Após Pan, Gabi Garcia mira novos desafios, e já aponta próxima grande oponente

Share it
Gabi Garcia durante o Pan 2015

Gabi Garcia durante o Pan 2015: a estrela da Alliance sonha em lutar o Metamoris, contra uma oponente que já a venceu uma vez. Foto: Ivan Trindade

A estrela da Alliance Gabrielle Garcia, de 29 anos, terminou o Pan de Jiu-Jitsu de 2015, no dia 15 de março, falando em “novas etapas”. A faixa-preta treinada por Fabio Gurgel admitiu que aquela pode ter sido sua última aparição no Pan da IBJJF. O que não significa de maneira nenhuma que foi a sua última competição de kimono.

“Venci quatro Pans, quatro absolutos, e estou de olho em outros desafios para a minha carreira. Mas este ano ainda tem muito Jiu-Jitsu pela frente, quero lutar o WJJPC 2015, em Abu Dhabi, entre os dias 22 e 25 de abril, e depois o Mundial na Califórnia, no fim de maio. Depois, a meta é vencer o ADCC 2015 aqui em São Paulo, em agosto, e fazer a minha estreia no MMA”, explica a gaúcha, em conversa com a equipe GRACIEMAG, pelo telefone.

Gabi protagonizou duas finais de absoluto contra Mackenzie Dern em sequência, no Europeu de Lisboa, em janeiro, e agora no Pan. Ela elogiou a peso-pena filha de Wellington Megaton: “A garra e a força de vontade da Mackenzie são sempre marcantes em nossas lutas. Ela mesmo sendo menor entra com muita vontade, diferente de outras meninas. Ela tem muita vontade de me vencer, e isso me motiva em nossos duelos”.

E quem a própria Gabi teria vontade de vencer agora? Ela não foge da pergunta e responde, na batata: “Eu quero fazer uma superluta no Metamoris um dia. É apenas um desejo, não tem nada acertado, e como já marcaram um evento agora para maio, teria de ser num próximo. E acho que a Ana Laura Cordeiro seria uma oponente interessante”, sugeriu.

Gabi e Ana Laura se enfrentaram no longínquo Pan de 2009, na semifinal do absoluto, quando a atleta meio-pesado da Gracie Barra a venceu por meio de uma raspagem. Segundo Gabi, isso seria a pimenta perfeita para o duelo:

“Acho que seria um lutão. Ela é uma menina forte, não tivemos ainda a oportunidade de lutar de novo e seria uma disputa interessante, que todo mundo quer ver e que o Jiu-Jitsu feminino ainda aguarda. Poderia ser com ou sem pano. Respeito muito a Ana como atleta, ela é muito boa e técnica, mas gostaria de lutar sim com ela. Mas se houver outras oponentes, eu topo qualquer desafio, luto com qualquer uma… Tem umas meninas boas no MMA também, mas na maioria leves. Se pintasse uma luta com a Ronda, ou a Cris Cyborg, certamente lutaria com elas”, disse a peso pesado, pondo-se à disposição dos organizadores.

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *