Marcus Buchecha adia planos no MMA: “O Jiu-Jitsu vive sua melhor fase em termos de premiação”

Share it
Marcus Buchecha celebra mais um triunfo no evento da IBJJF. Foto: Beatriz Lina/GRACIEMAG

Marcus Buchecha celebra mais um triunfo no evento da IBJJF. Foto: Beatriz Lina/GRACIEMAG

Nas primeiras filas do Campeonato Mundial de Jiu-Jitsu de 2017, encerrado em Long Beach, Califórnia, no dia 3 de junho, o astro do UFC Fabricio Werdum empolgou-se com as exibições de Marcus Vinicius Buchecha, o atual rei da categoria que consagrou Werdum nos anos 2003 e 2004.

“O Buchecha mostrou não só técnica apurada e uma evolução muito grande no seu wrestling, mas o ingrediente principal para chegar longe no UFC, que é o sangue nos olhos. Na luta contra o Erberth na semifinal do absoluto, ele quase foi arremessado para fora do tatame. Voltou com o triplo de vontade e derrubou o oponente, para vencer a luta”, comentou Werdum, incentivando o peso pesadíssimo de 27 anos a aderir ao MMA se assim desejar.

De fato, Marcus Buchecha já treinou com diversos astros do UFC na Califórnia, em camps como os de Daniel Cormier e outros, e gostou dos treinos. Mas, pelo menos por enquanto, os planos de calçar as luvinhas e seguir os passos de Rodolfo Vieira e outros amigos está adiado por tempo indeterminado.

“O MMA ainda é algo que está no meu radar, mas eu não tenho pressa. Estou vivendo bem agora como lutador e professor de Jiu-Jitsu – o esporte está em sua melhor fase em termos de remuneração: há bons prêmios em dinheiro, seminários, os patrocínios estão aparecendo mais, então não vejo porque trocar de modalidade neste momento”, comentou Buchecha, em papo com a equipe GRACIEMAG.

Porém, a mudança para o MMA não é totalmente descartada no futuro breve, e tudo pode mudar se uma proposta absurda chegar aos seus ouvidos, como Buchecha esclareceu:

“Claro, se aparecer uma proposta que faça sentido para mim eu vou planejar a transição, mas por enquanto nenhum convite me agradou a ponto de pendurar o kimono. O Jiu-Jitsu sempre foi minha paixão, meu esporte, o que eu amo fazer. Quero tentar o MMA um dia, mas seria uma modalidade para experimentar, e começar praticamente do zero”, explicou o paulista penta mundial absoluto (2012/13/14/16/17).

Se tudo correr como o esperado, portanto, Marcus Buchecha estará no Mundial de Jiu-Jitsu 2018 buscando o inédito hexa absoluto, com chances de conquistar seu 12º ouro em Mundiais da IBJJF (hoje ele tem dez, empatado com Roger, que tem três absolutos e sete no peso). Ou seja, poderemos ter mais uma quebra de recordes na arte suave por parte do campeão da Checkmat.

“O ideal é não competir pensando em recordes, e sim fazer o que amamos com determinação, e assim as coisas vão acontecendo mais naturalmente. Já são mais de 20 anos de Mundiais de Jiu-Jitsu e dá para ver como é difícil conquistar um feito desses – nunca houve antes um penta absoluto, já era raro ganhar duas, três vezes. Vamos ver o que acontece ano que vem, o segredo é seguir treinando”, concluiu Buchecha, que este ano tem o ADCC na Finlândia, onde busca um inédito troféu absoluto, em setembro, e a superluta contra Roger Gracie no Rio de Janeiro, dia 23 de julho, pelo novo torneio Gracie Pro.

Já no dia 26 de agosto, Buchecha está confirmado no Pro League GP de Pesos Pesados da IBJJF, em Vegas, que vai pagar 40 mil dólares ao campeão e 10 mil ao segundo colocado.

Quem será capaz de parar Buchecha?

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article
  1. André Monteiro at 10:08 pm

    Se tem alguém, seria Roger pela forma que venceu os mundiais. Apesar do buchecha ter ido muito bem na luta com ele, Roger aparentou estar destreinado, acabou exausto…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *