Dos Anjos, a disputa do cinturão e a lição número 1 do Jiu-Jitsu: não desistir

Share it
Rafael dos Anjos encara Anthony Pettis neste sábado, pelo cinturão do UFC. Foto: Zuffa LLC via Getty Images

Rafael dos Anjos encara Anthony Pettis neste sábado, pelo cinturão do UFC. Foto: Zuffa LLC via Getty Images

“Esse cara vai ser nocauteado amanhã. Ele não tem nenhuma chance contra mim”, disparou o campeão Anthony Pettis (18v, 2d), 28 anos, tão logo desceu da balança oficial do UFC, em Dallas, Texas, para a luta pelo cinturão até 70kg contra o niteroiense Rafael dos Anjos, de 30 anos.

A confiança do americano se justifica, afinal sua invencibilidade dura desde 2011. Contudo, o desafiante está acostumado a quebrar a banca e inverter expectativas.

“O que mais me impressiona no Rafa hoje é a absoluta segurança no seu jogo. Ele, apesar da arrogância zero, tem 100% de confiança no que vai fazer lá em cima. E isso é meio caminho andado para tomar aquele cinturão”, explica o amigo Rafael Correa, o Gordinho, um de seus treinadores e professor na academia Start BJJ, na Flórida.

Dos Anjos, como é conhecido pelos fãs lá fora, já viveu todo tipo de experiência ao longo de suas 23 vitórias e sete derrotas. Antes de embalar no UFC (de 2011 para cá, só tem um revés, por decisão, para o russo Khabib Nurmagomedov), ele alimentou uma ideia que volta e meia assombra a mente de um lutador: parar com a carreira e deixar o sonho do cinturão para lá.

O pensamento surgiu em 2010, quando Rafa quebrou o maxilar na derrota sofrida para Clay Guida – atleta que também superou Pettis, por sinal. É Gordinho quem lembra a história:

“Acho que quase todo lutador vive um dia assim na carreira. Estávamos lá em Singapura e ele estava se recuperando da fratura. Senti que era da boca para fora, mas ele chegou a dizer: ‘Acho que vou parar. É muito difícil essa p…. Se eu largar o MMA, posso ter uma vida mais estável, dar aulas aqui e sustentar melhor minha família, ver meus filhos numa escola legal, sem sobressaltos…’ Mas todos sabíamos que o Rafa possui, e já possuía, todas as características para ser o dono do cinturão, e eu lembrei isso a ele. Respondi: ‘Nada disso, bicho. Você vai ser campeão do UFC, você vai ganhar essa p… um dia’”, recorda Gordinho.

De fato, o brasileiro recuperou-se fisicamente, afastou os fantasmas da desistência e tem, cinco anos depois, neste sábado 14 de março, a chance de cumprir a profecia do amigo e se tornar mais um brasileiro campeão do UFC.

O atleta formado por Roberto Gordo, irmão de Gordinho, treina muay thai com Rafael Cordeiro, da Kings MMA. Cada vez mais perigoso em pé, ele não se descuida do Jiu-Jitsu, como repara Gordinho:

“Ele está sinistro, numa forma física, técnica e mental perfeita. No chão, ele é um cara muito explosivo, muito bom naquele Jiu-Jitsu voltado para o MMA. Ele no chão é tão bom na defesa quanto no ataque, com muita movimentação o tempo todo”, analisa o faixa-preta.

O amigo cita outro aspecto que deixa a todos que cercam Dos Anjos mais confiantes para o duelo no UFC 185, logo mais: “Foi o corte de peso mais fácil que eu já vi na vida. Ele acordou no sábado com apenas um quilo e pouco acima dos 70kg. Ele está há três meses com um nutricionista excelente”, conclui.

UFC 185
Dallas, Texas
14 de março de 2015

Anthony Pettis x Rafael dos Anjos
Carla Esparza x Joanna Jędrzejczyk
Johny Hendricks x Matt Brown
Roy Nelson x Alistair Overeem
Chris Cariaso x Henry Cejudo

Card preliminar

Ross Pearson x Sam Stout
Elias Theodorou x Roger Narvaez
Daron Cruickshank x Beneil Dariush
Jared Rosholt x Josh Copeland
Sergio Pettis x Ryan Benoit
Jake Lindsey x Joseph Duffy
Larissa Pacheco x Germaine de Randamie

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *