Stephen Hawking, Helio Gracie e como o Jiu-Jitsu pode ajudar a humanidade

Share it
Stephen Hawking em foto de divulgacao

O cientista inglês Stephen Hawking. Foto: Divulgação / Hawking.org.uk

Se você, amigo leitor de GRACIEMAG, pudesse mudar qualquer aspecto da raça humana, qual seria?

A pergunta foi feita no fim de fevereiro ao astrofísico inglês Stephen Hawking, de 73 anos, pela estudante Adaeze Uyanwah, de 24 anos, durante um passeio dos dois pelo Museu de Ciências de Londres, na Inglaterra.

De acordo com o jornal britânico “The Independent”, Hawking afirmou que a agressividade é a característica humana que mais o incomoda, e que seria um defeito capaz de destruir a humanidade no longo prazo.

“A falha humana que eu mais gostaria de corrigir é a agressividade. Ela pode ter sido vantajosa para a sobrevivência nos dias dos homens das cavernas, para obter mais comida, território ou um parceiro com quem se reproduzir, mas agora ameaça destruir todos nós”, disse o sábio autor do livro “Uma breve história do tempo: do Big Bang aos buracos negros”.

A estudante californiana emendou perguntando que qualidade humana ele gostaria de ver ocorrer com mais frequência. Hawking elegeu a empatia. “A qualidade que mais gostaria de ampliar entre os humanos é a empatia. Ela une as pessoas num estado pacífico e amoroso”.

Helio Gracie em seu sítio:  Foto: Gustavo Aragão.

Helio Gracie em seu sítio: lições de autocontrole contra a agressividade humana. Foto: Gustavo Aragão

Cientistas do Jiu-Jitsu, os saudosos Carlos, Helio e os demais irmãos Gracie provavelmente gostariam de ter escutado a opinião de Hawking. Afinal, o autocontrole mesmo nas situações mais tensas foi sempre exaltado como um dos pilares do Jiu-Jitsu. Sem falar na empatia e no sorriso franco que cultivavam, que todos os que tiveram contato com os grandes mestres puderam experimentar.

Em certa ocasião, Helio Gracie também conversou com um estudante de Jiu-Jitsu, e foi perguntado como o fato de treinar de kimono minimiza a agressividade no ser humano. O faixa-vermelha ensinou:

“No momento em que um cara grita com você, se você não tem consciência absoluta de que ele não representa nada, começa a ficar nervoso e chega a um ponto em que precipita a briga, porque você não admite o desaforo. Mas, se uma criança de 4 anos disser que você é feio, que é fraco, o que você faz? Nada. Até acha graça. Para mim, um homem normal é que nem uma criança. Fisicamente, ele não vale nada. Esse pensamento me permite a tranquilidade no trato com qualquer pessoa”, disse o professor Helio Gracie, com muita ciência.

E você, tem alguma história onde conseguiu controlar a agressividade após começar a treinar Jiu-Jitsu ou outra arte marcial?

* Para saber mais sobre Jiu-Jitsu e a ciência das artes marciais, assine GRACIEMAG, aqui.

Ler matéria completa Read more
There is 1 comment for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *