Gilbert Durinho exalta rival de Demian Maia e promete pressão total no UFC Rio

Share it
Gilbert Durinho vai lutar no UFC Rio. Foto: Carlos Arthur/GRACIEMAG

Gilbert Durinho vai lutar no UFC Rio. Foto: Carlos Arthur/GRACIEMAG

Já na fase final de sua preparação para o UFC Rio, Gilbert “Durinho” Burns foi surpreendido pela mudança de adversário, quando Josh “The Punk” Thomson, ex-campeão do Strikeforce e sétimo colocado no ranking peso leve, alegou uma lesão e saiu do card do dia 21 de março, data do evento marcado para o Maracanãzinho.

Nada que abale Durinho, acostumado aos campeonatos de Jiu-Jitsu onde você inscreve seu nome e só descobre seus rivais na véspera.

O campeão mundial com e sem pano, por sinal, não acredita muito na lesão, mas quer enfrentar Thomson em outra ocasião. Seu rival agora será o brasileiro Alex Cowboy (10v, 1d), que faz sua estreia na organização.

Em papo com GRACIEMAG, Gilbert disse o que aprendeu para esse UFC Rio e comentou os treinos com a fera do Jiu-Jitsu Vinicius Marinho (GFTeam) e com Ryan LaFlare, rival de Demian Maia na luta principal do Maracanãzinho. Leia a seguir:

GRACIEMAG: A mudança de adversário mexe com sua cabeça?

GILBERT DURINHO: Quando recebi a notícia fiquei chateado, mas não foco no problema, e sim na solução. Pedi para continuar no card com outro adversário. Agora encaro o Alex Cowboy e já estou com ele na mira. O chato é que fiquei sabendo na quarta-feira que Thomson não lutaria, e na sexta de tarde recebi uma ligação de um amigo meu que mora Long Beach perguntando se eu sabia qual era a lesão do Thomson, pois naquele momento ele estava treinando sem kimono. Não sei qual foi o problema que teve, mas lesão não foi.

Que perigos o Alex Cowboy oferece?

O Cowboy é um cara fisicamente forte e que gosta da trocação. Ele tem um bom nível no chão também, é bem completo. Ele vem de várias vitórias, acabou de lutar no Face to Face. É um cara comprido com um direto forte, aplica bons chutes e parece ter bom gás. Mas estou bem preparado para não dar espaço, não vou deixá-lo respirar.

Você convocou o Vinicius Marinho para ajudar na sua preparação. Qual é a missão dele aí?

O Vinícius (Marinho) é um cara nota mil. Nós já lutamos três vezes e está dois a um para ele, estou tentando descontar [risos]. Estamos repetindo muitas situações de luta, realizando bastante treino específico e muita finalização. A missão dele é me amassar, colocar a pressão do Jiu-Jitsu em mim. Se eu estiver treinando bem com ele, quem não tem a pressão dele não vai me segurar.

A luta principal do UFC Rio é entre Demian Maia e Ryan LaFlare, seu companheiro de equipe na Blackzilians, aí na Flórida. Demian é favorito?

O Ryan é um cara muito, mais muito duro mesmo, é o rei do gás. Ele é bem forte e sabe trabalhar em todas as áreas. Acho que o Demian leva vantagem apenas no primeiro round. Passando do primeiro round, acho que o Ryan leva. O cara não para, e é muito difícil de ser finalizado.

Ler matéria completa Read more
There are 2 comments for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *