Erberth analisa Brazil Pro e ensina a pegar as costas a partir da 50/50

Share it
Erberth pula no triângulo na final do absoluto. Foto: Marco Aurélio/Arena Jiu-Jitsu

Erberth pula no triângulo na final do absoluto. Foto: Marco Aurélio/Arena Jiu-Jitsu

O Brazil National Pro de Jiu-Jitsu foi encerrado no último domingo em Barueri, e apesar do forte calor, os atletas duelaram em alto nível. O grande destaque foi o recém-graduado faixa-preta Erberth Santos, 20 anos, que acumulou o título na categoria até 95kg e o do absoluto, que rendeu mais mil dólares de premiação. O aluno de Guigo venceu seis lutas no total.

Na final do aberto, Erberth surpreendeu Fred Almeida ao pular no triângulo voador. Com o triângulo encaixado, usou o arrocho no braço para definir.

Em papo com GRACIEMAG, o faixa-preta falou das conquistas, analisou a vitória no absoluto e disse que já sonha com o título absoluto do Europeu de Jiu-Jitsu. Por fim, ainda mandou uma de suas posições favoritas: a ida para as costas.

GRACIEMAG: Qual foi o seu momento mais complicado na campanha em Barueri?

ERBERTH SANTOS: Foi quando decidi ficar longe da minha família e do meu filho no mês de dezembro, para focar em Abu Dhabi e no Europeu da IBJJF. Isso foi muito difícil. Todo mundo curtindo as festas com a família e eu longe, treinando. Graças a Deus tive o apoio deles, e mesmo com a distância e todo sacrifício valeu e vai valer a pena. Acho que o diferencial foram os meus treinamentos: fiz muito drill, posições, preparação física e treinamento de força. Isso me ajudou a obter o melhor resultado possível no torneio.

Foi sua primeira competição como faixa-preta de Jiu-Jitsu. Sentiu alguma pressão?

A responsabilidade aumenta né? Senti pressão, sim. Mas fiz o possível para encarar e dar o melhor. Olha, todas as lutas apresentaram uma dificuldade diferente. O nível da competição foi altíssimo e todos os combates foram duros, cada um a seu modo.

O que passou na sua cabeça ao aplicar o triângulo voador na final do absoluto?

No início, continuei com a mesma estratégia das outras lutas, mas vi que ele tinha uma base boa por cima. Então, procurei soltar mais meus giros e acabei pulando em dois triângulos. Um ele defendeu, mas o outro encaixou melhor e consegui a finalização.

Agora é a vez do Europeu. Você se permite sonhar com o título no peso e no absoluto também?

Claro! Este é um título mais do que especial para mim. É o título que está faltando nos campeonatos maiores da IBJJF. Aprendi com a conquista do Mundial que a realização do sonho vem com trabalho duro e sacrifício. Mais do que sonhar, eu busco maneiras de realizar meus sonhos. Cada treino e cada dia de esforço é uma forma de chegar mais perto da conquista. Os fãs podem esperar o que eu sempre tento fazer: dar o meu melhor. Com dor, sem dor, cansado ou não, podem ter certeza que sempre busco 100%.

Ler matéria completa Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *