Campeão mundial e atleta do UFC, Augusto Tanquinho busca segundo título do ACB Jiu-Jitsu nesta sexta-feira

Share it

Tanquinho após vencer Samir Chantre e garantir o cinturão do ACBJJ 9. Foto: Divulgação

O ano de 2018 começa grande desafio para Augusto Mendes, o Tanquinho. É chegada a hora de vestir o kimono para o combate válido pelo título peso leve (até 65 kg) do Absolute Championship Berkut Jiu-Jitsu nesta sexta-feira, dia 26 de janeiro, diante do também brasileiro Paulo Miyao. O duelo será a luta coprincipal do ACB JJ 10, e tem como palco o ginásio do clube Hebraica, em São Paulo.

Para o embate, Tanquinho iniciou sua preparação no Arizona, nos Estados Unidos, onde vive e treina há seis anos. Na reta final do camp, voltou ao Rio de Janeiro, sua cidade natal, para treinar ao lado de companheiros de longa data e ajustar os últimos detalhes antes da “guerra”, como ele mesmo classifica a luta contra Miyao.

“Eu estou muito empolgado para esse combate. Tenho certeza que será um grande show, e me sinto honrado por estar encabeçando esse card histórico, repleto de campeões mundiais. Eu fiz uma boa preparação na Soul Fighters do Arizona e no Rio, e passar as últimas semanas no Brasil foi muito produtivo. Nossa luta será uma verdadeira guerra, e estou pronto para guerrear e ser campeão”, avisou o carioca.

Tanquinho está embalado por uma recente conquista no ACBJJ. Em dezembro passado, na Rússia, ele enfileirou três adversários e conquistou o GP até 60 kg sem kimono na edição número 9 do show. O triunfo serviu ainda como motivação para a nova disputa.

“Aquela conquista foi ótima, me deu um ânimo a mais, um gás legal para entrar em 2018 com tudo. Logo se confirmou a disputa pelo cinturão, então tudo deu certo. Aquele foi um título importante para mim, mas agora quero o título linear na categoria até 65 kg. Quero mais esse cinturão”, garantiu.

Desde 2014 dedicando-se ao MMA, modalidade na qual registra cartel com oito lutas e seis vitórias, Augusto Tanquinho é atleta do plantel do UFC. Enquanto aguarda por nova convocação do organização norte-americana, o campeão mundial de Jiu-Jitsu pela IBJJF em 2013 seguirá em busca de novos desafios na arte suave.

“O Jiu-Jitsu é minha paixão, é impossível ficar longe dele. Me faz bem competir com ou sem kimono, me mantém sempre na ativa e sempre evoluindo, e tenho certeza que isso me ajuda no MMA também. Quero ser campeão e defender meu título pelo ACBJJ ao longo de 2018. O evento está crescendo cada vez mais, e é muito importante que tenhamos um card histórico como é o do ACBJJ 10 no Brasil. É importante para mostrar para o mundo e para as novas gerações que é aqui a raiz de tudo, que o Jiu-Jitsu nasceu aqui, os melhores lutadores do mundo são daqui. O público brasileiro merece um megaevento de Jiu-Jitsu no país, e o ACB chegou com essa missão”, encerrou.

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *