Legião estrangeira: os não brasileiros que podem brilhar no Mundial de Jiu-Jitsu 2015

Share it

Em sua 20ª edição, o Mundial de Jiu-Jitsu 2015 será a nona edição nos Estados Unidos, precisamente na Califórnia. Até agora, no entanto, o domínio tupiniquim prevalece como nos anos de Rio de Janeiro.

Da primeira edição de 1996 a 2006, último ano no Tijuca, apenas um atleta não brasileiro foi campeão mundial masculino na faixa-preta: o fenomenal BJ Penn, em 2000, no peso-pena. O havaiano seria ainda campeão do UFC, em dois pesos diferentes.

De 2007 para cá, apenas o americano Rafael Lovato Jr (2007) foi capaz de vencer o Mundial na faixa-preta adulto. Robert Drysdale, outro americano a beliscar o ouro, também tem nacionalidade brasileira, é um caso diferente.

Ainda assim, o Jiu-Jitsu se espalha pelo globo, e a cada ano atletas faixas-pretas não nascidos no Brasil se aproximam do título mundial.

Em 2015, a lista é incrivelmente rica e cheia de talentos de fato capazes de abocanhar uma das dez medalhas de ouro no masculino faixa-preta. Destacamos algum deles aqui.

Em tempo: esta é a última semana para confirmar seu nome no Mundial. Faça sua inscrição, aqui!

1. JT Torres

O peso leve Jonathan Torres sonha com este ouro desde que começou a treinar. Em 2014, chegou perto, mas ficou com a prata após final com Lucas Lepri. O início da temporada 2015 tem sido perfeito para JT, com os ouros no Europeu e no Pan da IBJJF. Para o Mundial, ele terá de passar por pedreiras como Michael Langhi, Lucas Lepri e Roberto Satoshi, por exemplo.

2. Keenan Cornelius

kEENAN

Na categoria meio-pesado, Keenan Cornelius vai tentar repetir o feito do Pan 2015. Mas o Mundial é um torneio totalmente diferente. Keenan, seja como for, já provou que tem talento para chegar ao topo. Romulo Barral e Murilo Santana serão alguns dos obstáculos. Guto Campos, parceiro de Atos, será o grande aliado. Será que ele chega lá?

3. Tim Spriggs

tIM

O peso pesado Tim chegou à faixa-preta depois brilhar várias vezes na faixa-marrom. Com a nova graduação, já começou a trazer problemas para os faixas-pretas mais experientes. Embora muito jovem, Tim vai tentar usar sua energia e pujança. Mas terá pela frente Felipe Preguiça, André Galvão e Lucas Leite para deixar as coisas mais difíceis.

4. Alex Trans

tRANS

O peso pesadíssimo dinamarquês travou duas guerras recentes com Marcus Buchecha, no WPJJC, em Abu Dhabi. Não foi capaz de vencer o atual rei do Jiu-Jitsu, mas o próprio Buchecha disse que Trans está melhorando a cada luta entre eles. No Mundial 2014, Trans chegou a passar a guarda de Buchecha, mas não resistiu e acabou finalizado pelas costas. E agora em Long Beach? Como será?

5. Gianni Grippo

Grippo

Praticante de Jiu-Jitsu desde os 10 anos, Gianni Grippo está cada vez mais maduro. O peso-pena treinado por Marcelinho Garcia tem, no entanto, um bicho-papão do seu lado da chave: Rafael Mendes – uma vez que Rubens Cobrinha, também da Alliance, tem a preferência do outro lado. Mas os recentes títulos de Gianni no Pan e no WPJJC mostram que o trabalho duro está dando resultado.

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *