Tibau e a lição para o UFC 184: manter-se treinado e em boa forma o ano todo

Share it
O potiguar é o recordista de lutas entre os brasileiros  no UFC. Foto: Divulgação/UFC

Tibau em ação no UFC. Foto: Divulgação/UFC

No sábado dia 28 de fevereiro, Gleison Tibau faz sua 25ª luta pelo UFC. O UFC 184, em Los Angeles, nos Estados Unidos, ainda pode render ao potiguar mais uma marca pessoal: caso supere Tony Ferguson pela divisão dos leves, ele vai atingir pela primeira vez no Ultimate a série de quatro triunfos consecutivos. Para isso, Tibau confia no Jiu-Jitsu para ter o braço erguido ao final do embate.

Com 82 derrubadas no UFC, o faixa-preta de Jiu-Jitsu é o líder do ranking em quedas aplicadas no evento. Cientes disso, os adversários se preparam sempre para frustrar os planos do atleta da American Top Team (ATT), mas o Jiu-Jitsu tem sido a principal chave das vitórias do brasileiro. Contra Pat Healy, Piotr Hallmann e Norman Parke, mesmo com a notória evolução em pé, Tibau venceu graças ao seu contundente jogo de quedas. E a estratégia será repetida diante do novo desafio.

“O Ferguson é um cara bem perigoso, especialmente na trocação. Ele tem um bom Jiu-Jitsu também, defende bem as quedas, mas vou dar muita pressão na luta. Confio na minha luta agarrada para botar pressão e vencer esse duelo, que é muito importante para mim. Venho quebrando recordes no UFC, e agora quero essa marca pessoal. Quero quebrar a barreira das quatro vitórias seguidas no evento para entrar de uma vez por todas no bolo dos melhores da categoria”, avisa o potiguar.

Aos 31 anos, Tibau faz sua segunda luta em 2015. No dia 18 de janeiro, em Boston, ele superou por decisão dividida dos jurados Norman Parke, vencedor do TUF Smashes, em 2012. Agora, o desafio é novamente contra um atleta que conquistou uma edição do reality show do UFC. Em 2011, Ferguson conseguiu o contrato com o evento ao triunfar no TUF 13. Assim como Tibau, o americano está embalado. São quatro vitórias nas últimas quatro lutas, fato que deixa o embate ainda mais atrativo para o brasileiro.

“Desde que cheguei ao UFC, em 2006, só tive pedreira pela frente, como Nick Diaz, Melvin Guillard, Caol Uno, Rafael dos Anjos, Khabib Nurmagomedov, entre outros. O UFC tem me dado grandes desafios, e isso me motiva. Me faz ir para a academia treinar com ainda mais vontade, com mais desejo pela vitória”, explica.

Gleison Tibau teve 24 dias de preparação para o duelo contra Tony Ferguson. No primeiro dia de fevereiro, ele recebeu o convite para substituir Yancy Medeiros no UFC 184, e não pensou duas vezes. “Nunca corri de desafios, muito menos no Ultimate. Aceitei na hora. Muitos me perguntam se eu não sinto o corte de peso, a sequência grande de lutas, mas não sinto. Pelo contrário, me sinto cada vez melhor. Me mantenho saudável para sempre estar pronto quando for chamado pelo UFC. A cada luta, me sinto renovado. Aproveitei muito bem o período de treinos para esse desafio e estou pronto para vencer mais uma”, garante.

(Fonte: Assessoria de imprensa)

UFC 184
Staples Center, Los Angeles, Califórnia
28 de fevereiro de 2014

Ronda Rousey x Cat Zingano
Holly Holm x Raquel Pennington
Josh Koscheck x Jake Ellenberger
Alan Jouban x Richard Walsh
Tony Ferguson x Gleison Tibau
CARD PRELIMINAR
Mark Muñoz x Roan Jucão
Kid Yamamoto x Roman Salazar
Dhiego Lima x Tim Means
Derrick Lewis x Ruan Potts
James Krause x Valmir Lázaro
Masio Fullen x Alexander Torres
Jake Lindsey x Joseph Duffy

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *