Rubens Cobrinha comenta penta mundial e conquista do grand slam no Jiu-Jitsu

Share it

Cobrinha após conquistar seu quinto título mundial na faixa-preta. Foto: Gallerr

Figura emblemática do Jiu-Jitsu, Rubens Cobrinha é um dos faixas-pretas mais respeitados pela comunidade da arte suave. Aos 37 anos de idade, a fera coleciona títulos, e na temporada 2016/2017 conseguiu não só o seu quinto título no Mundial de Jiu-Jitsu, mas a conquista também do ouro no Europeu, Pan-Americano e Brasileiro, o que fez de Cobra o primeiro peso-pena faixa-preta a conquistar o grand slam do Jiu-Jitsu.

Não é para menos. O professor da Alliance se dedica como poucos no tatame, sempre em movimento, seja ao dar aulas, ou nos seus inusitados drills ou nos torneios mundo afora. Contudo, após tantas conquistas ao longo de anos de carreira, o que motiva a fera e quais serão seus próximos passos?

GRACIEMAG entrou em contato com Cobrinha e disparou uma série de perguntas, e o professor revelou seus planos pro futuro e comentou também sobre a polêmica semifinal de sua categoria.

Confira abaixo!

GRACIEMAG.com: Depois de dominar os penas entre 2006 e 2009, o professor voltou com tudo e faturou mais uma medalha de ouro no Mundial deste ano. O que motiva o Cobrinha a seguir em alto rendimento mesmo já tendo conquistado tudo e ser referência no Jiu-Jitsu mundial?

Rubens Cobrinha: Para este ano, eu me propus competir e ganhar todos os grandes campeonatos (Europeu, Pan Americano, Brasileiro e Mundial). Estou realmente satisfeito de ter sido o primeiro atleta peso-pena a conquistar o Grand Slam de Jiu-Jitsu. Eu dominei a categoria peso-pena por quatro anos. Meu “reinado” durou até eu decidir abrir minha própria academia em Los Angeles e mudar meu foco. Claro que continuei a competir, porque eu realmente amo o que faço e não conseguiria ficar de fora dos Mundiais, mas a minha dedicação já não era exclusiva, pois tinha que gerir minha academia e se possível transformá-la em um sucesso.

A sua luta pelo título foi contra o Leonardo Cascão, da BTT, em duelo que terminou com uma vantagem para você. Você poderia analisar o combate que lhe deu o ouro?

Todos os inscritos no Mundial têm condições de vencer e serem campeões. Cada dia fica mais difícil ter um favorito seja na categoria dos penas ou em qualquer outra. O Cascão veio muito bem preparado, e o fato da luta ter sido decidida por uma vantagem mostra que qualquer um de nós poderia ter vencido. A luta foi definida em detalhes. Ele é um excelente atleta, evoluindo junto com seu Jiu-Jitsu. Eu agradeço a ótima luta que fizemos e espero ainda vê-lo campeão mundial.

Antes da final, você encarou o Shane Hill-Taylor, em duelo movimentado que acabou na decisão dos árbitros. Muito foi dito nas redes sociais sobre o resultado, com opiniões distintas para ambos os lados. Qual é a sua opinião sobre o duelo no ponto de vista de dentro do tatame?

A luta terminou empatada e isso confirma o que eu disse anteriormente. Não é possível indicar favoritos na atual fase do Jiu-Jitsu. A luta foi ótima, porém como toda luta que termina em empate acaba por gerar polêmica. Acredito que as críticas à decisão dos juízes se deem pelo fato de que amamos o Jiu-Jitsu, temos nossos atletas favoritos, nossos amigos, nossos ídolos, então é muito difícil analisar a luta friamente, ainda mais no calor da disputa.
Realmente acredito que mereci ao menos uma vantagem a mais do que me foi dada pela arbitragem, mas não reclamei. Aceito a decisão dos juízes, é para isso que eles estão ali, para analisar a luta sem paixão. É o trabalho deles. O meu trabalho é lutar de forma leal e dar meu melhor. Sair de cabeça erguida ganhando ou perdendo, sem dramas. Mas o ideal é que a luta se resolva dentro do tempo, para que a decisão não fique nas mãos dos juízes.

Depois do quinto título mundial e mais nada para provar à comunidade da arte suave, qual o próximo objetivo do Cobrinha no Jiu-Jitsu competitivo? Você volta para o Mundial no ano que vem?

Para falar a verdade eu ainda não sei. Meu próximo compromisso é defender meu título no ADCC na Finlândia. Meus planos vão até aí, por enquanto. Os planos para o próximo ano só serão feitos após este compromisso.

E qual a mensagem do Cobrinha para os jovens atletas que querem seguir os seus passos e se tornarem lendas no esporte e na vida?

Nunca desistam dos seus sonhos! Tenham muita paciência e perseverança para alcançar seus objetivos nessa arte que tanto amamos.

OFERECIMENTO:

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *