Campeão brasileiro de Jiu-Jitsu é barrado nos EUA e não luta o Mundial 2015

Share it
Luan Carvalho faz pegada no kimono de Michael Langhi. Foto: Jair Sinistro

Luan Carvalho faz pegada no kimono de Michael Langhi, no Brasileiro de Jiu-Jitsu de maio. Foto: Jair Sinistro

Entre os cerca de 400 competidores que estão zarpando do Brasil para o Mundial de Jiu-Jitsu em Long Beach, na Califórnia, um faixa-preta perdeu o campeonato antes mesmo de lutar.

Atual campeão brasileiro peso leve, Luan Carvalho, da equipe Nova União, não conseguiu entrar nos Estados Unidos para disputar o torneio. O lutador foi retido por horas pela imigração americana e depois obrigado a retornar ao Brasil, perdendo a viagem e a chance de conquistar o sonho dourado no Mundial da IBJJF.

“Saí do Brasil no último dia 18 de maio rumo aos Estados Unidos, na busca de lutar mais um Mundial da IBJJF. Ter a oportunidade de lutar o Campeonato Mundial de Jiu-Jitsu é uma honra e sonho de qualquer atleta, ser campeão então seria indescritível. Mas o sonho foi interrompido: fiz um bom voo, mas ao chegar na imigração em Houston, fui levado para a sala de imigração, me interrogaram de tudo quanto é forma sobre o que eu iria fazer no país. Eu, de forma respeitosa e humilde, respondi que era um cidadão de bem e que vinha ao país para conquistar um sonho: ser campeão mundial na faixa-preta, e apenas competir”, comentou Luan, em carta ao GRACIEMAG.com.

“Sempre competi nos EUA, foi esse sempre o meu motivo de entrada na América. Nunca fiquei ilegal, nunca ultrapassei o tempo de permanência no país deles, eles alegaram muitas entradas na América para um simples turista. Infelizmente duvidaram da minha índole e da minha verdade, fui tratado como prisioneiro. Me algemaram, reviraram minha mala, revistaram-me, e eu de tudo quanto é forma apresentei inúmeras provas que era apenas um lutador de Jiu-Jitsu, e que meu único intuito no país era disputar uma competição”, relata o campeão da Nova União, que apresentou carteira de estudante da Estácio de Sá, passagem de volta e a inscrição paga para o Mundial. Nada foi suficiente.

“Eles alegaram que eu iria ficar a trabalho, que devido ao número de entradas eu só podia ser trabalhador ilegal, e iria dar aula de forma ilegal na América depois da competição. Provei todos os meus vínculos no Brasil, e eles não acharam nenhuma prova concreta de que eu iria realmente trabalhar ilegal no país deles, mas nada adiantou: tive meu visto cancelado e fui colocado no voo de volta para o Brasil.

Luan viaja para disputar campeonatos de Jiu-Jitsu nos EUA e no exterior desde 2009, e lamentou muito o tratamento que recebeu, por fim:
“Os americanos chegam ao Brasil e são tratados como rei, e no país deles fazem uma covardia com atletas. Fui preso de 6h até as 20h, sem comida, sem água, sem poder me comunicar com meus familiares ou conseguir ajuda, e ainda fui mal tratado”, concluiu Luan, que agora pretende dar uma série de seminários para levantar recursos para conseguir um visto de atleta e conseguir limpar seu nome com a ajuda de um advogado americano.
GRACIEMAG deseja boa sorte a Luan e a todos os competidores a caminho dos EUA.

Ler matéria completa Read more
There are 71 comments for this article
  1. Lucas Ribeiro at 4:55 pm

    É por isso que nosso esporte está assim, o que a ibjjf vão fazer pelo atleta que não ganha nada para competir, se sacrifica e ainda paga para lutar? Nada! Isso é uma vergonha para o jiu jitsu! Máfia!

  2. Felipe Trajano at 6:15 pm

    O jiu- jitsu não foi criado no Brasil? então pronto, por mim só teria campeonatos Mundiais só feitos no Brasil mesmo, e a cada ano em um Estado diferente! eles que venham pegar amassos aqui se quiserem!

  3. Bento Stefan Moreira at 6:19 pm

    Acho que escolher um País menos burocrático quanto a sua imigração seria o melhor caminho a ser escolhido.. Todo ano acontece destas coisas, a IBJJF queima é o próprio filme pois fica a demonstrar nenhum auxílio para com o seu filiado..

  4. Suellen Nascimento at 6:28 pm

    muito frustrante mesmo,em 2014 meu esposo teve o visto negado ele tmb iria lutar o mundial,levou todo os vinculos com o brasil mas mesmo assim negaram.
    acho sim que existe algum tipo de preconceito.Alem de ser um absurdo o mundial acontecer fora do páis ,ja que o brasil é o berço do jiu-jtsu.

  5. Cristiano Duarte at 6:38 pm

    Na verdade os atletas brasileiros deveriam protestar contra a Ibjjf , e nao participar do Mundial, ate q essa instituicao faça algo para os Brasileiros. Eles ja nao dao um centavo para os atletas, os caras se matam aqui para poder lutar la. Sem brasileiro nesse Mundial , nao teria brilho algum. Entao ta na hora da galera do jiu-jitsu se unir , mas se unir mesmo, nao ficar so no fala fala p ganhar curtidas no facebook

  6. Steve Howe at 6:52 pm

    Quem manda nisso é o "Edir Macedo" do Jiu-Jitsu, o Carlinhos Gracie. E quem manda nele – como você deve desconfiar – é a GRANA.
    Os americanos sempre foram assim, barrando todo mundo, arbitrariamente.

  7. Rodrigo Gelain at 7:36 pm

    vergonha é o mundial de jiujitsu brasileiro ou melhor dizendo brazilian ser sempre nos EUA, o esporte só perde, qtos atletas de alto nivel nao lutam pois falta verba ou visto? fora que não existe premio em $$. IBJJF é uma vergonha. Os atletas tem q se organizar e boicotar esta mer…

  8. Cristiano Duarte at 7:37 pm

    Pensa bem: quantos atletas participam dessa comprticao?
    Patrocinadores bancam as despesas como medalhas staff , locacso ginasio e deve sobrar ainda uma graninha boa.
    Pega essa graninha boa e junta com as inscricoes de todos os atletas. Quanto sera que eles ganham? Sera que nao vale a pena investir em algum setor que possa fazer a tramitacao desses atletas para poderem lutar o evento ou os eventos deles realizados la fora?
    Sera que realmente nao vale a pena investir principalmente nos Brasileiros?

  9. Flavio Gois at 9:03 pm

    Dificil, muito difícil acreditar..
    Algemado? Tá certo…rs, santinho não faz nada de errado, documentado e é barrado? Conta outra, o cara fez algo, brigou ou foi marrendo , pra variar!
    Mundial de JJ no Brasil seria um circo, duvido ter a organização e seriedade q eles tem fora.

  10. Alberto Figueiredo Rocha at 9:48 pm

    Isto é um caso para o ITAMARATI resolver. Este caso tem que ser tratado na esfera Federal. Ja que as Entidades que representam o Jiu-jitsu não fazem nada, Luan Carvalho precisa fazer um relato do acontecido e encaminhar ao ITAMARATI ou a outro Departamento que possa analisar esse caso. UMA PENA NÃO TER NOSSO CAMPEÃO NA DISPUTA. Osss

  11. Renato Pereira at 11:43 pm

    Infelizmente nosso Jiu Jitsu virou Jiu Jitsu americano, tudo é em inglês, x guard, no Gi entre outros quando era Jiu Jitsu gracie era americana, baiana, chave de braço, mata leão, vendemos barato nossa luta, Judo onde quer que voce vá é tudo em Japonês, Uma pena

  12. Markinhos Costa at 1:18 am

    Sacanagem… E o suor que esse atleta derramou ?
    E a dor da preparação física? E as lágrimas derramadas em silêncio perante as dificuldades que o atleta enfrenta ? Ficam onde ? Ser um lutador de jiu-jítsu é difícil… Tem que ser de coração ! Tem que amar a arte de verdade ! Pq infelizmente a federação só quer saber de $$:(

  13. Ana Cássia at 5:06 am

    Se fosse pra defender um traficante, como o que morreu na Indonésia, com certeza a PRESIDANTA iria se manifestar, mas como é um atleta de boa índole o Itamarati não se pronuncia. Revoltante!

  14. Gilder Barreto at 12:14 pm

    O mundial tem que voltar para o Brasil.Carlinhos deveria honrar a nação dele.Fica dando ibope para os americanos.Com isso o jiu-jitsu nos Eua só cresce cada vez mais e no Brasil….

  15. Ramon Gomes at 12:20 pm

    Quem gostava de divulgar o esporte e dava a cara a tapa eram os Gracie.
    O jiu- jitsu não foi criado no Brasil? Por mim só teria campeonatos mundiais feitos no Brasil, a cada ano em um estado diferente. Eles os gringos que venham pegar amassos e aprender aqui, mas como temos um país de merda que não dar qualidade de vida e dignidade a quem o hábita, a maioria dos Gracie's migraram para os EUA. Chegaram e criaram o UFC para mostrar, divulgar e provar que o Jiu-Jitsu é a luta mais eficaz e eficiente do mundo, enfim: Os gringos exportarão a nossa arte, boa parte dos melhores mestres e professores de Jiu-Jitsu dão aula, seminários e vivem lá é lamentável.

  16. Ruan Alves at 1:21 pm

    Dificil acreditar ??? Isso acontece ate com American citizens. O abuso de forca policial no geral esta descontrolado nos US. Nao e todo Mundo que anda errado meu amigo o Luan ja visitou os estados unidos diversas vezes nao e todo brasileiro que vai ao estados unidos para trabalhar ilegal.

  17. Henrique Chaka at 2:03 pm

    Se a IBFJJ fosse uma entidade séria, no mínimo do mínimo reembolsaria a inscrição do lutador e entraria em contato com a alfândega e explicar que o mesmo se trata de um competidor, mas esse mínimo do mínimo só em conto de fadas. Referente ao campeonato, eu voto em promover o campeonato no Brasil e se for o caso em um país onde não haja necessidade de vistos como Portugal por exemplo. Mas? Como a grana esta nos EUA, muito difícil disso acontecer. Esse atleta deveria procurar um auxílio jurídico para contra a IBFJJ, que não deu auxílio ao mesmo.

  18. Van Silva at 2:21 pm

    Foi sim Taylor Soares, porém o jiu-jitsu que conhecemos, esse com submissão foi aperfeiçoado no Brasil, o jii-jitsu japonês é meio semelhante ao judô, e diferente do jii-jitsu brasileiro. Até onde eu sei é isso, me corrijam se eu estiver errado.

  19. Flavio Gois at 3:56 pm

    Pq tá falando de trabalho ilegal? O papo não é esse.
    Vc ja foi pros US? Tem experiência própria pra falar ou só repete o q ouviu falar?
    Impossível acreditar, tem algo de errado nesse papo, isso é fato.

  20. Welinton Souza at 4:58 pm

    Infelizmente só querem ganhar, agora era a hora da federação intervir ou se posicionar sobre o caso, porém, ninguém se responsabiliza pelo atleta, a não ser o próprio. Difícil!!!!

  21. Gabriel Coelho at 5:03 pm

    Taylor Soares Não, o nome Jiu-Jitsu foi até criação brasileira, o que existia no Japão eram técnicas que pareciam com as do Jiu Jitsu e em alguns casos até socos, coisas que não são vistas na arte brasileira.

  22. Bento Stefan Moreira at 5:16 pm

    Squid Jitsu Concordo, mas acho que isso deve partir de professor para professor, escola para escola, aluno para aluno.. quem americanizou ou deixou ser americanizar foram os próprios praticantes.. Hoje os nomes das técnicas são tudo em inglês, não vejo gringo falando americana, guarda x, o judô é tudo japonês..

  23. Flavio Gois at 7:07 pm

    Não seja idiota cara, babão é sua mãe seu merda.
    Li sim, que alegou não foi eles, e sim a matéria mentirosa, acredita pq vc é bobinho, se vc mora fora como eu sabe q sem documentação legal nem entra, sendo mala ou arrogante vai ter problema na entrada, usa o cérebro cara!
    Todo ano estou na competição vendo centenas de Brasileiros dedicados acreditando na competicao, nunca vi problema com gente do bem, só marrento e malandro toma dura.

  24. Ruan Alves at 7:54 pm

    Seu cu o Seu babaca a materia nao mentiu o Luan e meu irmao e foi isso que realmente aconteceu e outra mas cuidado em falar de uma Mae depois toma uma dura e reclama que lutador e marrento seu cuzao baba ovo de gringo vc que e um merda quem e vc para julgar a indole de quem vc nao conhece.

  25. Flavio Gois at 8:04 pm

    Não vale chorar!
    Valentão hahahah aí q medo do frango, se liga mane, de quase 300 lutadores q vem todo ano ele foi um anjo q foi barrado e algemado, sério q vc acreditou nisso?
    Vc q cresceu na América como paga pai de gringo sabe q é tolerância zero pra marrento.
    Pelo q vc defende e já ficou bravo ele não parece seu irmao, tá mais pra namorado.

  26. Ruan Alves at 8:16 pm

    Se vc nao presa sua familia seu otario problema e seu, mas e ai vamos marcar um comfere em qualquer modalidade de luta vou te amostrar o frango seu bocudo de Internet.

  27. Rito Itachi-Sama at 3:34 pm

    O Jiu-Jitsu, vem da palavra Ju-Jitsu que é Japones significa Ju-> Suave, Jitsu-> arte, é uma arte japonesa criada pelos samurais que era usada para defenderem-se quando não tivessem armas, mais tarde um dos monges mestre em Ju->Jitsu, chamado Jigoro Kano, salvo o erro se estou a escrever o nome mal, criou a partir do Ju-Jitsu o Judo, que era uma arte mais próxima próxima a algo desportivo, e nesta arte Judo tem algumas técnicas chamadas de Ne-Waza, que signigica luta de chão, já existiam técnicas como o arm-lock e ate o arm-lock voador desde a antiguidade mais ninguém se dava ao trabalho de apelidar nomes as técnicas, e com a chegada de Mitsuyo Maeda "Conde Maeda" ao Brasil ao ensinar Judo a certos alunos entre eles Carlos Gracie, o irmão mais novo de Carlos, Helio achou que para ele seria mais fácil aprimorar as tenicas do Ne-Waza e com um pouco de investigação própria chegou a conclusão que o tudo era derivado do Ju-Jitsu, ai eles tiveram a ideia de chamar a arte como era no Japão antes de ser Judo, tanto que muitas vezes a federação de Judo já tentou dar a faixa preta a Helio Gracie. estou com preguiça de escrever mais….

  28. Paulo Macieira at 12:53 am

    De Portugal mando um abraço para todos os Brasileiros. Os EUA, não merecem a grandeza e a arte do jj criado pelos Brasileiros , esse país não tem solução desde a politica até aos direitos humanos, venham para Portugal ou Outro país , eu nunca treinei porque não existe ninguem a dar aulas naminha cidade. Abraço … Avante!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *