Mundial 2015: após perder 35kg, Gabriel Lucas ganha o mundo – e um apelido novo

Share it
Gabriel Fedor Lucas contra Ricardo Evangelista no Mundial 2015

Gabriel Fedor Lucas contra Ricardo Evangelista no Mundial 2015

Que Gabriel “Fedor” Lucas era determinado, o leitor do GRACIEMAG.com já sabia. O atleta capixaba da Checkmat decidiu, quando era faixa-roxa, baixar um “pouquinho” dos 140kg que andava batendo, e perdeu 35kg.

Em seu primeiro Mundial de Jiu-Jitsu como faixa-preta, Gabriel sonhava alto no peso pesadíssimo, mas sabia que seria difícil. Entre os 13 lutadores inscritos, a guerra prometia, com seu parceiro de treinos Marcus Buchecha, e ainda o finalista do absoluto Alexander Trans, Leonardo Nogueira, Rodrigo Cavaca, Ricardo Evangelista, Abraham Marte, Gustavo Elias…

Mas quieto, comendo pelas beiradas, ele começou finalizando Léo D’Ávila (Atos) pelas costas. Leonardo Nogueira havia se machucado no absoluto, ao tomar um bote no braço de Abraham Marte, e o estreante sortudo avançou para as semifinais sem luta.

Foi quando se espalhou a notícia bomba na Pirâmide: na vitória contra Cavaca, Alex Trans sentira um estalo no joelho e não conseguia nem andar. Era a bruxa solta, que já tirara Marcus Buchecha no sábado, quando o astro maior da Checkmat contundira os ligamentos do joelho esquerdo na derrota para Ricardo Evangelista nas vantagens (4 a 4 no placar).

Gabriel avançou para a final contra o próprio Evangelista, e a missão de não ser raspado da guarda fechada parecia complicada, mas foi posta em prática. Em pé, Gabriel computou as primeiras vantagens. Por cima, quando Evangelista puxou, o capixaba tratou de jogar com segurança e venceu por 3 a 2 nas vantagens.

A torcida da Checkmat delirou quando Gabriel correu para as arquibancadas, onde Buchecha estava, com uma tala no joelho. No meio da festa, a equipe que já criara um dos melhores apelidos de um lutador, para Antonio “Cara de Sapato”, saudou o apelido do novo campeão: “Cara de Kombi, Cara de Kombi!”

A meta agora de Gabriel, que não é tão alto, é baixar para o superpesado, deixando Buchecha livre para recuperar a coroa dos pesadíssimos ano que vem.

 

Logo Storm Strong

Ler matéria completa Read more
There are 7 comments for this article
  1. Vinicius Saraiva at 1:47 am

    gostaria de entender uma coisa, no livro de regra da IBJJF na parte
    1.2 Formatação da arbitragem
    1.2.1 A organização do campeonato poderá optar por escalar três árbitros para uma luta sempre que considerar necessário.
    Minha pergunta e o seguinte aonde estava os arbitro laterais ? e sera que nas finas do mundial não e necessario escalar os 3 ? porque eu não os vi nos video das lutas e em nenhuma foto das finas da faixa preta, apesar que eu não estava presente e as vezes o foco da transmissão não os pego.

    outra, na parte
    1.2.2 Quando considerar necessário, a IBJJF utilizará dois árbitros adicionais com acesso a recurso de video e replay para correção
    da marcação de pontos, vantagens e punições no placar.

    Em nenhum momento diz quanto tempo depois os árbitros que utilizam esse recurso poderá mudar a pontuação da pelo juiz central em concordância com os laterais, isso deveria estar na regra pós sendo assim os árbitros que utilizam o video replay poderá teoricamente voltar os 10 minutos da luta toda e mudar a pontuação de luta. E também não diz que esse recurso substituiria os árbitros laterais

    Resumindo a formação da arbitragem nas finas da faixa preta ao meu ver esta errada teria que ter o arbitro central os 2 laterais e os 2 utilizando o recurso do video replay. E isso pode levar a erros grave nos resultados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *