IBJJF esclarece dúvidas sobre processo de teste antidoping no Mundial de Jiu-Jitsu

Share it

Pyramid_PhotoDanRod

Uma série de dúvidas apareceram recentemente na comunidade do Jiu-Jitsu sobre o processo de teste antidoping no Mundial de Jiu-Jitsu. GRACIEMAG fez três perguntas à IBJJF para esclarecer o assunto. 

GRACIEMAG: Quando a IBJJF é informada de um resultado positivo e por que leva tanto tempo para a IBJJF liberar qualquer informação sobre as sanções impostas ao atleta?

IBJJF: A IBJJF tem um acordo com a USADA, que é a organização independente que controla o antidoping contratada pela IBJJF, no qual a IBJJF adota as sanções decididas pela USADA a cada vez que é descoberto que um atleta violou as regras do antidoping. Ao permitir que a USADA seja a responsável pelo antidoping em seus eventos, a IBJJF adere às políticas da USADA. Como parte do seu programa de antidoping, a IBJJF não pode aceitar que atletas que testaram positivo compitam em seus eventos enquanto o caso está pendente para evitar que novos resultados sejam contestados. Isso acontece para garantir a integridade da competição e os direitos de todos os competidores. O processo de adjudicação deve prover todos os estágios para o atleta, o que quer dizer que o processo de sanção pode demorar a acontecer, já que o atleta recebe a oportunidade para contestar os resultados laboratoriais e de apresentar sua defesa à ofensa de doping alegada. Até que a USADA chegue à decisão da sanção a ser aplicada, a IBJJF não pode liberar nenhuma informação sobre o caso e não pode comentar sobre os resultados com o atleta. Além disso, a IBJJF não é informada sobre os detalhes do processo. Sobre o caso do Sr. Pena, a IBJJF recebeu a informação da decisão final no mesmo dia que a USADA postou o seu informativo à imprensa e não em qualquer momento antes disso.

Há algum modo dos fãs do Jiu-Jitsu saberem dos resultados dos testes da USADA?

Sim. Qualquer pessoa pode se inscrever para receber os informativos à imprensa da USADA (www.usada.org/news) ou seguir a entidade nos seus canais de mídia social para ser informada de quaisquer sanções aplicadas.

E quanto ao título de campeão, a IBJJF planeja declarar o segundo colocado como vencedor no caso de um atleta testar positivo em um evento?

Sim, no futuro. Nós temos estudado a possibilidade do segundo colocado em uma categoria ser declarado vencedor caso o campeão perca o título ao receber uma sanção por doping. Nós estamos estudando as possibilidades de isso ser feito dentro do acordo que a IBJJF tem com a USADA e também examinando o que aconteceu no passado em outros esportes que tiveram que lidar com tal situação. É importante para a IBJJF estudar as decisões mais corretas e justas nessa questão porque entendemos o valor e a importância de um ambiente limpo em nosso esporte.

Ler matéria completa Read more
There are 6 comments for this article
  1. Kim Terra at 10:59 am

    O perigo de dar o título para o vice é que a USADA só examina o campeão.
    Logo, o cara que ficou em segundo pode ser premiado com o título, após a punição do campeão original, mesmo tendo feito, também, o uso de substâncias ilegais.
    Os dois finalistas teriam que ser testados após a final.
    Mas ai, se os dois estivessem sujos, qual dos terceiros ficaria com o título? A IBJJF não diferencia os terceiros lugares.
    Enfim… A questão é muito maia complicada do que aparenta.

  2. Ricardo Dembowski at 12:02 pm

    A legislação desportiva Nacional possui dispositivos legais que contemplam de uma forma mais eficaz a questão do doping. IBJJF crie o seu STJD- Superior Tribunal de Justiça Desportiva, que será o responsável pela nomeação da comissão anti-dopping da IBJJF/CBJJ. O STJD que julgará e aplicará a punição.Ficou claro que a execução do procedimento administrativo da USADA não foi adequado. Aliás com a criação do STJD a própria situação do vice-campeão seria resolvida. O prazo legal imposto para o julgamento seria muito mais célere.

  3. Ronilson Silva at 3:11 pm

    A IBJJF e CBJJ, tem a obrigação de no caso de doping do primeiro colocado passar o título para o segundo lugar e assim suscetivamente caso o segundo colocado tbm cai no doping. Nas olimpíadas, esse sistema é utilizado e deveria ser copiado e aperfeiçoado . A CBJJ e IBJJF deveriam aproveitar o já começar a testar todos semi-finalistas pra evitar maiores problemas futuros e outra evolução para o nosso esporte seria fazer a disputa de terceiro lugar, pois num eventual problema de doping do primeiro e segundo lugar o terceiro poderia ser declarado vencedor.
    O doping do Felipe Preguiça deveria ser usado como exemplo de uma nova fase no jiu-jitsu mundial se for respeitado o direito do André Galvao ser o vencedor de fato, mesmo ele não tendo sido testado na época.

Deixe uma resposta para Ricardo Dembowski Cancel comment reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *