Inspirado em alunos deficientes, professor vence Curitiba Open contundido

Share it
Raul Faconti GMI

Raul Faconti: nosso GMI foi campeão no Curitiba Open, no dia 14 de junho. Foto: Arquivo Pessoal

Nosso mais novo GMI, o professor Raul Faconti, que dá aulas de Jiu-Jitsu em Santos, na Faconti Extreme, venceu o peso pesado da categoria master 2 do Curitiba Open, na modalidade sem kimono.

A vitória de Raul veio mesmo apesar de dores lancinantes, obra de uma severa contusão no ombro esquerdo. Como ele conseguiu se superar?

“Rapaz, já dei muitas aulas para crianças em condições especiais, às vezes sem uma das pernas (imagem abaixo), ou até mesmo sem os dois braços. Elas me ensinaram muito sobre garra e determinação na vida”, explica Raul.

E você, determinado leitor, o que o motiva a superar as suas adversidades?

Para fazer parte da GMI e divulgar sua escola de Jiu-Jitsu, clique aqui.

Professor Raul Faconti em Santos

O professor Raul Faconti em Santos, com um de seus alunos que perdeu uma perna: superação sempre. Foto: Arquivo Pessoal

Ler matéria completa Read more
There are 44 comments for this article
  1. Rubinho Ramos at 2:48 am

    Seguinte estava ao lado e o dito cidadão respeitado se tivesse vergonha e fosse homem teria hombridade pra admitir o tapinha, exemplo vem de atitudes honestas, coisa que faltou ao master ai que já tem idade para não bancar moleque.

  2. Joao Lucas Lemes at 4:01 am

    Sr.Raul e nessas horas que e preciso ter honra, todos os que estavam na grade viram vc bater, eles te filmaram. Vc perdeu a luta, não adianta ter essa medalha pois ela não foi ganha com esforço e sim se aproveitando do erro da arbitragem.
    Qual o tipo de imagem vc está querendo passar para seus alunos?
    Mas vou te dizer só uma coisa, assumir os próprios erros e fahas e muito honroso, mas depois de vc se aproveitar da falha do árbitro até o meu cachorro tem mais honra que vc.

  3. Allan Claro de Souza at 11:46 am

    Não aceitar uma derrota é o pior exemplo de espírito esportivo. Bater e se aproveitar de um erro de arbitragem é corromper a imagem do esporte e tudo que ele representa. Espero que não ensine essa lição a seus aluno e, da próxima vez, quando bater, admita. Isso, sim, é honroso. Como praticante de Jiu-Jitsu, sinto vergonha alheia pelo ocorrido. Isso não representa nosso esporte.

  4. Fabricio Gonzaga at 2:23 pm

    Caraca Mestrão!! Além de campeão de Jiu Jitsu vc ainda deve ser o homem mais rápido do mundo!! Como VC consegue dar dois tapas tão rápido com o vídeo em slow motion?!! Me ensina isso aí depois!! KKKKKKK!! Montagem mal feita dos infernos!! Vejam o vídeo! Na pausa ele apóia a mão em falso e trás de novo pra apoiar na coxa do oponente e defender a posição. No slow ele dá dois tapas tão rápido que na imagem em velocidade normal esse movimento deve ter sido ulttassônico, por isso nem o juiz nem os mesários viram!! Só a torcida adversária!! Faz parte!! Gostaria muito de ver o vídeo original sem edições, será que alguém aí pode postar por favor?!! Parabéns Mestrão!! Mais duas pró quadro!! Oss!!!

  5. Fausto Priolean at 2:44 pm

    Vergonha é ser derrotado e fivarvde chororó…..
    O vídeo é editado e tendencioso!!!
    Não bateu mesmooooo……colocou a mão p sair da posição e o cata que editou para o vídeo para simular que bateu.

    Isso sim é vergonha e lamentável no esporte !!!
    Parabéns Raul #13

  6. Hevellyn Silva Santos at 3:35 pm

    Kkkkkkkkk… Montagem???!!! Kkkkkkkkk… Desculpa aí meus queridos, mas não precisamos nos dar o trabalho com isso. É triste saber que uma pessoa que serve de "exemplo" para seus alunos procura suprir a sua deficiência moral e de caráter se promovendo com a deficiência física de outros.
    "Quem é de verdade sabe quem é de mentira"

  7. Paulo Henrique at 4:00 pm

    Galera Ta muito mimi, parabéns ao adversário do Raul, acho que se chama Francisco e não se ateu a ficar reclamando, por que quem vê o vídeo inteiro os 2 buscaram a vitória, teve pontos e vantagens não computados para o Raul e nem por isso ele reclamou, o Francisco arriscou um golpe pois estava perdendo, e pra quem não sabe quando vc é desequilibrado a tendencia é vc se apoiar, foi o que aconteceu, pois na regra tem que ser batido 2 x de forma clara e manifesta, pois nem o Francisco e nem o árbitro viram dessa forma, ele só ficou sabendo depois que a torcida falou, outro ponto que não foi abordado é o tempo da luta, quando eles caíram no limite da área, ja tinha dado os 5 minutos, pois tbm na regra luta de faixa preta master 2 o tempo de luta é de 5 minutos. passou quase 20 segundos da luta onde ocorreu toda essa polêmica, por que os mesários não encerraram a luta e sim o árbitro que além de ficar concentrado na luta teve que olhar e corrigir o tempo que havia passado. O Raul está sempre lutando e a forma mais clara de se provar algo ou não, é dentro do tatame, por que de alguma forma eles vão se encontrar novamente dentro do tatame. Parabéns aos 2 que botaram a cara, e sem história triste só cair pra dentro Oss.

  8. Rodrigo Ramos at 5:22 pm

    Ai sim hein Mestrão. Mostrou pra que veio. Ganhar na falcatrua.
    Quando iniciei no jiu jitsu, aprendi sobre honra, respeito e sobre saber que dar os três tapinhas não é vergonha e sim aprendizado… Mas esse "MESTRÃO" fez intensivo de como ser sujo e não admitir seus próprios erros… Vida que segue e Meu mestre, que TE FINALIZOU, sequer sabe seu nome, pois pessoas como você não deixam legado, pessoas assim deixam máculas no esporte.

  9. Marcio Augusto Amaral Cardi at 9:43 pm

    Na primeira luta bateu, na segunda o oponente foi desclassificado, que "superação" hein, a lesão que superou foi a ocasionada durante a primeira luta quando bateu? Imagino o exemplo que passa pros alunos, que vergonha hein "mestre", joga essa faixa preta na agua sanitaria, volta pra branca pra relembrar a essencia do jiu jitsu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *