IBJJF muda regra sobre guarda 50/50 no Jiu-Jitsu; entenda

Share it
Rubens Cobrinha contra Rafael Mendes durante campeonato de Jiu Jitsu

Rubens Cobrinha contra Rafael Mendes na guarda 50/50 . Foto: Ivan Trindade/GRACIEMAG

Como faz regularmente, a IBJJF lançou uma série de atualizações para o Livro de Regras do Jiu-Jitsu.

Desta vez, a alteração mais importante é em relação à famigerada guarda 50/50. Não haverá mais a marcação de vantagem em tentativas de raspagens que comecem e terminem em situação de guarda 50/50.

O objetivo da mudança é prezar por lutas mais fluidas e menos amarradas, e evitar disputas vencidas nas vantagens por adeptos da guarda 50/50.

A regra surge para aperfeiçoar a que já estava em vigor, e que impede que os atletas fiquem na guarda após a dupla puxada por mais de 20 segundos sem nenhum dos atletas subir para tentar passar.

Mudança na queda

Outra mudança foi na queda suplê. O uso da técnica continua sendo permitida, desde que a movimentação não leve o adversário de cabeça ou pescoço ao solo.

A terceira atualização importante é a proibição do salto para colocar o oponente na guarda fechada na faixa-branca. Tal mudança visa a aumentar a segurança dos atletas com pouca experiência no Jiu-Jitsu. O salto para a guarda continua permitido em todas as outras faixas.

Para conferir as regras oficiais do Jiu-Jitsu, clique aqui.

Ler matéria completa Read more
There are 34 comments for this article
  1. Renan Vieira at 6:18 pm

    Situação de luta:

    Eu estou ganhando por uma vantagem, e raspo o cara: 2 x 0(pontos) e 1×0(vantagem) . Aí o cara me raspa : 2×2 e 1×0.
    Eu to por baixo, vou tomar sufoco e resolvo colocar na 50/50. PRONTO! VENCI. NAO HA MAIS VANTAGEM ,EU JA TO POR BAIXO, NAO SEREI RASPADO! ACABOU A LUTA!

    Serio que vc tao comemorando isso? kkkkkk

  2. Marcial Serrano at 12:26 am

    Aproveitem para mudar as regras do início da luta. A luta inicia-se em pé e durante o primeiro minuto não pode puxar para a guarda (sómente após os 60 segundos, quando será sinalizado pelo juiz). No primeiro minuto da luta o lutador aplicar uma queda no adversário conta 2 pontos (como no atual), se a queda for perfeita conta 5 pontos. Se for o caso como acontece atualmente, os lutadores não sabendo aplicar as quedas do Jiu-Jítsu, eles ficarão se estudando durante os primeiros 60 segundos. Com isso estaremos incentivando os novos lutadores a aprenderem as quedas (projeções), e assim aprenderem a Autodefesa do Jiu-Jítsu. As competições se continuarem da forma que está, os lutadores continuarão a iniciar a luta sentados!

  3. João Victor Naves at 12:41 am

    Não gostei da proibição do salto pra colocar o oponente na guarda para faixas branca. Sou faixa branca guardeiro , nessecito desse movimento, com essa terceira atualização "importante " na regra , a IBJJF vai prejudicar muitos lutadores assim como eu, guardeiros!

  4. Bruno Carvalho at 2:09 am

    Como vim do Judô, acho interessantíssimo que a queda seja mais valorizada… você treina pra dar uma bela projeção e o oponente te raspa, empatou a luta…Complicado mesmo.

  5. Moyses Silva at 1:15 pm

    Sou preta de judô mas não concordo com tal regra, pois dará uma super valorização ao Judô sendo que o JiuJitsu não é valorizado pelo Judo. Deixa como está. JiuJitsu tem que evoluir no chão

  6. Thaís Alves at 3:26 pm

    Eduardo De Lima Araujo
    O judô veio do Jiu-jitsu.
    As projeções que vemos no judô são baseadas nas de Jiujitsu, logo nós jiujiteiros deveríamos melhores nas quedas do que os judocas.

  7. Daniel Dantas Peres at 9:28 pm

    Thaís Alves O Judô veio sim do Jiu-Jitsu. Porém veio do jiu-jitsu japonês utilizado durante décadas pelos samurais como arte marcial, ou seja, arte para a guerra, com muitos das técnicas combinadas com armas. Com o fim da Era Edo no Japão, o Imperador Meiji, extinguiu as hierarquias dos Samurais e dos Shoguns e proibiu o uso da Katana. Assim, vários sistema de defesa com as mão vazias foram criadas. O Judô por Jigoro Kano, por exemplo. Já o Jiu-Jitsu brasileiro, ou Jiu-Jitsu Gracie foi fundamentado a partir do Judô através de Maeda (Aluno da Kodokan).

  8. Daniel Dantas Peres at 9:43 pm

    Com todo respeito a CBJJ. Desnecessárias! A guarda 50/50 foi uma evolução no BJJ. Várias técnicas podem ser executadas a partir desta posição (raspagens; pegada pelas costas; finalizações etc. Não podemos penalizar ou culpabilizar a técnica pelo seu mau uso!Uma alternativa, poderia ser criados mecanismos para que a luta fosse mais dinâmica. Exemplos: Não tem como um atleta lutar 10min dando seu máximo! Diminuir o tempo para punir os atletas por falta de combatividade. Sobre pular na guarda, ocorrem tantos acidentes para isso ser alterado? Porque não se restringe até os 12 anos? Enfim, não daria para colocar todos os meus questionamentos aqui, mas fica minha crítica (que seja construtiva). Um abraço

  9. Isaias Moraes at 3:27 pm

    Boa tarde! Jigoro Kano pai do Judô Kodokan, foi professor do Mitsuo Maeda , que ensinou o sensei Carlos Gracie. O Bjj veio do Judô Kodokan.
    ( o jiu jitsu japonês- conjunto de ryus gerou o Judô)
    Não há demérito nisso. O Judô focou no esporte, um foco educacional. O Bjj focou na defesa pessoal, no Vale tudo.

  10. Ramon Barbosa at 5:06 pm

    Sou mais a favor da luta sem pontos, até finalizar. Ou você ganha, ou empata. Esse negócio de marcar pontos é inadequado. Não representa o verdadeiro Jiu-Jitsu que eu aprendo dos Gracies.

  11. Renan Vieira at 4:20 am

    Vony Filho Lembrando tambem que posso fingir ataques no pé, posso fingir que to tentando raspar… Ninguem é ingenuo ao ponto de ficar parado ne. É só interpretar rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *