sábado, dia 17 de março, o fã de Jiu-Jitsu não teve tantos motivos para comemorar. Fabrício Werdum, representante da arte suave no Ultimate e ex-campeão dos pesados, acabou superado por Alexander Volkov na luta principal do evento, mas se engana quem acha que Werdum perdeu seu rumo após o revés.

Na luta em questão, Werdum entrou com a estratégia certa para superar o gigante russo. Com boas entradas de queda e claro domínio no solo, Werdum teve grandes momentos na luta, inclusive capitalizando pontos importantes para uma possível vitória caso a luta fosse para as mãos dos jurados. Contudo, o volume de golpes de Volkov assim que este conseguia se colocar em pé acabou minando o ímpeto de Werdum. No quarto assalto, ao sentir que a fadiga chegava, Werdum abriu o jogo para definir, e acabou surpreendido pela trocação poderosa de Volkov.

Há quem diga que chega ao fim a corrida de Werdum, aos 40 anos, até o cinturão dos pesados. Mas, antes de cravar a sentença, vale analisar um pouco do retrospecto do “Vai Cavalo” no mundo das lutas. Antes de chegar ao UFC, Werdum já tinha na bagagem dois títulos mundiais de Jiu-Jitsu na faixa-preta (2003 e 2004). Depois de passar pelo Pride (4v, 2d), pisou no octógono do Ultimate pela primeira vez em 2007, mesmo ano no qual faturou o título do ADCC, que se repetiria na edição seguinte, em 2009. Após atuar no Strikeforce, e finalizar em luta histórica o temido Fedor Emelianenko, Werdum voltou ao UFC, escalou a divisão novamente, venceu Mark Hunt pelo título interino e Cain Velasquez pelo cinturão dos pesos pesados.

Com um cartel desses, fica difícil prever ou calcular o que Werdum ainda é capaz de apresentar nos cages. Após a derrota, Fabrício Werdum deixou uma mensagem para os fãs em sua rede social:

“Gostaria de agradecer a todos que torceram por mim, que me mandaram mensagens de apoio e que estão ao meu lado neste momento difícil que é uma derrota. Estou triste, porém mantenho minha cabeça erguida com a certeza que a vida é feita e erros e acertos, e que o mais importante desta trajetória é como a gente se levanta de um tombo. Eu tenho a sorte de ter a felicidade e a determinação no meu coração e ser rodeado de pessoas que me respeitam e que me dão a energia que eu preciso para continuar minha trajetória de sucesso. Obrigado pelo apoio e saiba que cada um de vocês é muito importante para mim!”

E para você, amigo leitor, qual será o destino de Werdum no UFC? Será que ele se coloca em posição de realizar grandes lutas mas sem ambição para chegar ao topo novamente, ou o faixa-preta de Jiu-Jitsu ainda terá pique para alcançar mais uma vez o cinturão do Ultimate? Comente conosco!

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article
  1. Eduardo Dantas de Alencar at 1:18 pm

    O cinturão há era. Uma pena, mas a história do Werdum não acabou e ele é o cara que re0resenta o Jiu jitsu nos pesos pesados di UFC e abre alas para as novas gerações. OBRUGADO, Werdum. Tu é o cara!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *