Projeto de Jiu-Jitsu salva jovem da vida do crime e ajuda criança com transtorno psicológico

Share it

Com vitórias nos tatames e na vida, a equipe de Manguinho segue firme no Jiu-Jitsu. Foto: Divulgação

A comunidade de Manguinhos, localizada na zona norte do Rio de Janeiro, já foi um dos locais mais perigosos da capital carioca. Há alguns anos existe lá dentro o Centro de Referência da Juventude (CRJ) – órgão da Secretaria de Estado de Esportes, Lazer e Juventude, que atualmente é coordenado por Cynthia Andrade-, onde são atendidos cerca de mil jovens com inúmeras atividades aos moradores locais como cursos, danças e uma variedade de artes marciais, como Jiu-Jitsu, judô, karatê, luta-livre, capoeira, MMA, e em breve, wrestling.

Conhecidas pela campanha “Esporte é Vida” – que apoia equipes como Geração, Spartanos e Morro dos Campeões -, a Legião da Boa Vontade (LBV), a Super Rádio Brasil e a Prime Esportes também dão suporte à estrutura do local e aos atletas, assim como a Federação de Karatê do Estado do Rio de Janeiro (FKERJ), principalmente com tatames, patrocínio para viagens para fora do estado, alimentação e kimonos. A sala foi montada há mais de 5 anos pelo grupo de empresas.

Liderada pelo professor Sandro Moraes, a equipe de Jiu-Jitsu possui cerca de 70 alunos, entre eles jovens que mudaram de vida, assim como tantos outros, graças à arte suave, como explica Sandra, mãe de Luís Fernando, de 20 anos, que chegou a ser preso antes de ser apresentado aos tatames.

“Estou muito orgulhosa dele. Há um ano e três meses ele foi preso justamente por estar no lugar errado, mas um mês depois de ter saído ele começou a treinar aqui e está firme e forte. Ele gosta muito e eu estou muito feliz por isso”, testemunha a orgulhosa mãe.

Sandra não é a única grata ao Jiu-Jitsu. Karina, mãe do pequeno Kauã de 13 anos, que sofre de transtorno de déficit de atenção, diz que o filho encontrou a alegria, mudou o comportamento e melhorou o rendimento escolar desde que iniciou as aulas no tatame.

“Ele tem déficit de atenção, e através do Jiu-Jitsu do CRJ de Manguinhos e o professor Sandro Moraes ele melhorou muito, evoluiu bastante. Ele só vivia triste dentro de casa, não tinha amigos e por conta do Jiu-Jitsu ele fez amizades, conheceu mais o mundo e melhorou bastante o tratamento dele. Ainda por cima ganhou medalha na primeira competição. O Jiu-Jitsu mudou a vida do meu filho”, agradece.

No último final de semana, 32 alunos representaram a equipe do CRJ Manguinhos em um evento no subúrbio carioca e conquistaram 30 medalhas, sendo 16 de ouro, 10 de prata e 14 de bronze. Entretanto, para o professor Sandro Moraes, as conquistas mais importantes não são os metais.

“Tirando essas crianças da rua eu já afastei alguns diretamente da vida do crime, outros das drogas, e agora estão dedicando seu tempo ao esporte”, comemora.

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *