BJJ

Jacaré afirma que leva poucos socos no UFC por causa do Jiu-Jitsu; entenda

Share it
Ronaldo Jacare finaliza Tim Boetsch na kimura Foto UFC

Ronaldo Jacaré finaliza Tim Boetsch na chave kimura, no UFC 208. Foto: UFC/Divulgação

Aos 37 anos, o capixaba radicado em Manaus Ronaldo Jacaré (24v, 4d) vive seu ápice no esporte. Em suas últimas dez lutas, foram nove vitórias. Destas nove, apenas uma via decisão, em 2014, contra Francis Carmont. Sua última derrota, contestada, para o cubano Yoel Romero, foi por decisão dividida – Jacaré não perde por nocaute desde 2008.

Após nocautear Vitor Belfort e finalizar Tim Boetsch, o campeão mundial de Jiu-Jitsu sente porém que ainda não provou muita coisa no peso médio do UFC, e falou sobre sua situação no evento, ontem no programa “Revista Combate”, no canal Combate da Globosat. O bate-papo alternou conversas sérias e momentos de bom humor.

A sério, Jaca respondeu:

“Ainda não provei muita coisa na minha categoria. Para provar, preciso ganhar o cinturão até 84kg, defender bem o cinturão, enfrentar os melhores. Mas sei que no tempo certo a luta pelo título vai chegar. E quando tiver a minha chance, não vou falhar”, garantiu aos fãs.

Jacaré, em resposta ao apresentador Rhoodes Lima, analisou sua vitória fulminante no último sábado, contra o americano Tim Boetsch (20v, 11d), conhecido pela mão pesada.

“Eu tinha de vencer daquele modo, era o único jeito de mostrar a todos por que ele é o 13º do ranking e eu sou o top da categoria. Eu estava confiante e bem treinado em pé e sabia que quando o levasse para chão seria o início do fim”, disse Jaca, que aproveitou para fazer uma análise de seu jogo em pé.

“Algumas pessoas me criticam, acham que minha guarda do boxe fica muito baixa, mas no peso médio eu sou o cara que é menos acertado por golpes no rosto, segundo as estatísticas do UFC”, destacou o faixa-preta. “Acredito que isso se dê porque o pessoal tem receio de ir para o chão comigo, graças ao meu Jiu-Jitsu, e por isso se afastam mais e me batem menos. Outro motivo é que estou batendo cada vez mais forte, a potência das mãos está boa.”

Entre risos, Jacaré voltou a criticar o atual campeão dos médios, Michael Bisping. “Minha divisão está meio enrolada, tudo porque o Bisping fica inventando luta. Quer enfrentar o GSP, depois quer lutar contra o Chiquinho das Dores… Na verdade ele está apenas fugindo dos melhores da categoria”.

Jaca admitiu fazer mais uma luta antes de encarar o campeão pelo cinturão. “Posso fazer uma luta com o Luke Rockhold, se for um main event. Quero ver se ele aguenta cinco rounds comigo, vamos ver se é macho. Mas sei que ele vai fugir de mim. Quando ele lutou comigo no Strikeforce (em 2011), ele apareceu com um juiz e jurados amigos e perdi na decisão. Fui garfado pelo juiz amigo”, provocou Jacaré, para risos de Kyra Gracie e demais entrevistadores do Combate.

UFC 208
Barclays Center, Brooklyn, NY
11 de fevereiro de 2017

Germaine de Randamie derrotou Holly Holm por decisão unânime pelo cinturão dos penas
Anderson Silva derrotou Derek Brunson por decisão unânime
Ronaldo Jacaré finalizou Tim Boestch na chave kimura aos 3min41s do R1
Glover Teixeira derrotou Jared Cannonier por decisão unânime
Dustin Poirier derrotou Jim Miller na decisão majoritária dos jurados

Belal Muhammad derrotou Randy Brown por decisão unânime
Wilson Reis derrotou Yuta Sasaki por decisão unânime
Islam Makhachev derrotou Nick Lentz por decisão unânime
Rick Glenn derrotou Phillipe Nover por decisão dividida
Ryan LaFlare derrotou Roan Jucão por decisão unânime

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *